Greve geral paralisa atendimento médico nestas terça e quarta-feiras

É forte a adesão dos médicos à greve geral marcada para estas terça e quarta-feiras em 21 dos 27 Estados. Em Porto Alegre, a paralisação atinge casas de saúde públicas e privadas, além de consultórios. Reagendamentos estão sendo marcados par quinta-feira.

. O Sindicato Médico, Simers, chamou coletiva para as 15h, quando falará sobre a paralisação.

. O protesto é contra o programa “Mais Médicos”, do governo federal, que abriu inscrições para médicos estrangeiros trabalharem no Brasil sem revalidação dos seus diplomas.

- O Conselho Federal de Medicina (CFM) disse em nota, esta manhã, que a decepção dos candidatos com o programa "Mais Médicos" (as inscrições ficaram muito abaixo do que o governo esperava) deve-se a ausência de condições de trabalho e direitos trabalhistas. Isto contribuiu para que muitos desistissem de participar do programa de alocação de médicos; dos 18,4 mil inscritos no primeiro mês, apenas 4,6 mil confirmaram interesse de participar do programa; segundo o CFM, o interesse inicial demostra, contudo, a vontade da categoria em atuar no SUS; presidente da Fenam negou que as entidades médicas tenham se organizado para atrapalhar.

6 comentários:

Anônimo disse...

Vão parar mesmo? Como é que o Senador Sarney vai ser internado hoje em São Paulo então? Ou será que a paralisação é só para prejudicar o pobre (já trabalham pouco para o pobre, e ainda vão parar?)

Anônimo disse...

Greve nos aeroportos deixaria os médicos loucos, sem poder embarcar para as compras em Miami...

Anônimo disse...

Os médicos fazem greve todos os dias no SUS, não faz diferença. Tá na hora de algum Deputado entrar com um projeto mundando o curriculo do Curso de Enfermagem para que o enfermeiro possa atender os doentes pobres, já que os bundinhas, digo, os médicos não querem.

Ou seja, abaixo os monopólio dos médicos.

Mario Rangel disse...

Localizada na Serra Gaúcha, a cidade de Carlos Barbosa é a segunda melhor no Brasil em distribuição de renda e tem o 23º maior PIB per capita do Rio Grande do Sul. Com 25 mil habitantes, o município tem um centro de saúde, inaugurado em dezembro de 2004, e cinco unidades para atender a população. A prefeitura oferece exames laboratoriais, de raio-X, tomografias, mamografias, ecografias, endoscopias, colonoscopias, eletrocardiogramas, ressonâncias magnéticas, ecocardiogramas. Os médicos recebem salário de R$ 4.630,31 (20 horas semanas) e R$ 9.260,61 (40 horas), além de um adicional de insalubridade de R$ 529,55. Mesmo assim, faltam médicos para atender a população.

A cidade gaúcha recentemente encerrou as inscrições para preencher as vagas de médicos. Mesmo com o salário de quase R$ 10 mil e a infraestrutura oferecidos, com quatro vagas ofertadas para contratação imediata, somente uma pessoa se inscreveu.

Anônimo disse...

Todos os médicos,ao contrário de engenheiros,advogados,jornalistas,politicos,professores,dentistas,arquitetos... são bundinhas e dinheiristas e só querem viajar sem trabalhar. E pensar que alguns dos idiotas que generalizam até conseguiram chegar com sua indigência intelectual as universidades. Enquanto isso o governo equipa e constrói hospitais,postos de saúde e ambulatórios aos milhares como qualquer oligofrênico pode constatar!

Anônimo disse...

A imprensa gaucha e de outros Estados deveriam fazer o que o SBT fez em um Hospital em SP, onde flagrou os Sr Médicos baterem o ponto (vários dias seguidos)e sumirem, obviamente para atender em cosultórios particulares.

Até as pedras sabem que os médicos fezem "bico" no serviço público, quando vão (ou vão assinam o ponto e vão embora).

Esses doutores merecem trofeu abacaxi.