Sem Tarso (ele está em Madrid) Brigada cumpre o dever e garante desobstrução das garagens ocupadas ilegalmente em Porto Alegre

Foi preciso que o governador Tarso Genro estivesse fora do RS, numa das suas inúmeras viagens ao exterior, para que seu substituto, o vice-governador Beto Grill, resolvesse cumprir a lei e dar garantias à execução do interdito proibitório que impede a obstrução das empresas de ônibus de Porto Alegre.

. Na sexta-feira, a Brigada acompanhou os oficiais de justiça que deram ordem para a desobstrução nas garantes da VTC, Zona Sul de Porto Alegre. Ali, alguns ativistas, poucos deles sindicalistas, impediram a saída dos ônibus. Não houve qualquer reação e a população recuperou o transporte perdido durante quase todo o dia.

.O noticiário dos jornais não registraram a "coincidência", como também ignoraram que desta vez não foi o vacilante TRT quem agiu, mas o Tribunal de Justiça do Estado.


- Para tranquilidade do prefeito José Fortunati e da população de Porto Alegre, o governador Tarso Genro passa o final de semana em Madrid, Espanha, para onde viajará nesta quarta-feira. A convite da Fundação Alternativas, da Espanha, o governador desembarcou em Madri no dia 5 de março para participar do painel de abertura do seminário internacional Cooperação Ibero-Americana e Desenvolvimento. O evento é de menor importância e dele participam conferencista do segundo time de regiões periféricas. Trata-se de outro dos convescotes sem relevância que volta e meia conduzem Tarso até a Espanha ou Portugal. Ele ocorreu no dia 7, propôs uma reflexão esotérica sobre os desafios que confrontam os países da península ibérica e suas implicações nas relações com o Brasil e a América Latina, bem como discutiiu novas possibilidades de integração, mecanismos transnacionais de promoção do desenvolvimento regional e experiências de renovação da democracia. O Sistema Estadual de Participação Popular e Cidadã do RS (Sisparci), premiado pela Organização das Nações Unidas em 2013, é um dos temas em debate. Outro assunto objeto de discussão diz respeito ao chamado Gabinete Digital. Entre os painelistas, constam nomes como o do sociológo português Manuel Carvalho, que até há pouco foi do Partido Comunsita Português;  o economista Ladislau Dowbor, o político e jornalista espanhol Nicolás Sartorius, o secretário-geral Ibero-americano, Enrique Iglesias, o presidente da Fundação Getúlio Vargas, Carlos Ivan Simonsen, o jurista espanhol Antonio Baylos e a ativista Simona Levi, entre outras representações. O secretário-geral de Governo do Rio Grande do Sul, Vinícius Wu, participa da última mesa apresentando o case do Gabinete Digital.

7 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia! Sobre o direito de os infiltrados na greve dos rodoviários e o direito do passageiro de ser conduzido ao seu destino, por meio de ônibus ou Lotação. Nesse último pagando valor mais elevado. Na tarde de sexta-feira (7), subi na Lotação Guarujá-Cavalhada, na Av. Borges de Medeiros. Carro já estava com muitos passageiros em pé. Viajei quase sentada no colo do motorista. Qualquer manobra errada, eu voaria pelo para-brisa. Indaguei ao motorista, quantos passageiros era permitido carregar em pé. Resposta: em torno de 30 pessoas. Onde fica a segurança do usuário? Temi por minha vida. Quando o governador não cumpre a lei, certamente ele não está preocupado com o cidadão gaúcho.

Anônimo disse...

Beto Grill mostra que não é ideologicamente tapado.

Garivaldino Ferraz - Brasília disse...

Sobre um dos palestrantes no evento a que o desgovernador da gauchada acorreu:
LADISLAU DOWBOR (“ABELARDO”, ” JAMIL “, ” NELSON “)
– Foi dirigente da VPR 1, da VAR-P e da VPR 2 (CN);
- Em 68, membro do ”Tribunal Revolucionário” da VPR que condenou à morte o Cap. Chandler, morto em 12 Out 68.
- Nov 69, Congresso Nacional da Reestruturada VPR, foi designado membro do CN (Comando Nacional). Depois substituiu José Raimundo da Costa como Cmt da Unidade de Combate (UC)/SP.
- Em 11 Mar 70, participou do seqüestro do Cônsul do Japão, em SP.
- Em Abr 70, o CN/VPR realizou uma reunião com os seus Comandantes de UC, em Peruibe, litoral Sul paulista, a qual compareceram Carlos Lamarca, vindo da área de treinamento; Ladislau Dowbor, membro do CN e CMT/UC em São Paulo; e Maria do Carmo Brito, membro do CN, além dos dois CMT/UC da Guanabara, Juarez Guimarães de Brito e José Ronaldo Tavares de Lira e Silva.
- Em 21 Abr 70, preso em São Paulo com Joaquim dos Santos e Lizst Benjamin Vieira, em ponto entregue por Maria do Carmo Brito (presa em 18 Abr 70).
- Em 15 Jun 70, foi um dos 40 militantes comunistas banidos para a Argélia, em troca do Embaixador da Alemanha.
- Com a chegada na Argélia dos quarenta bandidos trocados pelo Embaixador alemão, a FBI (FRENTE BRASILEIRA DE INFORMAÇÕES), criada exclusivamente para denegrir a imagem do Brasil no exterior, passou a ser dirigida por um colegiado composto por Miguel Arraes, Apolonio de Carvalho, do PCBR, Ladislau Dowbor, da VPR, Jean Marc Friedrich Wan Der Weid, da AP e José Maria Crispim, do PCB.
- Em Fev 71, Ladislau Dowbor e Apolonio de Carvalho, membros do colegiado da coordenação internacional da FBI, dirigiram-se para a cidade de Lund na Suécia onde se encontrava asilado, Elio Ferreira Rego. Das conversações, resultou a decisão de criar uma sucursal da FBI em Lund, sob a supervisão de Elio Rego.
- Atualmente, trabalha no Instituto de Economia da UNICAMP.

Anônimo disse...

A anônima das 9:46 viu que já tinha muita gente de pé dentro do lotação e entrou assim mesmo. Então não dá pra reclamar da falta de segurança, né? Se a senhora voasse pelo para-brisa seria por conta do risco que a senhora mesma assumiu.

Anônimo disse...

A ordem Judicial foi enviada para o Comandante da Brigada e não para o Governador e Exercício. Se Tarso quisesse intervir, bastava um telefonema ao Comandante da Brigada. Ocorre que não era greve de motoristas e cobradores, tratava-se de um protesto localizado em uma empresa, portanto não éra competencia da Justiça do Trabalho.

E, detalhe, mesmo na época da greve, não houve requisição de força policial por parte da Justiça do Trabalho. Se houvesse seria cumprida, assim como foi cumprida a ordem judicial da Justiça Comum.


Anônimo disse...

Em suma, faria mais e melhor pelo estado e pela população se o sr. governador lá ficasse para sempre. O estrago seria infinitamente menor.

Anônimo disse...

Esse anônimo das 12:42 deve ser um idiota total. Como um risco que ela assumiu? e a responsabilidade do motorista? e a responsabilidade do órgão fiscalizador? e a responsabilidade dos que promovem greve ilegal?
Tudo isto deixa o passageiro ao Deus dará e sendo obrigado a correr riscos que não poderiam ser corridos.
Quando os governantes e a Justiça deixam a turba tomar conta vira a lei do mais forte e um salve-se quem puder.
Governo e Justiça existem para impedir que a vida em sociedade se tornem a lei da selva.