Marido, mulher ou companheiro, Miranda foi preso porque era "mula" de dados secretos roubados do governo dos EUA

Marido, mulher, companheiro ou companheira de cama, Miranda (à direita) ajudou o repórter inglês como "mula" de dados secretos furtados de governo estrangeiro e que podem servir ao terrorismo. 

O texto a seguir é do jornalista REinaldo Azevedo, Veja de hoje. A edição é do editor, inclusive cortes. O governo brasileiro, hoje, está mais comedido nos seus protestos contra os ingleses, o que demonstra que pode ter agido com precipitação num caso de evidente espionagem, tráfico de dados secretos roubados de governo estrangeiro e auxílio ao terrorismo. 

Pessoas que têm alguma noção do que vai pelo mundo sabem que gays americanos e ingleses, por exemplo, se referem às pessoas com quem vivem como “maridos” — e as lésbicas, como “mulheres”. Tentar criar caso porque chamei David Miranda de “marido” de Glenn Greenwald, apontando um suposto traço de “homofobia”, como fez um sujeito aí, é mesmo o último estágio de uma miserável decadência. Prestar-se a esse papel, alugando a pena, no ocaso da carreira, deve ser melancólico.
(...)
Chego a sentir certa vergonha da qualidade do debate que se faz no país sobre o caso Edward Snowden-Glenn Greenwald-David Miranda. Ainda que o ex-agente americano fosse um teólogo da democracia e do respeito aos direitos individuais, o fato inquestionável é que ele roubou documentos que dizem respeito à segurança dos EUA e, em certa medida, de países ocidentais.

“Roubou”? Sim, cabe essa palavra, que foi empregada pelo governo do Reino Unido. Ainda que Snowden tivesse acesso àquela documentação, ela era de circulação restrita. O eventual bem, se é que existe, que possa ter feito ao denunciar supostas operações ilegais não anula aquele crime.

David Miranda, o marido de Greenwald (“parceiro” é para jogar vôlei na praia), circulava, confessadamente, com documentos surrupiados por Snowden, fruto de uma conduta tipificada como criminosa nos EUA e no Reino Unido.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

18 comentários:

Anônimo disse...

Não importa se é gay ou não, o que importa é que serviu de "mula" para levar informações.
E parar com essa bobagem de que não pode isso, não pode aquilo, em questões de segurança pode sim, praticamente tudo !

Anônimo disse...

Obrigamos o JN a refazer reportagem sobre protestos contra o propinão no Metrô do Alckmin:

Parabéns, amigos. Enquadramos o Jornal Nacional a dar nome aos bois nos protestos contra Alckmin da semana passada.

Na noite de quarta-feira (14), o Jornal Nacional noticiou protestos em São Paulo, mas escondeu que eram contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), e contra o propinão tucano no Metrô.

Na quinta-feira, durante o dia, denunciamos a manipulação do telejornal na nota "Protestos foram contra Alckmin e o propinão tucano, mas Globo corrompeu a notícia para blindar PSDB". Outros blogs também denunciaram.

Na quinta-feira à noite, após a nossa nota, o Jornal Nacional, sob forte crise de audiência e credibilidade, refez a edição da mesma notícia do dia anterior, noticiando como deveria ter feito, da forma como nós informamos, como a Mídia Ninja transmitiu ao vivo pela internet, e como veículos honestos como a Rede Brasil Atual reportou.

É por isso que os barões da mídia estão querendo, a todo custo, detonar blogs, a Mídia Ninja e as outras mídias alternativas.

Anônimo disse...

Não tenho dúvidas que serviu de mula. As questões de segurança internacional s]ao importantissima, e ficar do lado desses hipócritas é ficar do lado dos terroristas. Quem se comunica com terroristas de qualquer maneira, sabendo dessa qualidade, é suspeito e deve ser detido. Quem divulga atos de segurança que envolvem o terrorismo não está fazendo nada de bem para a humanidade.

Anônimo disse...

O Brasil se tornou no tribunal internacional de defesa de bandidos, Battisti é o patrono de todos eles!

Surfista Prateado disse...

Há petralhas tão idiotas que até invocam "sigilo de correspondência" para tentar aliviar o tal Miranda, como ele se fosse algum carteiro dos Correios... Que piada! Gostaria de ver tal tipo de defesa se o sujeito que a usa fosse alvo de uma carta-bomba que explodisse na sua cara... Certamente processaria os Correios por não ter detectado a bomba!

Anônimo disse...

vai alegar preconceito para passar por vitima

Anônimo disse...

Para quem não sabe, inclusive os defensores dos direitos humanos (de grupelhos), o tal jornalista americano , escreveu um artigo dizendo (até da para interpretar como justificando) que os atendados de Boston seriam fruto da "matança de civis" nas guerras que os EUA estão envolvidos...

Este homem é um defensor de terrorista e deveria ser jogado em cadeia por traição... Claro que a vermelhagem brasileira não vai deixar extraditar.

E o Jornalista é tão covarde que mandou o namorado servir de mula ao invez de ir ele ou um profissional neste segmento ( os comunistas tem vários arapongas e mulas especializados para indicar a esta tarefa).

Anônimo disse...

HAHAHAHAHA. Eu queria ver o que estariam falando se um inglês tivesse sido preso, na mesma situação, por um agente da Polícia Federal do Brasil. Com certezas, estes mesmos estariam dizendo que é um crime contra a liberdade de expressão, contra a imprensa, que os comunistas do PT são contra a liberdade.
HAHAHAHA.

Anônimo disse...

gayzismo só cola no Brazil....

Anônimo disse...

Porque ele e o namorada não se mudam para o Irã?!

Ivo Leo Hammes disse...

Oh! Sr (ou Sra?) ANÔNIMO das 12:03 do dia 21. Parabéns pela eficiência. Usa este mesmo talento para fazer o Lula explicar ao povo brasileiro as sua ligações íntimas com a Sra Noronha Novoa. Refiro-me apenas àquelas que dizem respeito a interferências administrativas e republicanas. As outras que são particulares não me interessam; podem interessar à Dona Letícia e familiares.

Anônimo disse...

A impressão que passa é que os blogueiros concordam com a espionagam dos EUA sobre outros paises e não é só espionagem pessoal ou politica é, também espionagem industrial.

Esquecem que o Brasil não tem bomba atomica, nem tecnologia para fazer tais escutas, mas tem a melhor diplomacia do mundo e, numa reviravolta espetacular, institui uma uma Comissão no Senadopara esclarecer os fatos e, trouxe para o Brasil um jornalista ingles, de um tradicional jornal, para tomar ciencia das escutas e, onde envolve o Brasil e seus cidadãos, mesmo que tenha sido por intermédio do namorado do jornalista. Ou seja, sem levantar um dedo o Brasil deu um nó nos EUA e está tomando ciencia de todas as escutas contra o Brasil e, inclusive, contra os EUA.

É bom esse Brasil.

Anônimo disse...

Sr. Ivo Leo Hammes,o anonimo das 12:03 faz parte das campanhas politicas por parte da presidenta que paga, com recursos públicos não transparente através de seu gabinete, para os tais "Ninjas" internautas mercenários.

Mordaz disse...

Deviam se refugiar no Irã, onde jornalismo é coisa sagrada. Ninguém coloca a mão. Ou Cuba ou Venezuela. Fica dando mole nestas ditaduras, é isto que dá.

Anônimo disse...

Os EUA tem que abrir o olho com os bolivarianos. Tá certo!!!

Anônimo disse...

Ivo Leo Hames: disse bem! Mas, infelizmente, a gente já sabe quem são, a quem servem, a que se prestam... e já que deixam à vista só os olhos, à semelhança das que usam burcas, deviam ir para países onde isto é natural. Uma dica: a China está se capitalizando, não deixa isso acontecer anônimo do mídia ninja, vai lá quebrar os capitalistas de lá... talvez a recompensa do governo chinês por isso seja maior... depois, ajude a China a restaurar o comunismo, ofereça-se para trabalhar lá, lá é tudo "coletivo". o Brasil adora 1,99 made in China", até a dilma já investiu nisso...

Luiz Vargas disse...

O comentário postado em 21 de agosto de 2013 12h03min, parece ter as digitais das PaTas de dona LuciANTA, a filhota destrambelhada, histérica e psicótica do peremPTório embu$teiro.
Bem sabemos que os "servicinhos sujos" que ela praticou entre 2007 e 2010, aqui no Estado, agora ela está PraTicando nas terras PaulisTas.

Garivaldino Ferraz disse...

Dúvida cruel: http://mujahdincucaracha.blogspot.com.br/2013/08/patriotada-ou-viadagem-solidaria.html