Queda de Dilma Roussef reposiciona o jogo eleitoral para 2014

Serra volta ao combate.

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado pelo jornal Folha de S. Paulo (leia em nota a seguir), que aponta queda de 27 pontos na aprovação da presidenta Dilma Roussef (PT), reposiciona as peças no xadrez tucano da sucessão presidencial. É o que prevê o site www.brasil247.com.br deste sábado. Leia tudo:

José Serra, que nunca deixou de se movimentar para aquela que pode ser sua última chance, ganha novo fôlego. Mas não apenas ele.A questão é simples: no cenário pintado pelo Datafolha, agora todos os gatos são pardos, o que abre caminho até mesmo para que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se apresente e crie um problema a mais para o senador mineiro Aécio Neves. O fermento que faz crescer a ambição dos cardeais do PSDB é o fato de que – a se confirmarem os números do Datafolha, diga-se – desaparece a figura do candidato que vai para o sacrifício numa disputa virtualmente perdida. Há uma possibilidade real de vitória se o jogo for bem feito. O primeiro passo seria conter Serra, o mais pesado entre os nomes do PSDB, muito chamuscado pelas duas últimas derrotas (Dilma e Fernando Haddad, pela Prefeitura de São Paulo). Não será tarefa fácil. O ex-governador paulista já mandou sinais de que, se seus correligionários lhe cassam a legenda, pode se aninhar no Mobilização Democrática, a virtual fusão entre o PMN e o PPS de seu escudeiro Roberto Freire. Uma divisão fatal para o projeto oposicionista.

. Mas divisão não seria um problema exclusivo de PSDB e possíveis aliados. Na base governista, o Datafolha também estimula dissensões. Fortalece claramente as pretensões palacianas do governador pernambucano Eduardo Campos (PSB), que ganha um argumento a mais para defender um projeto comum em torno de seu nome. Ou mesmo em carreira solo, apresentando-se como a terceira via.

. A queda da popularidade de Dilma também complica a já difícil relação com o PMDB e sua sempre oportunista característica que navegar ao sabor do vento. Quanto menor é a expectativa de poder junto a Dilma, mais a nau peemedebista de aproxima de um porto que possa lhe oferecer segurança.

. É evidente, porém, que Dilma pode se recuperar, se impondo do ponto de vista político, promovendo as mudanças que clamam as ruas clamam, sem o temor de confrontar os interesses da parcela raivosa e conservadora no Congresso Nacional e da chamada grande imprensa.

. Nessa retomada, Lula tem papel fundamental.  Mas é uma aposta e um risco. Ao se expor em defesa de Dilma, o ex-presidente pode ressurgir como uma espécie de salvador da pátria num contexto de crise sistêmica.

. E com Lula – o PSDB sabe bem –, o buraco é mais embaixo.

9 comentários:

Anônimo disse...

Uma análise do Datafalha.
Dá para fazer a limonada
Por que a Folha não divulga, nunca, a avaliação PESSOAL da Dilma ?

Diante do Datafalha – “Datafalha, Dilma não caiu” -, o ansioso blog procurou reunir alguns pedaços de analise, consultou o Tirésias, o Oráculo de Delfos, o Vasco e outros confiáveis intérpretes, e se permitiu algumas observações:


Era impossível que, depois do “terremoto neopolítico”, engendrado na “doença infantil do transportismo” não ocorresse uma queda na avaliação da presidenta e de todos políticos, sem exceção.

Porém, Dilma reúne condições para se recuperar por causa dos seus atributos pessoais, do seu governo – o Lulilma – e do campo político do qual faz parte, onde desponta Lula.

Alguns aspectos:

TÉCNICOS

1. Mesmo com a grande queda, o índice ainda é positivo :


a) o número maior é de regular (43%)


b) o segundo é de ótimo e bom (30%)


c) o terceiro ruim e péssimo (25%)

2. Foi mantida a tendência de o aumento do regular ser maior que o do ruim e péssimo;

3. A avaliação por nota continua boa : agora é 5,8 quando antes era de 7,1 (queda de apenas 1,3);

4. Curiosamente, a Folha mais uma vez omite a aprovação pessoal da presidenta (que deve estar
acima de 50% – como, normalmente, existe uma proporcionalidade entre a nota e a aprovação, este índice pode estar girando entre 55% a 58% ;

5. Mesmo com toda a queda, este momento de inflexão de Dilma é maior do que o ponto mais baixo de Lula (28%) e de FHC (13%);

6. E O MELHOR, DO PONTO DE VISTA POLÍTICO : 68% APROVAM A IDÉIA DO PLEBISCITO E 73% ASSEMBLÉIA CONSTITUINTE .


Anônimo disse...

José Serra e Alkmin são melhores que aécio neves, logo, os tres devem fazer uma disputa interna dentro do PSDB e quem ganhar sai candidato a Presidente e os que pederem apoiam.

Anônimo disse...

porra, Serra vai atrapalhar tudo, quer ver so?

vai entrar no jogo, dividir os votos da oposição e a governantA eh capaz de levar mais uma...

de raspão, mas pode levar, sim...

Camile disse...

Ninguém aguenta mais o serra. E o Alckmin puxa muito pro lado paulista da coisa. Espero que o Aécio realmente entre na disputada, pois é o único que tem condições de fazer frente a DIlma ou Lula. Os outros vão apenas ficar em segundo lugar e talvez até no primeiro turno apenas.

Anônimo disse...

Alkmin é melhor candidato, Serra e Aécio que venham para governador, de SP e MG, respectivamente. Se não der, quem deve escolher o candidato são os militantes do PSDB, no voto.

Anônimo disse...

Me nego a votar, pois eles apesar de eleitos por nós não nos representam, mas devo reconhecer que o Serra seria menos ruim para o RGS, os outros nem sabem que fazemos parte do Brasil.


Eduardo Menezes

Anônimo disse...

O Lula é imbatível nas urnas enquanto existirem duas coisas no Brasil: voto obrigatório e imposto sindical obrigatório. Para o PT, falar em acabar com essas duas obrigações é mostrar a cruz para vampiro. Me espanta o PMDB continuar de refém do PT conhecendo estes pontos fracos deles. O dia que quebrarem essa estrutura sindical pelega liderada pela CUT, acaba a "magia" do PT. Simples assim.

Anônimo disse...

Eduardo Menezes, você é o típico bairrista, rs!

É duro, hein, ter que votar nesses frouxos tucanos para tirar uma desgraça maior, como são os petistas/petralhas do poder! Dos três tucanos, não há dúvidas de o José Serra é o mais cagão, o mais esquerdopata, como já foi sobejamente demonstrado nas últimas 3 eleições presidenciais, eleições, estas, que os tucanos entregaram de mão beija da o poder para os petistas/petralhas do Foro de São Paulo! (Entre o Serra e o Alckmin, quem tirou o Lula do sério POR ALGUNS SEGUNDOS deixando-o louco de raiva, quase virando um camarão de tão vermelho, foi o então candidato Geraldo Alckmin, nas eleição de 2006! Falta testosterona nos tucanos! Até a Dilma, pasmem!, tem mais postura de macho do que todos esses tucanos aí!)

Precisamos urgentemente de um mísero partido político de direita nanico que seja para, assim, não sermos constrangidos, seja por patriotismo, seja por amor e respeitos aos Valores e Princípios da cristandade e da Civilização Ocidental de moral judaico-cristã, não termos como opções os tucanos, entre outros políticos esquerdistas!

Almirante Kirk

Anônimo disse...

A saída técnica para é votar na Marina, pena que ela é filha do PT, sendo Senadora e Ministra, mas fazer. Talvez ela se alie ao PT para ganhar.