PSB sairá hoje do governo Dilma

Com um empurrãozinho de PT e PMDB, o presidente do PSB e pré-candidato à Presidência da República, governador Eduardo Campos (PE), precipitou uma decisão adiada até agora. Convocou reunião extraordinária da Executiva Nacional do partido para oficializar decisão preliminar tomada ontem por unanimidade pela cúpula socialista: a entrega dos cargos no governo Dilma.

. O PSB tem dois ministérios, Integração Regional e Portos, além de cargos no segundo escalão. Com isso, Campos, incomodado com acusações de fisiologismo e com a pressão alimentada pelo Planalto, dá hoje o primeiro passo para consolidar sua candidatura a presidente.


. Apesar disso, o discurso é que o partido continuará na base e só baterá o martelo quanto à candidatura presidencial no ano que vem. O assunto foi discutido ontem em reunião de Campos com a cúpula nacional do PSB. A avaliação foi que a presidente Dilma estaria tentando constrangê-los ao mandar recados, pela imprensa, de que pretendia tirar do governo o ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional), ligado a Campos, por causa das críticas feitas pelo presidenciável do PSB à gestão petista e por causa de sua aproximação com o pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, senador Aécio Neves (MG).

2 comentários:

Mario Rangel disse...

O Eduardo "Capriles" Campos, e seu partido, tem mais é que sair fora mesmo.

São uns cínicos que ficam, uma hora da favor e outra contra.

Não contribuem em nada, somente plantam a cisânia.

Aqui a mesma coisa, o Beto "Aproveitador" Albulquerque, enrolou o DAER, a SPH, com seus apadrinhados e só fizeram bobagem.

Tem mais que sair, mesmo que existam no patido bons nomes.

Uma pena, cospem no prato que comeram por muito tempo...

Anônimo disse...

Por acaso anunciou se hj mesmo entrega os dois ministérios e respectivos CCs?