Servidores do Judiciário terão aumento salarial de 78%

O Senado aprovou ontem por 62 votos a zero um projeto de lei que concede reajuste salarial de até 78% aos servidores do Judiciário. Segundo o Ministério do Planejamento, a despesa suplementar será de 25,7 bilhões de reais nos próximos quatro anos.

E ?

13 comentários:

Anônimo disse...

AS PESSOAS DEVEM SE UNIR, CRIAR ASSOCIAÇÕES E PEDIREM FALÊNCIA FÍSICA EM CONJUNTO. AOS MILHARES. VEM NOVOS AUMENTOS DE ENERGIA POR AÍ, NÃO VAMOS AGUENTAR.

Anônimo disse...

Apesar da tabela de vencimentos apresentar até índices de 78%, estes se referem aos mais baixos cargos da mesma, Auxiliares de Serviços Diversos, cargo em EXTINÇÃO no Judiciário Federal e sem concurso público a mais de 8 anos, ou seja, não há ninguém nesta situação. A média real de reajuste salarial é de 48%, visando recompor os 9 anos sem reajuste (último reajuste foi em 2006) e será paga parceladamente até dezembro de 2017.
Quanto a despesa suplementar a mesma foi inchada para 25,7 bilhões por conta de cálculos do governo contrários ao reajuste.

Anônimo disse...

A casa grande não tem crise.

Anônimo disse...

Que maravilha !
E mais imposto na bugrada !

Anônimo disse...

Como é bom ser funcionário público do Judiciário na nossa Suissa !!

Acorda Brasil, vamos trabalhar e pagar impostos somente para manter esta pseudo Casta de servidores públicos que estão acima do bem e do mal !!

Se as pessoas demorarem para acordar, será tarde de mais, não teremos mais saída, parece que ninguém está vendo o que ocorre hoje na Grécia, entre outras coisa, foi exatamente isto, inchaço de Servidores públicos e salários exorbitantes combinado com aposentadorias precoces, a Grécia hoje será o Brasil amanhã !

ACORDA BRASIL !!!!!!!

Lucaspsb disse...

Só um aloprado para não entender que isso foi para desgastar ainda mais a Dilma Rou$$eff. Manobra da oposição, quero ver ela segurar o rojão.

Mordaz disse...

Na verdade não é um aumento de 53% e 78,56%. Pois em seis parcelas, a inflação vai comer quase tudo. Só este ano a inflação come uns 9%. Pode? De aumento mesmo, só a ilusão. E é bom lembrar sempre que os sindicatos dos servidores públicos são aparelhados por petistas e esquerdistas. Farinhas do mesmo saco do Governo Dilma.

Anônimo disse...

E é o magistério a causa do rombo nas finanças dos estados... Esganados,só eles têm direito a regalias. Aos outros ,os ossos...

Anônimo disse...

Vamos decretar a falência do judiciário, mandar todo mundo embora e mandar as causas para a arbitragem.
Todo mundo sai ganhando.
Não tem volta, só una intervenção militar com a elaboração de uma nova Constituição Federal, retirando privilégios, reduzindo subsídios e retirando a estabilidade dos servidores pro Brasil não ir à banca rota.
Quem escreve é um servidor.

Anônimo disse...

Não entro no mérito de se é justo ou não. Mas o que é claro e límpido é que este não é o momento adequado para isso. O Brasil tá esgualepado, não percebem?

Anônimo disse...

Faz nove anos q o funcionalismo público federal recebe reajuste abaixo da inflação. Nesse período, TODOS OS ANOS a iniciativa privada concedeu aumento real aos seus empregados, mesmo em setores gravemente afetados pela crise, tal qual os metalúrgicos. Por quanto tempo os servidores terão de aguentar esse arrocho e seguir fazendo diligentemente seu trabalho mesmo sem o reconhecimento e valorização devidos?

Anônimo disse...

Publiquei no blog do Jorge Serrão, Alerta Total, o comentário abaixo. Precisaria de alguns ajustes, não o farei por economia de tempo.
Peço que apenas leiam com isenção:


É impressionante como o jornalismo, dito "independente", costuma fazer o jogo do governo - qualquer ele que seja.
Como servidor do judiciário federal, cansei de ficar calado. É preciso que haja um contraponto a todas as "notícias", que não passam de meros pitacos, as quais colocam o servidor público, mais especificamente os do judiciário, como o responsável por desequilíbrios fiscais, gastos astronômicos etc.
Faço aqui justiça a determinados senadores, mais especificamente, Randolfe Rodrigues e Ronaldo Caiado - nada devo a eles -, que foram decisivos na aprovação do PL 28/2015.
Os senhores senadores não fizeram "média" conosco, e sim, corrigiram uma distorção e grave intromissão do executivo num projeto que é de competência do judiciário. É só ler um pouquinho a Constituição.
Quando da recomposição salarial, este é o termo adequado, dos servidores do Legislativo, o poder Executivo a sancionou sem mais delongas, inclusive com o aval dos parlamentares petistas.
Ressalto que o PL 28/2015 foi aprovado por unanimidade, do DEM-PSDB ao próprio PT. Acompanhei a votação do começo até ao final. Garanto que, quem critica os senhores senadores, não acompanharam os debates que se estenderam por mais de três horas, sem mencionar a embromação que se arrastava com a tentativa de mais um adiamento da apreciação da matéria.
O nosso projeto (PCS) tramitava no Congresso Nacional desde 2010, ainda no governo Lula, o qual nos enganou e, com um legislativo completamente subserviente, fez com que o mesmo dormitasse nos escaninhos parlamentares por exatos seis anos. Hoje a "coisa" mudou.
Não houve inflação de lá para cá?
O nosso poder de compra é o mesmo?
A última recomposição salarial que nós tivemos foi em 2006, escalonada até dezembro de 2008. Nossa atual tabela salarial foi elaborada em 2005. Há exatos 10 anos. Pesquisem.
Ora, a inflação, em números oficialmente generosos, entre janeiro de 2007 e maio de 2015 foi de 63,54% (IPCA).
Esse "reajuste" que o senado aprovou ontem será escalonado até dezembro de 2017, com o risco de veto, o qual poderá nos brindar com um "reajuste" zero.
Ora, senhores, "fazedores de média" com o povo brasileiro, informem-se melhor antes de condenarem os servidores do judiciário como o CÂNCER da nação.
Se o nosso "reajuste" afeta o equilíbrio ou ajuste fiscal, por que o Sr. Lula não o concedeu em 2010, quando a economia estava "bombando"?
Eu poderia elaborar um texto bem maior que este em defesa da aprovação de ontem no senado, porém o espaço não me permite.
Quero deixar CLARO apenas uma coisa: o governo não faz qualquer ressalva em peticionar ao judiciário as suas justas demandas, no tocante, e. g., a execuções fiscais; e nós, indireta ou diretamente, acabamos sendo uma linha auxiliar de arrecadação de débitos vencidos.
Sou Oficial de Justiça, concursado e honesto, e, em meu mister, cumpro o meu dever. Trabalho com execução fiscal e, honestamente, a culpa de nossa economia estar indo para o abismo não é só do governo. Há grandes devedores que, quando cobrados, só pagam ou parcelam seus débitos mediante o alcance da Justiça. O governo sabe bem disso.
Parem de fazer o jogo de quem quer dominar completamente a nação, nivelando todos por baixo, o foco é mais além...
Pena que este país tornou-se uma rinha de galo, no qual quase todos torcem pelo que há de mais mesquinho: o derrota do outro.
Publique-se,
por questão de JUSTIÇA!

Anônimo disse...

TUDO COMBINADO PARA A DILLMA VETAR E FICAR DE BOAZINHA.

NÃO CAIAM NESSA. FOI ISSO QUE O LULLA EM BRASÍLIA COMBINOU COM OS SENADORES.