Microcervejarias catarinenses podem migrar para o RS

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, encaminhou na última terça-feira (26) à Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) a PL 458/2019, que exclui a maioria dos incentivos fiscais de microcervejarias do estado. O projeto proíbe que o crédito presumido seja aplicado ao ICMS ST.

Este é o tributo que mais encarece a cadeia produtiva da bebida. Estima-se que esta ação mais do que dobre a carga tributária da bebida. Por exemplo, numa cerveja que hoje custa R$ 10,00, o imposto vai de R$ 1,44 para R$ 4,11. Santa Catarina tem mais de 100 indústrias que seriam prejudicadas pela medida.

Muitas dessas cervejarias podem se mudar para o Rio Grande do Sul que está entre os estados que mais se destacam neste setor. Em todo o Rio Grande do Sul estima-se 500 marcas de cervejas artesanais produzidas. Somente na capital gaúcha, de acordo com dados da prefeitura de Porto Alegre, o número de microcervejarias é expressivo: são 23 licenciadas e 37 registradas no Ministério da Agricultura, com uma estimativa de 400 fórmulas patenteadas.

9 comentários:

Anônimo disse...

Basta olhar para o resto todo do RS e vão ver que vão custar mais que o triplo se vierem para cá.

Anônimo disse...

Nain Não! Nós temos as nossas cervejarias q também são excelentes. Cada macaco no seu galho.
SC está c problemas devido aos incentivos fiscais. Já estão pesando para o Estado. Governador quis reduzir e empresa ameacaram deixar SC. O jeito foi aumentar ICMS.

Anônimo disse...

SC é puro marketing, é só o governo deles aumentar os impostos que não sobra uma só indústria, já que qualificação e infraestrutura não é o forte dos catarinas.

E pra terminar: as cervejas gaúchas dão de 1000 a 0 nas cervejas dos vizinhos.

Anônimo disse...

Vai lá ver como é fácil fazer negócios.......

Anônimo disse...

Se o comunista fardado de bombeiro aumentar mesmo os tributos, tem muito lugar melhor para migrar antes que RS, ícone do atraso, o Nordeste Meridional. Devagar com o andor.

Anônimo disse...

Quieto.
Leite descobre e faz igual.
Não alarme.

Anônimo disse...

Nordeste meridional??? Ali perto da Índia, na divisa com Bangladesh?

Anônimo disse...

>>

Lembrando aos microcervejeiros catarinenses que se fizerem mesmo essa migração, estarão fazendo um péssimo negócio!

O Rio Grande é um estado falido e atolado em dividas, com um número exagerado de funcionarios e aposentados do serviço público que consomem praticamente quase toda a arrecadação, sobrando quase nada para investimentos.

O Rio Grande possui também um viés politico de esquerda, onde o brizolismo e o lulismo são extremamente fortes e que aparece claramente na Assembléia Legistiva: Seus integrantes repudiam, combatem e lutam contra qualquer tentativa de reformas, modernização ou de melhorias nas contas públicas e no futuro dos gaúchos.

Fiquem em Santa Catarina. Farão um ótimo negócio!

<<

Anônimo disse...

O recalque dos pobres nordestinos escravizados por coronéis sempre me da muita pena