Artigo, Marcos Rolim, Zero Hora - O ambiente dos tigres

O ex-deputado, homem de esquerda conhecido, diz que vai votar contra os tigres no dia 30.

Em artigo que assina na edição deste sábado do jornal Zero Hora, o ex-deputado Marcos Rolim diz que a morte de Plínio Zalewski diz algo importante sobre a política que se pratica no Brasil:

- Plínio foi um sujeito particularmente inteligente e sensível.

Marcos Rolim lembra que quando foi deputado estadual, Plínio foi seu assessor na Assembleia Legislativa. Depois disto, ambos saíram do PT e o assessor foi para o PMDB. Ali, adquiriu experiência na gestão pública, tendo coordenado iniciativas estratégicas  na prefeitura, com Cézar Busatto e, no governo do Estado, com Fernando Schüller. Leitor de Hannah Arendt, Victor Serge e Robert Musil, sempre impressionou as pessoas pela qualidade de suas reflexões e por sua integridade moral. Em 2012, candidatou-se a vereador em Porto Alegre, tomando a decisão de não aceitar contribuições de empresas (quando isso era legal). 

Pela primeira vez, Marcos Rolim admite que as evidências sobre a morte de Plínio Zalewski apontam para suicídio:

- As pessoas que estavam ao lado de Plínio na campanha de Sebastião Melo relatam que ele se abalou muito com o vídeo que o MBL fez. MBL é a sigla de um grupo de extrema direita, uma espécie de UDN jovem com prestígio entre os tigres. Um sujeito, vindo de São Paulo, montou um vídeo nojento, acusando Plínio de fazer campanha no horário do expediente da Assembleia. O material foi postado nas redes sociais e teve milhares de acessos. A campanha de Nelson Marchezan entrou com três processos judiciais contra Plínio e ele passou a relatar que sua página no Facebook havia sido invadida e que estaria sendo seguido e filmado. Para o advogado Ricardo Giuliani, Plínio disse que se sentia ameaçado e que temia por seus familiares, registrando ocorrência policial nesse sentido. As pessoas reagem de forma diferente a situações do tipo e é possível que o quadro tenha disparado o gatilho para a desistência. Caso tenha sido isso, já não era exatamente Plínio quem decidia suspender a palavra, o recurso no qual sempre acreditou. Havia ali, no sujeito em retirada, alguém trucidado previamente pelo tipo de disputa que se tornou comum no Brasil e que fez da política um espaço privilegiado para a atuação de grupos mafiosos. Políticos tradicionais, escolados pela guerra e orientados pela destruição do outro, costumam não se abalar com acusações que envolvem sua reputação. Para muitas pessoas honestas, entretanto, acusações morais – que implicam a integridade do sujeito, não suas ideias ou posições políticas – podem ser aterrorizantes. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

19 comentários:

Carlos Mota disse...

Este Rolim é um embusteiro; esquerdista safado que mama nas tetas de uma entidade pública e ainda aufere ganhos por fora, o que por Lei não poderia fazê-lo.
Este cara é um pulha e só por ser um esquerdeopata já não merece credibilidade.

Anônimo disse...

MIMIMI DE COMUNOFASCISTA FANTASIADO DE "ESPECIALISTA EM DEFENSOR DE BANDIDOS ENRUSTIDO A SERVIÇO DA ESQUERDA DEFENDENDO AMIGO DA ESQUERDA CC QUE FOI DESCOBERTO EM OUTRA FUNÇÃO É QUE DESCOBERTO COM OUTRA SEDE CLANDESTINA E SENTINDO QUE IRIA PERDER PARA O CANDIDATO DA MODERNIDADE TOMOU DECISÃO DE PESSOA DEPRESSIVA. OS COMUNOFASCISTAS ASSIM COMO STALIN ADORAM CHAMAR SEUS INIMIGOS DE FASCISTAS.

Anônimo disse...

E a polícia já falou quem matou Plínio? Ou vão aceitar a hipótese de suicídio com facada no pescoço?

Unknown disse...

"Por que não te calas"!!!

Anônimo disse...

Poderoso esse rapaz do MBL!! Matou um adversário sem muito esforço!! Essa gente inocente de Melo não foi para esse mundo violento da política!!

Anônimo disse...

Com todo respeito, o sujeito se suicidou porque o acusavam de fazer campanha durante o horário de trabalho. Contem outra, não subestimem a inteligência alheia.

Anônimo disse...

Quando falam de grupos mafiosos, referem-se, obviamente, a orcrim PTralha, que destruiu vários pessoas honestas, inclusive Celso Daniel!

Anônimo disse...

AHHHHH...SIM....E A CULPA NÃO É DO MELO ACHAM ALGUNS E NEM DO MARQUEZAN ACHAM OUTROS ricos, elucidados e integentes

Anônimo disse...

Quando Genro utilizou este mesmo método, de destruir reputações e ameaçar com dossiês, o Rolinha não abriu o bico!

PTralhas são patéticos!

Magno disse...

Bem que os políticos de Brasília poderiam se contagiar deste "abalo moral" e sentirem-se aterrorizados, optando por partir para o mesmo fim do Zalewski que é o mesmo fim de políticos japoneses quando se aterrorizam com abalos morais.

Anônimo disse...

polibio, tu es eleitor do mello? nao perde teu tempo com essa historia...o cara se matou e ponto final. nao existe chifre em cabeca de cavalo...n perde teu tempo que nao vao conseguir capitalizar com a morte dele...

Anônimo disse...

Foi Melo quem mandou o carinha do MBL (esse malvado caçador de esquerdistas e assemelhados) a fazer uma reclamação junto ao MP!! O rapaz atendeu à recomendação de Melo e...deu no que deu: suicídio com uma facada no pescoço!! Algo nunca dantes visto!!!!

Anônimo disse...

Então quer dizer que agora, já que ficou difícil implicar os opositores no provável assassinato, mudou de ideia e acredita que o amigo cometeu suicídio.
Francamente, é vergonhoso alguém acreditar que o Plínio tenha cometido suicídio.
É inconcebível que somente após 24 horas um companheiro e coordenador de campanha tenha sido encontrado no seu próprio ambiente de trabalho. Contem outra, já que essa não cola.
Mais um suicidado na política gaúcha.
Marcos Cavalcante, irmão de Marcelo

Anônimo disse...

Tem pessoas que não sabem fazer nada na vida ou não tem capacidade de se manterem na iniciativa privada, com termino do ano e preocupado com futuro esse senhor pode ter desencadeado um quadro de depressão que o levou ao suicidio, dai para tirarem proveito da situação é um prato cheio não é senhores Melo e Fortunati.

Ventura disse...

estas começando a mostrar a verdade te aliando e dando guarida a Marcos Rolim aproveitador mor das esquerdas. Quer dizer denunciar alguém que ao invés dfe ccumprir o seu horario na assembleia estava fazendo campanha para o Mello está errado. Vamos ter coerencia! Quando há erro, deve ser denunciado dos dois lados.

Anônimo disse...

Sempre fez parte da política... inclusive para tecnocratas concursa dos o monitoramento...
É chato... mas faz parte...
Se o Plínio fazia parte do do grupo do Busatto e teria feito parte do MR8 como noticiado devia conviver com isto há muitos anos e portanto estar muito acostumado com isto...
Quem topa coordenar uma campanha eleitoral sabe onde está se metendo e tenho certeza que o Plínio sabia...
Gostaria que a sua morte fosse esclarecida...
Chega... pelo bem do RS ... de culpar a mulher do cafezinho ou o mordomo... como queiram ... por fatos graves como este.

Anônimo disse...

Esse Marcos Rolim, petista pisolista de extremissima esquerda, aquela que adora bandido, e que adora mais ainda quando bandido assalta alguém da classe média e "distribui" renda.
O mesmo Rolim que embolsou mais de R$2 milhões de reais faturando R$ 25 mil/mês como CC do Tribunal de Contas.
O mesmo que assessorava Luciana Genro é seria seu secretário de segurança, mas que viu que a barca era furada e pulou fora antes do desastroso 5º lugar.
Não sou fã do MBL, mas os vídeos que eles fazem, não são 1℅ da máquina de calúnias e difamações do PT PSOL PCdoB, que destruíram a reputação de muita gente.
Pimenta no dos outros é colírio, não é Sr. Rolim ?

Custos no Setor Público disse...

Zero Hora é tão lixo que não serve sequer para enrolar peixe. Dá espaço para gente desse naipe, então, é o pior dos mundos.

Anônimo disse...

Esse ex do Pimenta é sócio do Jairo Jorge em ativos bancários na Venezuela