Odebrecht diz a Moro que comprou com dinheiro sujo terreno para Instituto Lula e apartamento para Lula

O ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht prestou depoimento ao juiz Sergio Moro nesta segunda-feira, disse que o ex-presidente Lula foi beneficiário de pagamentos em espécie da empreiteira e afirmou que o petista sabia da existência de uma planilha com uma “conta” que a empresa possuía com o PT.

A Istoé já tinha contado esta história escabrosa.

Marcelo Odebrecht foi ouvido em ação penal sobre o favorecimento ao ex-presidente pela empreiteira com a compra de um terreno para o Instituto Lula, em São Paulo, e de um apartamento vizinho ao que mora, em São Bernardo do Campo (SP). 

Esse é o segundo processo do ex-presidente sob responsabilidade de Moro.

Em mais de três horas de depoimento, ele falou sobre a relação da empreiteira com os governos do PT e disse que um dos motivos para os pagamentos a Lula era manter a influência sobre Dilma Rousseff, considerada uma “incógnita” pela empresa quando assumiu o governo, em 2011.
O empreiteiro disse que foi criada uma conta apelidada de “Amigo” para atender a interesses de Lula. O gerenciamento, disse ele, cabia ao ex-ministro Antonio Palocci, que está preso no Paraná.

Marcelo Odebrecht afirmou que os pagamentos foram feitos por meio de Branislav Kontic, ex-assessor de Palocci e também réu, e somaram R$ 9 milhões em 2012 e 2013.

Sobre a compra do terreno para o instituto, disse que foi procurado por José Carlos Bumlai, amigo do presidente e também condenado na Lava Jato, para providenciar a aquisição. Palocci, contou o empreiteiro, autorizou que a quantia despendida, R$ 12,5 milhões, fosse debitada da conta “Amigo”.

23 comentários:

Anônimo disse...

Por favor editor; nao deixe de nós informar quando a caravana de lula visitará a região sul e sudeste. Grata

Anônimo disse...

Não festeje, Temer. Acharam o apartamento-cofre de Geddel

FERNANDO BRITO · 05/09/2017 - O Tijolaço

grana

É bom suspender a encomenda de champagne do Palácio do Planalto para comemorar o “sorvete na testa” de Rodrigo Janot.

Na Semana da “Flechada Final”, ao que parece, tem muito para acontecer.

A descoberta de uma – literalmente – montanha de dinheiro num apartamento da Rua Barão de Loreto, no bairro da Graça, em Salvador, que havia sido emprestado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima recolocou Temer debaixo de fogo.

Daqui a pouco deve-se ter o valor, mas tudo indica que é a casa de dezenas de milhões de reais.

Coisa de fazer as malas de Rocha Loures e Aécio Neves parecerem “pochetes”.

Grana que Geddel, com certeza, não ganhou vendendo acarajé.

Geddel, ao contrário de Cunha, não deu sumiço no que recebeu em dinheiro vivo e a razão mais provável para isso é que tinha de repassar e, com a delação da JBS, deve ter ouvido um “guenta aí”.

É a reviravolta da reviravolta, em menos de 24 horas.

E, sem dúvida, a imagem do dia, que vai falar mais alto que os diálogos abandidados de Joesley Batista.

O Jornal Nacional vai ser uma festa até na China.

Anônimo disse...

Provavelmente mais um caminhão de informações sem provas para iludir os coxinhas que apoiaram o golpe...Não espero nada diferente desse tipo de revista!

Anônimo disse...

Cadeia para LULA .!!!

Anônimo disse...

Combinar para Joesley gravar é crime. Só não é quando Moro combina?

FERNANDO BRITO · 05/09/2017 - O Tijolaço

No rompimento da barragem de lama da Procuradoria Geral da República ficamos sabendo, com grande escândalo, que as gravações feitas por Joesley Batista foram solicitadas e orientadas pelo Ministério Público.

Muito bem, isso é correto? Se não é, porque o Tribunal Regional Federal da 4ª Região referendou a atitude do “juiz-investigador” Sérgio Moro em fazer o mesmo com um dos delatores do caso Banestado, como se lê no voto do desembargador José Paulo Baltazar Junior, em caso em que o juiz, defendido por sua mulher Rosângela, era parte nos embargos de um pedido de nulidade?

Leia só o trecho do voto de Baltazar dizendo que um dos condenados por Moro o havia caluniado ao dizer que ele mandara fazer grampos ilegais:

De fato, o réu fez acusação falsa ao afirmar na entrevista do dia 15.03.2006 que o Juiz Sérgio Fernando Moro teria ordenado Tony Garcia fazer um “grampo” ilegal contra a pessoa do Presidente do Tribunal de Contas do Paraná.

Trata-se de afirmação que diz respeito a fato definido como crime, pois a interceptação telefônica com objetivos não autorizados está prevista como crime no art. 10 da Lei 9.296/96.

Sucede que o magistrado ofendido havia autorizado no acordo de delação premiada (autos 2004.70.00.043116-0), a pedido do Ministério Público Federal, que a pessoa de Tony Garcia gravasse conversas que passaria a entabular com outras pessoas. Se uma dessas pessoas que travou conversação com Tony Garcia era o Presidente do Tribunal de Contas do Paraná, é decorrência natural da medida. Aliás, tal autorização seria inclusive dispensável, pois é notório que a gravação de conversa por um dos interlocutores não equivale a interceptação telefônica.

Então, por favor, pode ou não pode?

Se isso não vale para o delator Joesley Batista, como é que valia no Paraná? E se uma das pessoas que travou conversação com ele foi o Presidente da República, não se aplica o mesmo conceito que o presidente do TCE paranaense, que igualmente dispõe de foro privilegiado?

O voto do Relator, aprovado pelos seus pares, nos EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE Nº 0011412-81.2007.404.7000/PR estão à disposição de qualquer um.

Alberto disse...

Ué? Ainda não prenderam o Brahma/Barba/Amigo/Luladrão porque?

Anônimo disse...

A incrível história de Odebrecht: corrupção a contragosto do “corrupto”:

FERNANDO BRITO · 05/09/2017 - O Tijolaço

Só na mente obnubilada pelos “olhos brilhantes” da turma de Curitiba podem fazer sentido as acusações do delator Marcelo Odebrecht, ontem, a Sergio Moro sobre o terreno que “foi doado, mas não foi doado” ao Instituto Lula e o apartamento que “foi comprado, mas é alugado” ao lado daquele em que vive, há mais de 20 anos, o ex-presidente.

Marcelo diz, segundo ao UOL, que queria “fazer uma doação desse valor ao Instituto Lula, mas o ex-presidente seria contra isso. Com isso, segundo o empresário, houve pedidos que “tinham que ser feitos de modo não contabilizado”…

Repare: Lula não estava mais na Presidência, não havia impedimento legal para doação ao Instituto Lula, seja de que valor fosse, o dinheiro estaria limpo e legal para comprarem o que quisessem mas os “malvados” queriam mesmo é na base da corrupção…

Ah, mas eles queriam o terreno. Queriam? Se Marcelo, o acusador, diz que “Lula acabou aceitando” e que não sabe se ele “bateu o martelo”?

Como, se tudo o que foi dito que tinha de ser exatamente aquele o imóvel, mesmo com a recomendação contrária do avaliador (que também depôs 0ntem, quase tudo na base do “eu imagino”, “eu desconfio”, “eu não estava presente” e “soube pela denúncia” ) teriam insistido que fosse aquele?

Ah, e como Marcelo tem certeza que Lula estava a par de tudo? Porque falou com o pai, que falou ao Lula, que falou a Antonio Palocci, que falou com ele.

Bom, o pai não falou isso, mas alguém acha que não falará, em troca do filho ser solto, em dezembro? E tudo o mais é “falou com ele, falou com aquele”.

Novamente, não há nenhum fato ou documento que sustente a acusação, senão que alguém, na Odebrecht ou fora dela, pensou em fazer um negócio envolvendo o terreno, mas não que Lula tivesse ciência ou participado disso. E é evidente que não houve este negócio. Muito menos há qualquer ligação com o caso Petrobras que justificasse o “caso” (se é que há um caso” estivesse com Sérgio Moro, como ressalta a nota da defesa de Lula, que reproduzo abaixo.

Sobressai do depoimento prestado hoje (04/08) por Marcelo Odebrecht que não há qualquer relação entre os temas discutidos na Ação Penal n. 50631301172016404-70000 e a Petrobras e, ainda, que o ex-executivo não tratou de qualquer contrapartida com o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Marcelo, que é delator, negou peremptoriamente qualquer atuação em relação aos 8 contratos indicados na denúncia e ainda que tenha tratado de qualquer contrapartida em relação a esses contratos em favor de Lula.

Com esse depoimento Marcelo destrói a acusação apresentada pelo Ministério Público Federal. Lula foi acusado nesse processo porque segundo a versão do MPF ele teria recebido 2 imóveis em contrapartida por ter atendido a pedido de favorecimento de Marcelo Odebrecht em relação a esses 8 contratos firmados pela Petrobras.

O depoimento de Paulo Melo mostrou as fragilidades das declarações de Marcelo Odebrecht em relação a Lula e ao Instituto Lula.

A verdade é que Lula jamais recebeu a propriedade ou a posse de qualquer dos imóveis indicados pelo MPF, muito menos em contrapartida de qualquer atuação em contratos firmados pela Petrobras.

Mais uma vez registramos no início da audiência o cerceamento de defesa imposto ao ex-Presidente Lula. O MPF está tendo acesso a documentos que são negados à defesa de Lula. Por isso impetramos também hoje habeas corpus perante o Tribunal Regional Federal da 4a. Região objetivando reverter essa ilegalidade.

Anônimo disse...

Estes muquiranas de Curitiba são completamente bitolados.Cognição(deliberada) zero.Pernosticismo 1000.Até quando teremos que conviver com essa absoluta miséria moral....................

Anônimo disse...

Além de sermos obrigados a conviver com essa absoluta miséria moral, somos obrigados também a pagar os astronômicos gastos disto tudo, incluindo os obscenos salários do juizeco (palavras do Senador Requião) moro.

Anônimo disse...

Mais uma vez, marcelo odebrecht "patinando na própria merda", usando apenas de "parlapatórios para bovinos dormitarem", sem nenhum embasamento documental, nada!! E o canalha moro segue na sua insana cruzada de acusar e condenar Lula baseado em "nuvens de convicções"...

Anônimo disse...

E para completar tua indignação muito bem expressa com jargao nordestino: Lava Jato constituida por imbecis chupadores de pica de cigano.
Para quem não é afeito a esta singular expressao: imbecis metidos a adivinhações

Anônimo disse...

Os empresários visivelmente mentem, mas ao menos eles têm atenuantes, que é o fato de almejarem a própria liberdade ou a liberdade de seus chegados. Ademais, como sabem que suas mentiras nunca poderão ser provadas, ao menos em tese suas mentiras são inconsequentes do ponto de vista legal.
Quem teria por obrigação conduzir os processos respeitando a lei e o Estado de Direito é o MPF e o Juiz do caso mas, ao invés disso, atuam em nome de suas simpatias e ideológicas.

Anônimo disse...

Boa tarde,

(…)

Olha eu vou falar pra tu
Pra tu falar pra ela
Pra ela falar pra ele
Pra ele falar pra eu
Vou falar para o pai dela e também para a mãe dela
Pra poder falar com ela
Para ela vim falar com eu
(…)

https://www.letras.mus.br/tiririca/369908/

Anônimo disse...

Gedel não era o Ministro do Lula, digo da Transposição que não terminou no desgoverno do PT?Na época só corria verbas nos canais, água só agora está passando graças ao govetno Temer.

Anônimo disse...

Não esqueçamos também do Delcidio e do homem do boi que para se safarem do chilindro tentaram incriminar o Lula e deram com os burros na água. Somente a mídia (Globo) lucrou com isso pois denegrir petistas é bem a cara deles. É só pra lembrar mesmo.

Anônimo disse...

Prá quem era o terreno?
Pro Lula.
Quando você deu o terreno à ele?
Nunca
O que ele disse quando você falou que ia dar o terreno?
Eu nunca falei com ele sobre isso.
Mas ele sabia da doação?
Devia saber. O filho do cunhado do vizinho da empregada da mãe do síndico do de um condomínio onde mora o genro do motorista do Uber me falou.

Anônimo disse...

Por enquanto, 8 milhões de reais no esconderijo de Geddel:

Brasil 05.09.17 16:24 - O antaginista

A PF já contou 8 milhões de reais escondidos no apartamento de Geddel Vieira Lima.

Mas ainda tem muito para contar.

Anônimo disse...

A “dívida” de Temer será perdoada?

Brasil 05.09.17 16:43 - O Antagonista

Michel Temer não pagou toda a fatura para barrar na Câmara a primeira denúncia contra ele.

Ainda vão cobrá-lo?

É só outra pergunta.

Anônimo disse...

Temer: “Eu não disse?”

Brasil 05.09.17 14:39 - O Antagonista

Michel Temer não para de receber ligações de ministros que ficaram no Brasil e de deputados e senadores da base que querem dar “parabéns” ao presidente.

“Falei com ele assim que acabou a coletiva do Rodrigo Janot. Ele falou: ‘Eu não disse? Eu não disse?'”, contou a este site um deputado.

Quem conversou com Temer afirma que ele ficou satisfeito com as revelações do procurador-geral, porque “vai precisar delas para se defender depois que deixar o Planalto”.

Rodrigo Rocha Loures, no entanto, continua dando aquela corridinha com a mala cheia de propina.

Anônimo disse...

“Aécio vai ficar chateado”:

Brasil 05.09.17 14:03 - O Antagonista

Saud: “Vamos pegar o Aécio também. Ele vai ficar chateado”, diz Saud.

Joesley, comparando o tucano a Michel Temer: “Ele ficou pequenininho. Não, nós vamos, só porque ele é bandidão mesmo. Você sabe que esse aqui, os outros vai ficar pequenininho, pequenas causas, não vai precisar.”

Anônimo disse...

MBL APAGA POSTAGENS COM ELOGIOS A GEDDEL:

O Movimento Brasil Livre quer esconder mais um dos seus apoios: o movimento se apressou em apagar as fotos com elogios ao ex-ministro Geddel Vieira Lima de seu perfil no Facebook; o ex-ministro de Temer foi flagrado com várias malas de dinheiro em seu apartamento em Salvador e se tornou um incômodo para os apoiadores do impeachment de Dilma Roussefff.

5 DE SETEMBRO DE 2017

247 - Após a divulgação de imagens de malas de dinheiro em apartamento do ex-deputado e ex-ministro de Michel Temer, Geddel Vieira Lima, o Movimento Brasil Livre (MBL) correu em apagar as fotos com elogios ao peemedebista de seu perfil no Facebook.

Geddel, assim como muitos outros políticos implicados na Lava Jato, fizeram intensa campanha pelo impeachment de Dilma Rousseff e sempre receberam elogios dos líderes do MBL.

Anônimo disse...

REINALDO PEDE PRISÃO PREVENTIVA DE GEDDEL:

O colunista de política da Rede TV, Reinaldo Azevedo, diz que o montante de dinheiro encontrado em apartamento de Salvador é justificativa suficiente para que o Ministério Público peça a prisão preventiva do ex-ministro Geddel Vieira Lima; "É claro que sua prisão preventiva pode ser decretada novamente. Por três motivos: preservação da ordem pública, preservação da ordem econômica, no interesse da instrução criminal', diz o colunista.

5 DE SETEMBRO DE 2017

247 - O colunista de política da Rede TV, Reinaldo Azevedo, escreveu em sua coluna que o MPF deveria pedir a prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima. Segundo o colunista, a foto das malas de dinheiro em apartamento usado por Geddel são motivo para justificar a prisão. "Guardar dinheiro em casa, não importa quanto, não é crime. Não pesando contra o dono nenhuma suspeita de irregularidade, não é preciso nem dizer a origem. Ocorre que Geddel está sob investigação, certo?", escreve Reinaldo.

Preso em 3 de julho, no âmbito da operação “Cui Bono”, que apura pagamento de propina em liberação de empréstimos do FI-FGTS, da CEF, da qual chegou a ser um dos vice-presidentes, Geddel teria recebido R$ 20 milhões em propinas. "É claro que sua prisão preventiva pode ser decretada novamente. Por três motivos: preservação da ordem pública, preservação da ordem econômica, no interesse da instrução criminal', diz o colunista.

"Dadas as acusações que há contra Geddel e considerando que muitos milhares — milhões, sei lá eu — de reais não brotam em apartamento, parece que a preventiva pode se justificar. A menos que o doutor tenha uma razão forte o bastante para manter o aquele arsenal (...)

Anônimo disse...

LADRÃO, VIGARISTA, CORRUPTO, ANALFABETO, CACHACEIRO, CHEFE DA ORCRIM.......>!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!