Oposição une discurso e ataca pesadamente "economia desvairada" do País

Numa tacada só, PSDB, DEM e PPS fazem duras críticas à política econômica. Análise do Instituto Teotônio Vilela, dos tucanos, diz que "país corre o risco de pôr a perder sua maior conquista recente: a estabilidade da moeda". Pelo Twitter, presidente do Democratas, senador Agripino Maia, aponta esgotamento de modelo baseado no "pouco incentivo ao investimento", enquanto Roberto Freire, do PPS, destaca "tombo da indústria no governo petista"

 Os tiros da oposição foram apontados todos na mesma direção nesta sexta-feira 8. PSDB, DEM e PPS, os dois últimos por meio dos presidentes das siglas, fizeram duras críticas à política econômica do País. Inflação, câmbio, pouco incentivo aos investimentos, preços altos e crescimento baixo – os ataques passam por uma série de subtemas que envolvem as decisões da equipe econômica do governo federal.

Análise do Instituto Teotônio Vilela publicada no site do PSDB afirma, por exemplo, que o "país corre o risco de pôr a perder sua maior conquista recente: a estabilidade da moeda". No texto, a entidade aponta que "se a luz amarela já estava acesa há tempos, agora soaram todas as sirenes", depois que o IBGE informou, nesta quinta-feira, que o índice da inflação acumulado dos últimos 12 meses é de 6,15%, próximo da meta do governo, que é de 6,5%.Após incluir opiniões do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini – que admitiu que a inflação não está confortável – e de avaliações de colunistas da imprensa, o texto ataca o PT, acusando o partido de historicamente ter tratado a inflação como "mal menor" e de "não morrer de amores pela austeridade". Mais:

- O descontrole de agora decorre de erros da política econômica posta em prática pelo PT nos últimos anos. As ações do governo, seja o de Lula, seja o de Dilma Rousseff, foram todas voltadas a incentivar a demanda, enquanto a oferta não apenas não crescia como também enfrentava dificuldades ascendentes – como custos em escalada, escassez de mão-de-obra e infraestrutura insuficiente.

PPS - Já por parte do PPS, o ataque veio de Roberto Freire, presidente nacional do partido, que criticou, em artigo, "o tombo da indústria no governo petista". Segundo o deputado, ao contrário do que pensa a presidente Dilma Rousseff, que o Brasil vive uma boa situação econômica, dados "mostram uma realidade tremendamente preocupante na questão do emprego e, particularmente, no setor industrial brasileiro".
Freire aponta a região do ABC Paulista, onde praticamente nasceu o sindicalismo brasileiro e a vida política do ex-presidente Lula, como "um dos exemplos mais emblemáticos de tamanho descalabro causado pela incompetência do governo". O deputado lembra: "O tombo da indústria na região foi dramático em 2012, com o fechamento de 52 mil postos de trabalho formais e informais".

DEM - Pelo Twitter, nesta manhã, o presidente do DEM, José Agripino Maia (RN), não ficou atrás de bater no que considera um modelo "esgotado", baseado, segundo ele, "no expansionismo fiscal descontrolado e no pouco incentivo ao investimento". "É preocupante ver o Brasil inserido no grupo dos que crescem pouco, por um lado; e dos que apresentam índices de preço mais alto, de outro", escreveu o senador.

* Clipping www.brasil247.com.br

8 comentários:

Anônimo disse...

Podem falar mal. 2014 está logo ali, e quem o povp vai lembrar?
DO GOVERNO QUE TIROU MILHÕES DE PESSOAS DA POBREZA!
DO GOVERNO QUE FEZ A ASCENSÃO DOS POBRES A UM NOVO TIPO DE VIDA, A VIDA DE CLASSE MÉDIA!!!
NÃO IMPORTA ESSE BLABLABLA DE BURGUESES QUE ESTAO PERDENDO SUAS REGALIAS, O IMPORTANTE É O BEM ESTAR DA POPULAÇÃO!!!

Unknown disse...

OLHEM SO QUE TRIO: Sergio ANAO DO ORCAMENTO GUERRA, CEL ZE AGRIPINO MAIA e o CONSELHEIRO DE ESTATAL PAULISTA, MESMO MORANDO NO RECIFE, ROBERTINHO FREIRE. Falta apenas a manifestacao do Cachaceiro da Zona Sul Carioca, conhecido como Aecinho das Neves.

Paulo Rocha, Eldorado do Sul disse...

Endosso o pensamento do anônimo das 16:50. Logo 2014 estará aí e todos pensarão naquele que pavimentou o caminho para a ascensão de todos os brasileiros, Fernando Henrique Cardoso. Pena que ele não cogite candidatar-se.

Quem lembra do final dos anos 80, quando o dinheiro praticamente derretia no bolso, depois, aquele horrendo Plano Collor que confiscou os trocados que as pessoas mantinham na poupança.

Anônimo disse...

Classe média com 300 pilas mensais !
Quáquáquáquáquáquáquá !!!!!!
Piada tem hora meu caro, classe média alta com 1000 pilas mensais, ora, vão se catar !!!

Anônimo disse...

Essa oposição e o PIG não tem mais que inventar.....primeiro pregaram que haveria "apagão" e o verão está terminando e nada.....depois a queda das ações da Petrobras, quando o melhor negócio do mundo é o Petroleo. Agora vem com essa....

Corta essa sanguinolentos.

Anônimo disse...

Esse anonimo das 16:50 deve ser um babaca, pois só não vê quem não quer; como poderá continuar o bem estar da população quando no ABC mais de 52.000 trabalhadores perdem o emprego? como poderá continuar o bem estar da população num país que não tem crescimento, ou melhor que tem um pibinho insuficiente e um dos menores do mundo; isto está mostrando um caminho de incapacidade governamental; apesar de dizerem que dinheiro não falta. Um pais que não cresce, chega um momento que o dinheiro faltará para as maracutaias dos governantes e suas contabilidades criativas.
Tudo o que está aí é apenas uma amostra do que virá se esse governo não adotar uma administração confiavel na economia. Um país com economia inconfiável não tem como se manter em crescimento. Este é um filme que já vimos, inclusive no Brasil, em muitos governos. O fato é que os petistas navegarão em ceu de brigadeiro e agora que gastaram mais do que podiam as contas começam a ser cobradas e eles não sabem como pagar; daí que estão destruindo a economia do país; a credibilidade do ministro da economia está chegando a zero, se é que já não chegou. O fim é conhecido. Pena, pois o Brasil tinha tudo para decolar, mas nas mãos de petistas vai para abismo.
Mudança já.

Anônimo disse...

vão lembrar eh do governo que trouxe de volta a inflação, que joga no buraco - de onde na verdade nunca saíram - a tal nova classe-media de 300 reais...

sem falar do governo que quebrou o pais desmantelando o Plano Real e a oficialização da corrupcao como meio de governar...

e a crise ja chegou na geração de empregos, que era a ultima fronteira que ainda resguardava o governo de criticas, porque os preços, esses ja estão fora do controle...

NEWTON disse...

Anônimo das 16:50, o que tirou milhões de brasileiros da pobreza foi a moeda estável, que deixou de corroer mensalmente 30% do dinheiro dos pobres. Financiamento em 24 parcelas ou nais, só com moeda estável ( confiável ). Na privatização das grandes estatais, foi estancada uma hemorragia do tesouro, que permitiu que Lula promovesse esta gastança desenfreada, cuja conta pelo jeito esta vindo ai.
Houveram acertos no governo do PT? Claro que houveram mas deveriamos estar hoje num patamar muito mais elevado e firme.

Mudando de saco para mala, que conversinha mais anacronica esta de " burgueses ".