Eis o que a comunista Manuela D'Ávila contou para a PF sobre suas conversações com o líder da quadrilha de hakers, Delgatti Filho

Manuela disse que não entregou todos os posts das conversas que manteve durante 9 dias com o bandido preso, porque não tinha copiado tudo.

A comunista Manuela D’Ávila disse espontaneamente à PF que algumas conversas que teve com o hacker Walter Delgatti Neto, o Vermelho, desapareceram dos arquivos do seu aparelho celular.

Nas fotos, no sentido do relógio, o americano do site sujo The Intercept, o bandido que lidera a quadrilha de hackers presa em Brasília e a comunista Manuela, todos inimigos jurados de Moro.

Segundo o Estadão, “em depoimento prestado à PF no dia 28 de agosto de 2019, Manuela disse que tirou prints das mensagens trocadas com Delgatti, mas que essas ‘fotografias das mensagens’ não incluíam algumas das conversas que ela teve com o hacker e, por isso, não foram incluídas no inquérito policial (…).

No depoimento, a ex-deputada afirma que o contato entre os dois se estendeu pelo menos até o fim de junho. Essas mensagens, porém, não chegaram a ser entregues às autoridades policiais.

Em uma conversa apagada, segundo contou Manuela à PF, Delgatti contava à ex-parlamentar que tinha descoberto quem eram as pessoas por trás do perfil ‘Pavão Misterioso’, uma página no Twitter que promove ataques a Greenwald e à ‘Vaza Jato’, como o site The Intercept Brasil batizou a série de mensagens de procuradores divulgadas.”

45 comentários:

Anônimo disse...

PF de Moro vaza conversa de Manuela com hacker para o Estadão:

O site do Estadão, que foi porta-voz da Lava Jato durante toda a operação, vazou conversa de Manuela com Walter Delgatti para tentar intimidar Glenn Greenwald e a ex-deputada

01/10/2019 - Revista Forum

A Polícia Federal do ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, divulgou seletivamente ao jornal Estadão um inquérito sigiloso sobre as conversas entre a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) e Walter Delgatti, hacker que teve acesso às mensagens de Telegram de procuradores e demais autoridades da Lava Jato.

A matéria “Nove dias de diálogo entre Manoela e o hacker ‘Vermelho’”, publicada nesta terça-feira (1), revela conversas superficiais e de pouca relevância no âmbito da Vaza Jato. Entre comentários sobre a grafia do nome da ex-deputada e menções ao aplicativo de relacionamento Tinder, a reportagem do Estadão assume clara tentativa de incriminar o contato entre os dois.

A reportagem cita que os diálogos estão anexados ao inquérito da Operação Spoofing, com 38 prints de conversas. “A organização das mensagens foi feita pela própria defesa de Manuela e mostram que o diálogo entre os dois continuou mesmo depois que as mensagens roubadas de procuradores da Lava Jato”, diz a matéria.

Um dos destaques da reportagem aos diálogos vazados está em uma fala de Delgatti, que demonstra desejo de expor o teor das conversas interceptadas para “fazer justiça”. “Quero Justiça, não quero dinheiro. Desculpa eu entrar no seu Telegram, foi um mal necessário”, afirmou, acrescentando o fato de ter, segundo ele, “oito Teras (bytes) de coisa errada”.

Em outra parte das conversas, Manuela disse que Glenn era a “melhor pessoa” para ter repassado o conteúdo hackeado. Delgatti, por sua vez, disse que não havia pensado no nome do jornalista antes, mas depois reconheceu ter sido esta a “melhor saída”.

Manuela também se mostrou preocupada com o fato de o celular do então deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) ter recebido uma ligação, do seu Telegram, sem que ela de fato tivesse efetuado tal chamada. “Oi, você ligou para o Jean do meu Telegram?”, questionou Manuela. Walter, imediatamente, respondeu: “Liguei no dia hahahaha. Para tentar falar com ele. Aí quando falei com você. Eu saí e não liguei mais”, diz ele, sugerindo: “Diz que foi um equívoco”. ...

Anônimo disse...

PF de Moro vaza conversa de Manuela com hacker para o Estadão:

O site do Estadão, que foi porta-voz da Lava Jato durante toda a operação, vazou conversa de Manuela com Walter Delgatti para tentar intimidar Glenn Greenwald e a ex-deputada

01/10/2019 - Revista Forum

A Polícia Federal do ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, divulgou seletivamente ao jornal Estadão um inquérito sigiloso sobre as conversas entre a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) e Walter Delgatti, hacker que teve acesso às mensagens de Telegram de procuradores e demais autoridades da Lava Jato.

A matéria “Nove dias de diálogo entre Manoela e o hacker ‘Vermelho’”, publicada nesta terça-feira (1), revela conversas superficiais e de pouca relevância no âmbito da Vaza Jato. Entre comentários sobre a grafia do nome da ex-deputada e menções ao aplicativo de relacionamento Tinder, a reportagem do Estadão assume clara tentativa de incriminar o contato entre os dois.

A reportagem cita que os diálogos estão anexados ao inquérito da Operação Spoofing, com 38 prints de conversas. “A organização das mensagens foi feita pela própria defesa de Manuela e mostram que o diálogo entre os dois continuou mesmo depois que as mensagens roubadas de procuradores da Lava Jato”, diz a matéria.

Um dos destaques da reportagem aos diálogos vazados está em uma fala de Delgatti, que demonstra desejo de expor o teor das conversas interceptadas para “fazer justiça”. “Quero Justiça, não quero dinheiro. Desculpa eu entrar no seu Telegram, foi um mal necessário”, afirmou, acrescentando o fato de ter, segundo ele, “oito Teras (bytes) de coisa errada”.

Em outra parte das conversas, Manuela disse que Glenn era a “melhor pessoa” para ter repassado o conteúdo hackeado. Delgatti, por sua vez, disse que não havia pensado no nome do jornalista antes, mas depois reconheceu ter sido esta a “melhor saída”.

Manuela também se mostrou preocupada com o fato de o celular do então deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) ter recebido uma ligação, do seu Telegram, sem que ela de fato tivesse efetuado tal chamada. “Oi, você ligou para o Jean do meu Telegram?”, questionou Manuela. Walter, imediatamente, respondeu: “Liguei no dia hahahaha. Para tentar falar com ele. Aí quando falei com você. Eu saí e não liguei mais”, diz ele, sugerindo: “Diz que foi um equívoco”. ...

Anônimo disse...

PF de Moro vaza conversa de Manuela com hacker para o Estadão:

O site do Estadão, que foi porta-voz da Lava Jato durante toda a operação, vazou conversa de Manuela com Walter Delgatti para tentar intimidar Glenn Greenwald e a ex-deputada

01/10/2019 - Revista Forum

A Polícia Federal do ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, divulgou seletivamente ao jornal Estadão um inquérito sigiloso sobre as conversas entre a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) e Walter Delgatti, hacker que teve acesso às mensagens de Telegram de procuradores e demais autoridades da Lava Jato.

A matéria “Nove dias de diálogo entre Manoela e o hacker ‘Vermelho’”, publicada nesta terça-feira (1), revela conversas superficiais e de pouca relevância no âmbito da Vaza Jato. Entre comentários sobre a grafia do nome da ex-deputada e menções ao aplicativo de relacionamento Tinder, a reportagem do Estadão assume clara tentativa de incriminar o contato entre os dois.

A reportagem cita que os diálogos estão anexados ao inquérito da Operação Spoofing, com 38 prints de conversas. “A organização das mensagens foi feita pela própria defesa de Manuela e mostram que o diálogo entre os dois continuou mesmo depois que as mensagens roubadas de procuradores da Lava Jato”, diz a matéria.

Um dos destaques da reportagem aos diálogos vazados está em uma fala de Delgatti, que demonstra desejo de expor o teor das conversas interceptadas para “fazer justiça”. “Quero Justiça, não quero dinheiro. Desculpa eu entrar no seu Telegram, foi um mal necessário”, afirmou, acrescentando o fato de ter, segundo ele, “oito Teras (bytes) de coisa errada”.

Em outra parte das conversas, Manuela disse que Glenn era a “melhor pessoa” para ter repassado o conteúdo hackeado. Delgatti, por sua vez, disse que não havia pensado no nome do jornalista antes, mas depois reconheceu ter sido esta a “melhor saída”.

Manuela também se mostrou preocupada com o fato de o celular do então deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) ter recebido uma ligação, do seu Telegram, sem que ela de fato tivesse efetuado tal chamada. “Oi, você ligou para o Jean do meu Telegram?”, questionou Manuela. Walter, imediatamente, respondeu: “Liguei no dia hahahaha. Para tentar falar com ele. Aí quando falei com você. Eu saí e não liguei mais”, diz ele, sugerindo: “Diz que foi um equívoco”. ...

Anônimo disse...

PF de Moro vaza conversa de Manuela com hacker para o Estadão:

O site do Estadão, que foi porta-voz da Lava Jato durante toda a operação, vazou conversa de Manuela com Walter Delgatti para tentar intimidar Glenn Greenwald e a ex-deputada

01/10/2019 - Revista Forum

A Polícia Federal do ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, divulgou seletivamente ao jornal Estadão um inquérito sigiloso sobre as conversas entre a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) e Walter Delgatti, hacker que teve acesso às mensagens de Telegram de procuradores e demais autoridades da Lava Jato.

A matéria “Nove dias de diálogo entre Manoela e o hacker ‘Vermelho’”, publicada nesta terça-feira (1), revela conversas superficiais e de pouca relevância no âmbito da Vaza Jato. Entre comentários sobre a grafia do nome da ex-deputada e menções ao aplicativo de relacionamento Tinder, a reportagem do Estadão assume clara tentativa de incriminar o contato entre os dois.

A reportagem cita que os diálogos estão anexados ao inquérito da Operação Spoofing, com 38 prints de conversas. “A organização das mensagens foi feita pela própria defesa de Manuela e mostram que o diálogo entre os dois continuou mesmo depois que as mensagens roubadas de procuradores da Lava Jato”, diz a matéria.

Um dos destaques da reportagem aos diálogos vazados está em uma fala de Delgatti, que demonstra desejo de expor o teor das conversas interceptadas para “fazer justiça”. “Quero Justiça, não quero dinheiro. Desculpa eu entrar no seu Telegram, foi um mal necessário”, afirmou, acrescentando o fato de ter, segundo ele, “oito Teras (bytes) de coisa errada”.

Em outra parte das conversas, Manuela disse que Glenn era a “melhor pessoa” para ter repassado o conteúdo hackeado. Delgatti, por sua vez, disse que não havia pensado no nome do jornalista antes, mas depois reconheceu ter sido esta a “melhor saída”.

Manuela também se mostrou preocupada com o fato de o celular do então deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) ter recebido uma ligação, do seu Telegram, sem que ela de fato tivesse efetuado tal chamada. “Oi, você ligou para o Jean do meu Telegram?”, questionou Manuela. Walter, imediatamente, respondeu: “Liguei no dia hahahaha. Para tentar falar com ele. Aí quando falei com você. Eu saí e não liguei mais”, diz ele, sugerindo: “Diz que foi um equívoco”. ...

Anônimo disse...

PF de Moro vaza conversa de Manuela com hacker para o Estadão:

O site do Estadão, que foi porta-voz da Lava Jato durante toda a operação, vazou conversa de Manuela com Walter Delgatti para tentar intimidar Glenn Greenwald e a ex-deputada

01/10/2019 - Revista Forum

A Polícia Federal do ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, divulgou seletivamente ao jornal Estadão um inquérito sigiloso sobre as conversas entre a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) e Walter Delgatti, hacker que teve acesso às mensagens de Telegram de procuradores e demais autoridades da Lava Jato.

A matéria “Nove dias de diálogo entre Manoela e o hacker ‘Vermelho’”, publicada nesta terça-feira (1), revela conversas superficiais e de pouca relevância no âmbito da Vaza Jato. Entre comentários sobre a grafia do nome da ex-deputada e menções ao aplicativo de relacionamento Tinder, a reportagem do Estadão assume clara tentativa de incriminar o contato entre os dois.

A reportagem cita que os diálogos estão anexados ao inquérito da Operação Spoofing, com 38 prints de conversas. “A organização das mensagens foi feita pela própria defesa de Manuela e mostram que o diálogo entre os dois continuou mesmo depois que as mensagens roubadas de procuradores da Lava Jato”, diz a matéria.

Um dos destaques da reportagem aos diálogos vazados está em uma fala de Delgatti, que demonstra desejo de expor o teor das conversas interceptadas para “fazer justiça”. “Quero Justiça, não quero dinheiro. Desculpa eu entrar no seu Telegram, foi um mal necessário”, afirmou, acrescentando o fato de ter, segundo ele, “oito Teras (bytes) de coisa errada”.

Em outra parte das conversas, Manuela disse que Glenn era a “melhor pessoa” para ter repassado o conteúdo hackeado. Delgatti, por sua vez, disse que não havia pensado no nome do jornalista antes, mas depois reconheceu ter sido esta a “melhor saída”.

Manuela também se mostrou preocupada com o fato de o celular do então deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) ter recebido uma ligação, do seu Telegram, sem que ela de fato tivesse efetuado tal chamada. “Oi, você ligou para o Jean do meu Telegram?”, questionou Manuela. Walter, imediatamente, respondeu: “Liguei no dia hahahaha. Para tentar falar com ele. Aí quando falei com você. Eu saí e não liguei mais”, diz ele, sugerindo: “Diz que foi um equívoco”. ...

Anônimo disse...

PF de Moro vaza conversa de Manuela com hacker para o Estadão:

O site do Estadão, que foi porta-voz da Lava Jato durante toda a operação, vazou conversa de Manuela com Walter Delgatti para tentar intimidar Glenn Greenwald e a ex-deputada

01/10/2019 - Revista Forum

A Polícia Federal do ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, divulgou seletivamente ao jornal Estadão um inquérito sigiloso sobre as conversas entre a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) e Walter Delgatti, hacker que teve acesso às mensagens de Telegram de procuradores e demais autoridades da Lava Jato.

A matéria “Nove dias de diálogo entre Manoela e o hacker ‘Vermelho’”, publicada nesta terça-feira (1), revela conversas superficiais e de pouca relevância no âmbito da Vaza Jato. Entre comentários sobre a grafia do nome da ex-deputada e menções ao aplicativo de relacionamento Tinder, a reportagem do Estadão assume clara tentativa de incriminar o contato entre os dois.

A reportagem cita que os diálogos estão anexados ao inquérito da Operação Spoofing, com 38 prints de conversas. “A organização das mensagens foi feita pela própria defesa de Manuela e mostram que o diálogo entre os dois continuou mesmo depois que as mensagens roubadas de procuradores da Lava Jato”, diz a matéria.

Um dos destaques da reportagem aos diálogos vazados está em uma fala de Delgatti, que demonstra desejo de expor o teor das conversas interceptadas para “fazer justiça”. “Quero Justiça, não quero dinheiro. Desculpa eu entrar no seu Telegram, foi um mal necessário”, afirmou, acrescentando o fato de ter, segundo ele, “oito Teras (bytes) de coisa errada”.

Em outra parte das conversas, Manuela disse que Glenn era a “melhor pessoa” para ter repassado o conteúdo hackeado. Delgatti, por sua vez, disse que não havia pensado no nome do jornalista antes, mas depois reconheceu ter sido esta a “melhor saída”.

Manuela também se mostrou preocupada com o fato de o celular do então deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) ter recebido uma ligação, do seu Telegram, sem que ela de fato tivesse efetuado tal chamada. “Oi, você ligou para o Jean do meu Telegram?”, questionou Manuela. Walter, imediatamente, respondeu: “Liguei no dia hahahaha. Para tentar falar com ele. Aí quando falei com você. Eu saí e não liguei mais”, diz ele, sugerindo: “Diz que foi um equívoco”. ...

Anônimo disse...

Repercussão

O diretor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, respondeu à matéria do Estadão e lembrou que “Manuela entregou voluntariamente o telefone dela à PF e ofereceu ir ao Congresso, enquanto Deltan recusou. Flávio tenta parar investigações em suas finanças, enquanto David Miranda deu voluntariamente tudo ao tribunal: A diferença entre quem tem coisas a esconder e quem não”.

O editor do The Intercept, Leandro Demori, também respondeu à reportagem. “Sem pedir uma única vez sequer o outro lado do Intercept. É assim o padrão aí no seu jornal, Estadão?”, escreveu.

Fonte: Revista Forum

Anônimo disse...

Repercussão

O diretor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, respondeu à matéria do Estadão e lembrou que “Manuela entregou voluntariamente o telefone dela à PF e ofereceu ir ao Congresso, enquanto Deltan recusou. Flávio tenta parar investigações em suas finanças, enquanto David Miranda deu voluntariamente tudo ao tribunal: A diferença entre quem tem coisas a esconder e quem não”.

O editor do The Intercept, Leandro Demori, também respondeu à reportagem. “Sem pedir uma única vez sequer o outro lado do Intercept. É assim o padrão aí no seu jornal, Estadão?”, escreveu.

Fonte: Revista Forum

Anônimo disse...

Repercussão

O diretor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, respondeu à matéria do Estadão e lembrou que “Manuela entregou voluntariamente o telefone dela à PF e ofereceu ir ao Congresso, enquanto Deltan recusou. Flávio tenta parar investigações em suas finanças, enquanto David Miranda deu voluntariamente tudo ao tribunal: A diferença entre quem tem coisas a esconder e quem não”.

O editor do The Intercept, Leandro Demori, também respondeu à reportagem. “Sem pedir uma única vez sequer o outro lado do Intercept. É assim o padrão aí no seu jornal, Estadão?”, escreveu.

Fonte: Revista Forum

Anônimo disse...

Repercussão

O diretor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, respondeu à matéria do Estadão e lembrou que “Manuela entregou voluntariamente o telefone dela à PF e ofereceu ir ao Congresso, enquanto Deltan recusou. Flávio tenta parar investigações em suas finanças, enquanto David Miranda deu voluntariamente tudo ao tribunal: A diferença entre quem tem coisas a esconder e quem não”.

O editor do The Intercept, Leandro Demori, também respondeu à reportagem. “Sem pedir uma única vez sequer o outro lado do Intercept. É assim o padrão aí no seu jornal, Estadão?”, escreveu.

Fonte: Revista Forum

Anônimo disse...

Repercussão

O diretor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, respondeu à matéria do Estadão e lembrou que “Manuela entregou voluntariamente o telefone dela à PF e ofereceu ir ao Congresso, enquanto Deltan recusou. Flávio tenta parar investigações em suas finanças, enquanto David Miranda deu voluntariamente tudo ao tribunal: A diferença entre quem tem coisas a esconder e quem não”.

O editor do The Intercept, Leandro Demori, também respondeu à reportagem. “Sem pedir uma única vez sequer o outro lado do Intercept. É assim o padrão aí no seu jornal, Estadão?”, escreveu.

Fonte: Revista Forum

Anônimo disse...

Repercussão

O diretor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, respondeu à matéria do Estadão e lembrou que “Manuela entregou voluntariamente o telefone dela à PF e ofereceu ir ao Congresso, enquanto Deltan recusou. Flávio tenta parar investigações em suas finanças, enquanto David Miranda deu voluntariamente tudo ao tribunal: A diferença entre quem tem coisas a esconder e quem não”.

O editor do The Intercept, Leandro Demori, também respondeu à reportagem. “Sem pedir uma única vez sequer o outro lado do Intercept. É assim o padrão aí no seu jornal, Estadão?”, escreveu.

Fonte: Revista Forum

Anônimo disse...

Repercussão

O diretor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, respondeu à matéria do Estadão e lembrou que “Manuela entregou voluntariamente o telefone dela à PF e ofereceu ir ao Congresso, enquanto Deltan recusou. Flávio tenta parar investigações em suas finanças, enquanto David Miranda deu voluntariamente tudo ao tribunal: A diferença entre quem tem coisas a esconder e quem não”.

O editor do The Intercept, Leandro Demori, também respondeu à reportagem. “Sem pedir uma única vez sequer o outro lado do Intercept. É assim o padrão aí no seu jornal, Estadão?”, escreveu.

Fonte: Revista Forum

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Manuela pedirá a PF para divulgar íntegra de conversas com hacker:

05 out, 2019 - Congresso em Foco

A ex-deputada Manuela D'ávila (PC do B-RS) afirmou nesta sexta-feira (4) que vai pedir a Polícia Federal para poder divulgar a íntegra das conversas entre ela e o hacker Walter Delgatti Neto.

O advogado de Manuela, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, disse ao Congresso em Foco que será pedido que "ela possa divulgar sem ferir o sigilo do inquérito".

Delgatti é um dos hackers apontados pela PF como responsáveis por invadir as mensagens de autoridades dos Três Poderes. Ele prestou depoimento à Polícia afirmando que fez contato com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept, por intermédio de Manuela.

Nunca escondi nada. Entreguei voluntariamente meu celular A PF. Agora pedirei a PF a liberação do conteúdo das minhas conversas na integra. Assim a manipulação acabará!

O Intercept faz desde o dia 9 de junho faz uma séries de reportagens que revelam que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, atuava em conluio com os procuradores da Lava Jato na condução da operação quando era o juiz responsável por analisar os casos de 1ª instância em Curitiba.

No dia 28 de agosto, a ex-candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) foi à sede da Polícia Federal em Brasília entregar seu celular para a perícia. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela também afirma que antes de ir a Brasília havia encaminhado as capturas de tela de todas as mensagens trocadas com o hacker.

Anônimo disse...

Polibio, limpa esses comentários da Esquerda Escarlate que só tem poluído o espaço de comentários

Anônimo disse...

Nofa! 😱

Anônimo disse...

A PF do Moro vaza tudo que tem contra a Manuela, mas não vazam onde está o Queiroz.....

Anônimo disse...

ao contrário de Deltan Dallagnol, Manuela Dávila entrega seu celular para ser periciado pela Polícia Federal, com os diálogos que manteve com os hackers. Os policiais-repórteres da PF tratam de vazar os diálogos para os repórteres-policiais da mídia, tratando o caso como uma revelação secreta de segredos recônditos. E jornalistas que questionaram o vazamento de informações do Intercept – prática jornalista saudável – se cala com os vazamentos da PF – vazamento efetuado por agente público, portanto prática criminosa.

Anônimo disse...

Ih, Polibio, estão AVERMELHANDO o teu blog! Comentários quilométricos repetidos por CINCO
SEIS ou MAIS VEZES tomando GRANDES ESPAÇOS tem por objetivo SABOTAR o TEU BLOG e ESCORRAÇAR teus leitores! Estão querendo "em nome da democracia cubana" fazer do teu blog uma FILIAL DO sujo 247 e DE GRÁTIS! ACORDA, INDIO VELHO, que esta comunistalha é MEDONHA!

Anônimo disse...

Todos os posts desta notícia até as 20:11h foram feitos por uma mesma pessoa em um típico recorta e cola de um esquerdista descerebrado!

Eduardo Thomas Turbando disse...

Atenção PF: aperta a Manú que ela peida na farofa.
OBS.Polibio, não me censure porque tem outro comentário no blog com a mesma expressão.

Anônimo disse...

É evidente que houve crime de encomenda por parte dos receptadores da informação roubada. E todo mundo esqueceu, propositalmente, claro, quem é o maior beneficiário. O Lula! O Gilmar Mendes já está usando sem nenhuma cerimônia nem vergonha, informações roubadas e ilegais para anular a Lavajato, desmoralizar o Moro a anular a sentença do Lula. O maior benficiário da conversa gravada, totalmente irrelevante, diga-se claramente, é o Lula. E o Gilmar Mendes que parece muito acuado e dessesperado por anular a Lavajato tenta fazer um omelete sem ovo.

Anônimo disse...

Ainda tem gente que defende esta pilantra comunista? Por isso que o Brasil tá nesta merdinha. Tem que exterminar comunistas, petistas...limpar o Brasil destes ratos. Defender esta escumalha. Bando de retardados

Anônimo disse...

fake news

Anônimo disse...

Calma, daqui a cem anos vão estár todos mortos e o Brasil será liberto. O segredo é nao deixar assas phestes reproduzirem.

Anônimo disse...

Calma, daqui a cem anos vão estár todos mortos e o Brasil será liberto. O segredo é nao deixar assas phestes reproduzirem.

Anônimo disse...

A Manuele entregou só o que interessava, o resto ele "apagou sem querer", é sei, foi um acidente.
O Dallagnol não tem mais segredo, já roubaram tudo.

Alan Pessoa disse...

Erroouuuu! A PF não é do Moro, é do Brasil. Mas e o Adélio?

Anônimo disse...

Onde está o mandante do Adélio Bispo? Onde estão os outros 21 Deputados da Alerj investigados pelo Coaf? Vaza, PF! Vaza os dados, PF! Vamos calar esses vermelhos!

Anônimo disse...

O que tu escreveu é muito longo e repete ainda por cima.
Está enrolação é para proteger a Manuela da exposição ou contra ela.
Acho que a protege.

Anônimo disse...

"TE ACORDA INDIO VELHO"

"TÁ QUE NEM CORNO MANSO QUE FAZ QUE NÃO VIU"

"TÁ COCHILANDO E O CACHIMBO VAI CAIR"

COMENTARISTAS RECLAMANTES TEM RAZÃO, COMENTARIOS QUILOMETRICOS DE PROFISSIONAIS PETRALHAS,DESTRUIR O QUE CONSTRUISTE!

TU NÃO FICA AI QUE NEM CORNO QUE FAZ DE CONTA QUE NÃO VIU, POIS COCHILANDO O CACHIMBO VAI CAIR DA TUA BOCA... QUEREM POLUIR E ESPANTAR !

LOGO LOGO VÃO PUBLICAR LIVROS DA BIBLIA INTEIROS VARIAS VEZES...

TEM RAZÃO SIM OS RECLAMANTES.TODO MUNDO TÁ VENDO E SÓ TU NÃO?

ESTE BLOG SÓ É TEU E EXISTE PORQUE TAMBÉM É NOSSO E TE PRESTIGIAMOS.

SE DEIXAR ESTES FEDORENTOS NO NOSSO AMBIENTE...

Anônimo disse...

Políbio, tá ficando difícil acessar teu blog, os petralhas ladrões de dinheiro público invadem teu blog, com comentários repetidos várias vezes. Tu não tá percebendo isso...??? Alguém acredita no que essa revista FORUM publica...??? é da mesma linha do Brasil 247, são da quadrilha do PT, que assaltaram o dinheiro público. Estão todos MILIONÁRIOS até o ano 3000 mil.

Anônimo disse...

Manuela LOVE NEW YORK Davilla...

Comunista de boutique e velejadora IPHONE...

Cidadã Quem?

Lenin e Stalin estao orgulhosos.

Luiz Vargas disse...

Incrível!
Como este site se sujeita a replicar várias vezes uma PosTagem efetuada por algum pau mandado da comuni$ta Manuela D'Ávila?
Isto faz parecer que este site é um site esquerdoPaTa!

Anônimo disse...

Ao anônimo 6 de outubro de 2019 11:21.
Pintar os comentário petistas de vermelho (a cor do PT) já seria suficiente.

Vamos exterminar esquerdopatas? disse...


Tem alguém que acredita nesta canalha vagabunda da Manuela. Só serve de lixo que é o que todos os esquerdopatas são. Vamos exterminar esquerdopatas. Morte a todos.

Anônimo disse...

Comunistinha Manú cretina...

Anônimo disse...

É verdade que o Lênin está conservado em formol em Moscou?
Alguém falou isto.
Custa crer.
Não crêem em Deus, mas veneram um embalsamado.