Depois de aplicar dois bolos, Levy recebeu Sartori de pé na ante-sala do seu gabinete

Depois de aplicar dois bolos em  Sartori, o ministro concordou em receber Sartori no início da noite de ontem. A foto ao lado, de Luiz Chaves, passa a impressão de que o governador foi recebido de pé, numa sala de reuniões. O Piratini não esclareceu de que modo decorreu o encontro e nem quanto tempo durou, mas aparentemente foi breve. Na foto, os dois homens parecem pouco à vontade. 

Depois de ter levado dois bolos durante o dia, um de 30 minutos, de manhã, e outro de 16 minutos, á tarde, o governador José Ivo Sartori foi recebido finalmente pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na noite desta quarta-feira, para tratar da situação financeira do Rio Grande do Sul. 

Sartori afirmou para Levy que o governo está fazendo o seu ajuste fiscal, da mesma forma que a União vem trabalhando para equilibrar as suas contas. “Precisamos solidariedade ativa do governo federal. Estamos fazendo a nossa parte, com as mudanças estruturas necessárias”, enfatizou. 

O ministro não prometeu nada.


10 comentários:

Emmanuel disse...

Normal: um pode ter até o aval do povo, mas o outro tem o aval do rei ... e do seu patrão.

Anônimo disse...

Esse governador é molenga...Um bom pontapé na porta faria este ministro mequetrefe atender ele na hora...está chegando a hora disso....

Anônimo disse...

A União repassa ao RS pouco mais do que a metade do que o Estado arrecada. O restante é usado nas maracutaias e pixulecos dos vagabundos de Brasília.
Esta falta de respeito ao nosso Governador é uma afronta a cada cidadão Gaúcho.
Está na hora de analisarmos se nos interessa este pacto federativo que nos explora e nada de benefício nos trás.

Anônimo disse...

Esse carioca capacho de Dilma aprendeu rapidinho a ser mal educado. Sartori deve fazer o mesmo se um dia esse carioca vier para o RS. Governo federal se comporta como se o RS não fizesse parte da federação e, pior, como se o RS não desse ao governo divisas para garantir os cofres. Sentimento de separatismo é forte em São Paulo e na região sul não deveria ser diferente. Precisamos sustentar a união e essa nos ferra. Gaúcho servidores públicos são burros e/ou convenientes ao ter votado no PT acreditando que seria bom para o bolso deles, como se a arrecadação não dependesse principalmente dos que aqui residem.
Fizeram porcaria e agora ferram a população em geral.

Anônimo disse...

No dia 16 devemos ir as ruas não somente exigir gestão eficiente deste país.
Deve mudar:
1. STF aprovar seus próprios salários que servem de base para todo o feudo que vem abaixo. Isto significa exigir que todo profissional em âmbito governamental tenha o mesmo reajuste determinado aos trabalhadores regidos pela CLT.
2.Membros do STF serem escolhidos por meritocracia e não por afinidades políticas.
3. Cargos do STF não serem vitalícios.
4. Fim das mordomias e salários acima do teto definido por lei.
5. Fim dos CC's.
6. Possibilidade de recall de eleitos.
7. Restituição de aposentadoria integral aos aposentados, baseado na lei vigente de quando iniciou seus trabalhos com carteira assinada aos mesmos moldes do funcionalismo público onde mudanças das regras começam a valer para os novos funcionários, mantendo-se os direitos dos já na atividade publica.
9. Recursos públicos distribuídos entre municípios e estados e não concentrados na União.
10. Identificação da origem do recurso quando da aprovação de um projeto.
11. Fim da governabilidade por decretos.
12. Agilidade no julgamento de processos e sem recursos tendentes ao infinito.
13. Fim do foro privilegiado.
14. Punição dos governantes pela má gestão dos recursos públicos.
15. Devolução ao erário público dos recursos desviados.
16. E todas as demais irregularidades presentes atualmente em nosso país.

Anônimo disse...

Este Sr. desrespeitou o estado. Julgou mais importante receber uma homenagem do que receber um governador que está precisando ir a Brasília após seu partido roubar o Rio Grande do Sul pelas mãos de Tarso Genro que fugiu para o Rio de Janeiro e ainda recebendo seu salário mensalmente, pago pelos gaúchos.

Emmanuel disse...

Ratifico os muitos anônimos: há um peso excessivo sobre estados que produzem, eis que lhes é sugada a renda e distribuída segundo o clientelismo da União. É preciso por paradeiro nisso e estabelecer o princípio federativo, onde o contribuinte seja contribuinte, e não vítima de extorsão.

Anônimo disse...

Faltou uma anonimo das 09:19:

17: Obrigar os funcionários públicos do Executivo, Legislativo - em especial os Deputados e Senadores; do Judiciário - em especial os Juizes e Ministros; do Ministério Público, em especial - os Prucuradores e Promotores; Tribunais de Contas, em especial os Ministros do TCU e Conselheiros do TCE, PAGAREM PARA TRABALHAR, enfim, repassar seus salários ao anonimo das 09:19 e seus asseclas.

Anônimo disse...

Faltou uma anonimo das 09:19:

17: Obrigar os funcionários públicos do Executivo, Legislativo - em especial os Deputados e Senadores; do Judiciário - em especial os Juizes e Ministros; do Ministério Público, em especial - os Prucuradores e Promotores; Tribunais de Contas, em especial os Ministros do TCU e Conselheiros do TCE, PAGAREM PARA TRABALHAR, enfim, repassar seus salários ao anonimo das 09:19 e seus asseclas.

Anônimo disse...

Mudanças estruturais, Sartori? Ainda estão faltando cerras as portas do IRGA,(entrega para a Farsul do Sperotto); A FDRH (devolve essa turma para a Secretaria de Modernização Administrativa(sic) e Recursos Humanos); A CORAG, (imprime os documentos do governo em qualquer gráfica privada que sai muito mais barato);Junta a Superintendência de POrto e Hidrovias e o Superintendência do Porto de Rio Grande;FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA (entrega para a UFRGS, Faculdade de Economia);e fecha e bem fechada a FUNDAÇÃO PIRATINI- Rádio e TV....Só nisso já economizaremos um monte de dinheiro....vai em frente SARTORI....se precisar de mais gente para fazer tudo isso, de graça, é chamar.....