Polícia Federal intima Delfim Neto para falar na Lava Jato

De uma ou de outra forma, Lula (O Barba, informante do Dops de Tuma) e Delfim (czar da economia) ambos serviram à ditadura militar. Agora, ambos estão às voltas com a Lava Jato.


A delegada de Polícia Federal Renata da Silva Rodrigues, da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, intimou o ex-ministro da Fazenda Delfim Netto para "prestar esclarecimentos" aos investigadores sobre por que recebeu, segundo seu sobrinho, R$ 240 mil em dinheiro vivo entregues pelo "departamento de propina" da maior empreiteira do País em 22 de outubro de 2014 no escritório do advogado e sobrinho do ex-ministro Luiz Appolonio Neto, na capital paulista.

Não é a primeira vez que o nome de Delfim Netto surge na operação. O economista e também ex-deputado federal foi citado na delação premiada da empreiteira Andrade Gutierrez pelo suposto recebimento de valores ainda não explicados no empreendimento da Usina de Belo Monte. Quando seu nome foi citado na Lava Jato, Delfim argumentou que havia feito uma
"assessoria".
Defesas

A Odebrecht não quis comentar o caso.

CLIQUE AQUI para saber mais sobre cada um dos dois casos.

6 comentários:

Anônimo disse...

Ué! Não sabia que esse mistificador estava solto.

Achei que ele estava no findo de uma cela.

Anônimo disse...

O editor fala mal da "ditadura" militar. Sem ela o brasil seria Cuba e o editor escreveria para qual jornal? Não poderia nem se manifestar.

Anônimo disse...

Mais um ídolo da extrema direita em maos lençóis.
Que fase!

Anônimo disse...

extrema direita? esse ladrão dos 10%....antes do pt esse valor era o máximo que se cobrava de propina estava até pouco tempo sendo guru do luladrão.

Anônimo disse...

Caro Políbio
Está explicada a aproximação do Delfim com Lula e Anta. Ele também prestou consultoria?kkkkkkkkkkkkk
Esther

Anônimo disse...

PT e a ARENA PODRE!

Primeiro é cria do segundo.