Padilha faz as contas: "Dilma será cassada por 61 senadores, mais de 2/3"

Ontem a tarde, Temer estava em despachos internos em seu gabinete e também recebeu em cerimônia os atletas medalhistas da Olimpíada. O presidente em exercício tenta dar uma demonstração de que está “tocando o governo”, como se estivesse alheio à sessão do Congresso.


O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, evitou fazer comentários sobre o discurso de defesa da presidente afastada Dilma Rousseff, no plenário do Senado, mas reiterou o placar que havia defendido antes, de 61 votos a favor do impeachment. “Eu sempre disse que eu era pessimista no placar de 61 (votos pelo afastamento definitivo de Dilma)”, disse o ministro Padilha, ao sair de uma reunião de preparação das Paralimpíadas, no Palácio do Planalto. 

Em outra ocasião, Padilha falou que, de forma otimista, o governo poderia conseguir até 63 votos.

A declaração do ministro demonstra a avaliação do Planalto de que a defesa de Dilma não trouxe nenhum impacto político sobre os senadores e que não foi capaz de virar nenhum voto. ]

Questionado se o Planalto não ia responder às críticas de Dilma ao governo, Padilha respondeu: “o que o governo vai responder?” 

Nenhum comentário: