Denúncia do MPF avisa que a corrupção na cadeira leiteira gaúcha continua livre, leve e solta

O consumidor só está protegido quando opta por marcas muito conhecidas e que têm muito a perder com a corrupção da cadeia. 

A repórter Marina Schmidt, lembra em duas páginas do Jornal do Comércio que háá três anos, quando foi deflagrada a primeira Operação Leite Compensado para combater fraudes na atividade leiteira do Rio Grande do Sul, era difícil prever os rumos que as investigações tomariam. Hoje, os indícios são de que as ilegalidades vêm sendo praticadas há décadas, graças a uma relação corrompida entre empresas do setor e responsáveis pela fiscalização federal.

A reportagem da jornalista fundament-se numa ação movida pelo Ministério Público Federal (MPF), obtida com exclusividade pelo seu jornal.

O MPF avisa que a corrupção na cadeia leiteira é histórica e não acabou mesmo com a forte repressão dos últimos anos.

Leia tudo:
A denúncia foi apresentada à Justiça Federal em março e implica dois servidores públicos vinculados ao Ministério da Agricultura (Mapa) - o fiscal federal agropecuário aposentado Paulo Régis Motta e o agente de fiscalização Jorge Luiz Pinto Soares - além de quatro pessoas envolvidas na administração e operações da Hollmann Laticínios: o representante comercial Carlos Alberto Seewald, o consultor empresarial Mario Stockmann, o empresário Eduardo Fuhr e o empresário e técnico químico Sérgio Alberto Seewald. Os crimes citados são corrupção ativa e passiva, associação criminosa e violação de sigilo profissional.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

6 comentários:

Anônimo disse...

TEM PT NO MEIO OU APRENDERAM COM ELES,COM CERTEZA.

Anônimo disse...

Faço compra no Supermercado Sondas em São Paulo, há muito tempo que nem queijo proveniente do RS tenho comprado.Infelizmente sou do tipo de consumidor que não aceita segunda oportunidade para ação dessa importância. Quando era jovem uma marca de leite de São Paulo teve esses problemas, minha familia deixou de consumir qualquer produto, a marca desapareceu, retornou na década de 2000 e ainda guardamos na lembrança e em casa não entra nenhum produto.A justiça para casos que mexe com saúde publica deve ser extremamente dura, como aconteceu na China.

Alberto disse...

Mafiosos do leite!

Anônimo disse...

Indica que não mais dão bola para a Justiça. Muito ruim para o país.

Anônimo disse...

Isto é um absurdo. Um escândalo. Uma verginha para o RS.
Pergunto: Onde está o secretario de Saude? De Agricultura/Pecuária?
Qual marca de leite podemos beber no RS?
Nao tem MP para prender?
Não tem juiz decente para julgar?
A quem recorrer para moralizar a alimentacao de crianças e da populacao em geral?

Anônimo disse...

Isso só ocorre com o conluio de fiscais corruptos, portanto investiguem-se a fundo todos os fiscais, porque aí os ainda honestos entregarão seus colegas trambiqueiros. Um fiscal do Mapa ganha muito bem, então qual a razão para se corromper? FALTA DE CARÁTER, respondo e contra isso não há outro jeito senão punição que arda no bolso também, porque só a privação da liberdade é muito pouco para esses canalhas que permitem que toda a população consuma esses produtos deteriorados ou adulterados com prejuízo da sua saúde. CRIME INOMINÁVEL, covardes!