Ana Amélia reage ao aumento do CPMF

A senadora Ana Amélia Lemos disse esta manhã em Porto Alegre que não votará qualquer proposta de aumento de impostos.

Inclusive a CPMF, cuja proposta foi entregue por Dilma ao Congresso.

Em reunião com a Executiva, questionada sobre possível convite para assumir a liderança do governo no Senado, Ana Amélia avisou que não pensa no assunto, até porque teria que defender a proposta da CPMF e ela não faria isto.

A senadora não quer mais impostos e quer mais cortes severos de gastos públicos.

9 comentários:

Anônimo disse...

Medidas urgentes:
1. demissão de todos funcionários sem concursos;
2. redução dos gastos com juros;
3. enxugamento dos gastos do estado.
Bem, depois disso podemos pensar em reforma da previdência e aumento de impostos.
100 % de acordo com a senadora !

Luiz Vargas disse...

Com a não correção da tabela de imPosTo de renda o desgoverno da Anta $apien$ estava embol$ando anualmente quase 40 BILHÕES DE REAIS, quietinho e sem pedir autorização para o congresso.
Como roubaram tanto, além da grana surrupiada quietinha via I. R. quiseram nos empurrar goela abaixo a CPMF. É hora de se debelar, espernear e lutar. CPMF NÃO!

Mordaz disse...

Uma coisa absurda com a história do Vice é que o mesmo é o oposto da Dilma e do PT. Como o PMDB pode dar tantos anos de apoio ao PT sendo contrário a todas as políticas do mesmo? Um vice sugere uma pessoa preparada para "seguir" o prometido nas eleições, na campanha, e não partir para uma agenda jamais discutida com o eleitor. Só pode ser admissível porque as nossas campanhas são farsas fora da realidade baseado na mentira deslavada. Só engabelação.

Anônimo disse...

Se Meireles e Temer tentarem voltar mesmo provisória com CPMF o povo volta as ruas e o governo Temer so tem seis meses. Aviso dado

profesora.sonia@gmail.com disse...

Bravo, Senadora Ana Amélia!
A senhora nos representa!
Tem muita gordura para queimar em Brasília!
Fim dos milhares de CCs, financiamento para os movimentos sociais, ongs e jornalistas chapa-branca, privatização de portos, aeroportos, estradas, venda de imóveis urbanos e rurais sem serventia, cobrar aluguel a preço de mercado dos apês funcionais e casas de ministros e chefes de poderes, acabar com as passagens aéreas, carros oficiais, celulares, cartões corporativos desse funcionalismo federal,...
Tenho a certeza que VAI SOBRAR DINHEIRO!
NÃO AO AUMENTO DE IMPOSTOS! NÃO À CPMF!

Anônimo disse...

Isso ela falou nos microfones da imprensa para o povo burro ouvir
Lá ela vota a favor. o PP tem este compromisso

Anônimo disse...

Estou de pleno acordo com os autonomos das 15:46h e com o das 16:47h. Nossos representantes ao invés de cortar gastos em todos os níveis, preferem manter o Estado inchado e partem logo para o bolso do povo trabalhador. Parabéns Ana Amélia, primeiro enxuguem a máquina pública para depois tirar mais do povo. Até porque não aguentamos mais ser explorados por esses governos. Inclusive a gastança e a corrupção foi tão abusiva que até o emprego nos tiraram. CPMF não.

Anônimo disse...

Quando a presidentA Dilma viajava ao invés de ficar em hotéis mais simples, mais em conta, optava sempre pelos mais caros e mais sofisticados. Nunca se preocupou em economizar pois o recurso para essas viagens saia do suor dos trabalhadores, isso porque na teoria, representava-os. Esbanjava sem dó nem piedade. Hoje a conta chegou para ela pagar e o pagamento é o seu Impeachment. O dinheiro que ela gastou nunca foi público ele é do trabalhador. Cobrem a conta de quem deve e não do povo.

Anônimo disse...

A história é sempre a mesma: criar impostos para cobrir rombos que ninguém pode saber o tamanho exato. Acaba sendo um terço para cobrir o rombo e o resto para gastar mais. Cadê o fim das estais, dos monopólios?