Padilha diz que PSDB já está fora, derruba Bolsa e desvaloriza o real

O mercado de ações demonstra recorrente nervosismo, tensão, especulação e oportunismo, variando de humor conforme a configuração política do momento, mas trabalhando descolado da economia real.

O ministro Eliseu Padilha disse esta manhã que o PSDB já está fora da base aliada do governo, mas disse que espera contar com deputados e senadores tucanos para a aprovação da reforma da previdência,.

Sem os tucanos, a reforma não será aprovada pelo Congresso.

As declarações de Padilha derrubaram a Bolsa, que as 14h40min operava em queda de 1,15%, emplacando 734.157 pontos, enquanto o dólar iniciava segura trajetória de valorização (mais 0,25%, R$ 3,217 para a venda), mas Padilha apenas confirmou o que disseram ontem o governador Geraldo Alckmin e o ex-presidente FHC, que anunciaram o desembarque para o dia 14.

Ou seja, o mercado "ficou assustado" porque já sabia de tudo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Palhaçada governar o país de acordo com o mercado.
As coisas melhoram e pioram com o tempo,sempre foi assim é sempre será.

Anônimo disse...

Mercado é especulação, estão aproveitando.

Anônimo disse...

Ui! Ui! Ui! O mercado ficou nervosinho! Perderemos o sono! Que lorota, quando o mercado fica "nervosinho", alguns poucos ganham dinheiro no prejuízo de muitos.

Jorge Roriz disse...

O fato importante é que mesmo saindo da base.Metade ou mais da metade do PSDB vai votar em favor da reforma da previdência ( é uma bandeira do próprio partido como diz o psdebista, economista e fundador do Plano Real, Edmar Bacha. Além disso nem todos os ministros do PSDB vão sair. Nada mudou. Aluísio Nunes, ministro das relações exteriores vai permanecer no cargo.