Vereadores de Porto Alegre até votarão novo IPTU, mas deixarão as propostas de redução de despesas para depois das eleições do Brasil

A maioria dos vereadores de Porto Alegre vai esquartejar o pacote de projetos enviados pelo prefeito Marchezan Júnior com pedido de urgência.

Votará o que resultar em melhoria da arrecadação.

E mandará para a terceira gaveta os projetos que reduzem despesas, como são os casos da reforma administrativa no campo dos recursos humanos.

Nota do editor - O ex-governador Borges de Medeiros possuía três gavetas na sua escrivaninha de despachos. A primeira delas era para assuntos urgentes, a segunda abrigava temas que podiam esperar um pouco e a terceira era destinada aos casos que se resolviam por si mesmos.

Um comentário:

Anônimo disse...


Acho que a informação de 22 dos 36 vereadores de Porto Alegre concorrerem a algum cargo é muito importante no resultado das votações. A Câmara de vereadores poderia realmente também acabar com o tal do recesso legislativo. No final é um Mês de Licença Prêmio por ano chegando 5 meses em 5 anos. Falo nisto porque no inicio da legislatura o vereador mal foi eleito nem tem um ano de trabalho e já entra em recesso. A licença Prêmio dos servidores que alguns vereadores devem terminar equivale a 3 meses para cada cinco (05) anos de trabalho sem falta e punição. No final das contas os vereadores ainda praticamente não trabalham na sexta feira...Não vi nenhuma medida de redução de gastos proposto pelo Presidente da casa que ajudem as finanças da cidade.