Empreiteira (Toyo) com contratos de R$ 4 bi com Petrobrás faz delação premiada com o MPF

Dilma não precisará derrubar "pedra sobre pedra" para revelar toda a roubalheira na Petrobrás, escândalo que atinge quase toda a alta direção e até mesmo a própria Dilma e o ex-presidente Lula. Disto se encarregam os procuradores do MPF, a PF e o juiz Sérgio Moro, Paraná. O caso começa a chegar aos corruptores, como se percebe pela notícia a seguir. MPF e PF também estão em cima de empreiteiras como Odebebrecht, Camargo Corrêa, OAS, UTC, Queiroz Galvão.

Saiu o acordo de delasção premiada do primeiro empreiteiro investigado sob suspeita de ter pago propina para obter contratos na Petrobras. Ele fez o acordo com os procuradores que atuam na Operação Lava Jato, segundo três pessoas que atuam na investigação ouvidas pelo jornal Folha de S. Paulo de Hoje. Camargo fechou o acordo na última semana, para tentar obter uma pena menor. O executivo teria ficado assustado com os detalhes revelados pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em sua delação premiada.

. É Júlio Camargo, executivo da Toyo-Setal, empresa que tem contratos de cerca de R$ 4 bilhões com a estatal. Ele é o primeiro dos executivos das grandes empresas a assinar um acordo de delação e deve revelar detalhes sobre como funcionava o esquema de divisão de obras da Petrobras entre as empreiteiras.

- Filial da Toyo Enginnering do Japão, a Toyo está construindo uma unidade de hidrogênio para a estatal em Itaboraí (RJ) e uma planta para a produção de amônia em Uberaba (MG

4 comentários:

Anônimo disse...

Se as "leis" implantadas e vigentes no País, durante o governo do câncer chamado PT, são para pagar propina as empresas não ganhariam contratos e não sobreviveriam sem pagar. As metástases deste câncer vem se espalhando há 12 anos por todos os órgãos e divisões onde atuam os indicados por este partido. Esta é a verdade, infelizmente.

Anônimo disse...

Pelo que falou Paulo Roberto Costa as empreiteiras teriam sido extorquidas. Pois quando aparecia uma obra eles chamavam as empreiteiras capazes de realiza-la e "pediam" a propina -contribuição. Se concordassem realizavam a obra se não....
Disse, ainda, que elas tinham interesse em realizar e "contribuiam" por que tinham obras em outros setores do governo , minha casa minha vida, hidrelétricas, aeroportos etc.


mj

Anônimo disse...

Esquecem o que DILMA disse, É CONVERSA pra "boi" brasileiro dormir!

Anônimo disse...

O país suportará mais quatro anos disso?