Tarso processa João Luiz Vargas, que denuncia ameaças continuadas contra sua vida.

O governador Tarso Genro saiu finalmente da posição olímpica em que tinha se colocado no caso das acusações públicas de ter liderado as ações do Eixo do Mal no âmbito da Operação Rodin, ajuizando ação  própria contra o ex-deputado e ex-presidente do Tribunal de Contas, o advogado gaúcho João Luiz Vargas.

. A denúncia foi protocolada no juizado especial criminal do Foro de Porto Alegre.

. A primeira audiência da queixa feita por Tarso Genro, que alega ter sido ofendido em sua honra, foi agendada para o dia 15, 17h.

. João Luiz Vargas aproveitará as audiências para requisitar documentos sigilosos ainda em poder da Polícia Federal e do MPF, além de invocar testemunhas que acompanharam a vida política do governador, pelo menos desde seu meteórico exílio e posterior prestação de serviço militar no CPOR de Porto Alegre, onde recebeu a patente de tenente, em pleno período da ditadura militar. 

. O governador não gostou do livro "Conspiração Rodin", lançada recentemente por João Luiz Vargas, como também ficou incomodado com o pedido de impeachment protocolado pelo ex-presidente do TCE na Assembleia.

. João Luiz Vargas, que já teve a sua casa de São Sepé invadida por bandidos que o agrediram e à família, tem se queixado de ameaças contínuas feitas por telefone, e considera que esta ação criminal se inscreve na escalada de intimidações de que tem sido vítima desde que denunciou o governador pelas tropelias cometidas contra ele pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. Ele protocolou queixa formal na Assembleia.

- Contatos com o ex-deputado do PDT podem ser feitos através do e-mail contato@vargaseleao.adv.br

19 comentários:

Anônimo disse...

O governador que mentiu ao magistério, novamente deverá mentir ao povo tentando a reeleição. NÃO VOTE EM QUEM MENTIU. A perseguição ao Vargas e antiga ela sabe muito do gov ernador.

Anônimo disse...

Não é sem tempo de ver o Tarso nas barbas do João Luis

Anônimo disse...

Quem nunca teve oposição, não gosta das denúncias dos QUATRO BILHOES, que utilizou de forma surrateira.Abaixo Tarso. Fora do Piratini; Coragem vargas

Anônimo disse...

Se o parlamento não ficasse omisso, Tarso já teria sido afastado do cargo. João Vargas vai em frente um dia a história te absolverá

Anônimo disse...

o Tarso decepciona os Gaúchos, as urnas vão confirmar seu desprestígio.

Anônimo disse...

perseguição é a marca de Tarso

Anônimo disse...

Tua hora Governador vai chegar!!

Anônimo disse...

Força para o João Luiz Vargas, e obrigado por provar que ainda existem homens de fibra no RS.

Anônimo disse...

Parabéns, o senhor é o primeiro homem que vejo de coragem para afrontar figura tão temida como este governador.

Já estava na hora de todas as suas maldades serem expostas à público. Acho inclusive que este homem é mais perigoso que Zé Dirceu e Lula.

Minha solidariedade ao senhor.

Mordaz disse...

É uma pena. O povo conhece quem é Tarso e mesmo assim vota neste fascista. Que discurso vergonhosos aquele para humilhar os policiais militares colocados para serem apedrejados enquanto ele se escondia no Palácio. Porque não foi baixar o seu latinório para os apedrejadores?

Anônimo disse...

Talvez o caminho para João Luiz Vargas seja conseguir alguém que tenha participado da famosa reunião numa poderosa sinagoga em POA onde os brimos queriam que a governadora direcionasse as licitações de seu governo. como houve um NÃO da governadora, imediatamente ocorreu ligação da RBS para o ex-ministro Tarso Genro garantindo apoio total a sua candidatura ao governo do estado. Descubra este alguém.

Anônimo disse...

Força, João Luiz Vargas, tamos contigo....!!!

Luiz Vargas disse...

Mais um embuste do ardiloso peremPTório.
Como alguém pode ser atingido naquilo que não tem e nunca teve.
Como alguém que diz uma coisa, assina esta coisa e depois se faz de morto e não cumpre, pode pensar que tem honra (fim dos pedágios, piso dos "trabalhadores em educassão", reajuste para o pessoal da Brigada, e mais um monte de promessas e palavras empenhadas que ficarão eternamente no campo das promessas e da falta de palavra?
O embuste é tão corajoso que entrou com a ação e correu para o exterior.
Não esmoreça meu quase tocaio João Luiz Vargas, por que os bandoleiros PeTralha$ latem muito, como guaipecas de rua, mas é só enfrentá-los que colocam a cola entre as pernas e saem de fininho.

Anônimo disse...


VAMOS LÁ JOÃO LUIZ VARGAS, VAMOS METER ESTE LARÁPIO NA CADEIA, A HORA DELE TÁ CHEGANDO. AGORA Q EU ESTAVA PRESTES A RECEBER 1 PRECATÓRINHO, ESTE CANALHA METEU A MÃO, COLOCANDO 4,2 BILHÕES NO CAIXA ÚNICO Q PERTENCIAM AO JUDICIÁRIO.
VAMOS LÁ VARGAS, TU SABES BASTANTE SOBRE ELE.

Anônimo disse...

Se o "poetero" de mão cheia, o "mão peluda", vulgo Tarso Genro (PT), não gostou do livro de João Luiz Vargas, agora mesmo que vou ler esse livro, rs!

Desejo sucesso ao João Luiz Vargas! Que os FATOS, a REALIDADE, a VERDADE desmascarem mais ainda a farsa chamada Tarso Genro, mais um louco dos pampas!

Anônimo disse...

Coragem. A verdade tem de aparecer. Este Tarso vai ser desmoralizado pelas urnas em 2014.

Luiz Vargas disse...

Que honra pode ter alguém que de maneira suja, calhorda e ordinária utilizou instituições de Estado para desmoralizar, desconstruir e quase destruir um governo que tinha o objetivo de tirar o Estado botocudo do atraso e da pré-história em que os bandoleiros PeTralha$ o haviam colocado????
Que honra pode ter alguém que, desde o primeiro dia do governo de uma mulher séria, digna e honesta, utilizou seu cargo e todo a estrutura do aparelho estatal federal de maneira cretina, calhorda e sorrateira para liquidar com uma adversária que teria força de um governo bem feito e resultados de uma agenda positiva em embate eleitoral futuro?
Caso raro em que um embu$teiro e estelionatário se sente prejudicado por alegar ter um predicado que não possui.

Anônimo disse...

A democracia é assim, falou o que não devia e não provou é processado, se fosse na Ditadura Militar, o elemento era tirado fora do ar.

Anônimo disse...

Onde estava Tarso em 1967?