Opinião do editor - Atos públicos de hoje vão reclamar todo poder a Moro

As manifestações deste domingo visam reforçar a posição do ministro Sérgio Moro.

Em última análise é isto que significa #ForaSTF e #VetaBolsonaro, porque são o STF e o Congresso que mais fustigam a Lava Jato, portanto o próprio ministro Sérgio Moro.

STF e Congresso rompem o guarda-chuva legal e jurídico de proteção à Lava Jato e impedem a aprovação do pacote anti-crime de Moro.

Fazem isto com o apoio dos jornais, revistas, TVs, blogs e sites sujos, mais líderes partidários e empresariais comprometidos com a corrupção que existiu antes, existe hoje e existirá no futuro.

A ordem das ruas é a seguinte:

- Todo Poder a Sérgio Moro

11 comentários:

Anônimo disse...

o blog imundo do editor, está esfarelando...meia dúzia de alucinados babando no parcão interrompendo o trânsito com 50 véios fantasiados eheheh..vão pegar uma gripe, bah

Anônimo disse...

Não dá pra perceber nitidamente ainda, mas se Bolsonaro tentar impedir a aprovação do pacote anti-crime de Moro, adeus 2022.

Anônimo disse...

Brasil acima de tudo !!!

Anônimo disse...

DAR FORÇA A MORO

XINGAR STF

COMEMORAR VITÓRIA SOBRE MICRON E EUROPEUS CABRESTEADOS PELO FALSO PAPA ARGENTINO,PARA TOMAR A AMAZONIA DO BRASIL

Anônimo disse...

Imbecis.
Quem tá podando o Moro de vcs é o próprio Bozo, que já o usou como escada para se eleger, agora o vê como um candidato concorrente, da mesma forma que vê Dória e Huck.
Bozo ainda não começou a governar, mas a campanha 2020 já está a todo vapor...

Anônimo disse...

Todo poder a Moro desagrada Bolsonaro e filhos. Estamos vigiando essa família.

Anônimo disse...

DR. SÉRGIO MORO, hoje é o PÊNDULO DA JUSTIÇA BRASILEIRA! 208 milhões de brasileiros apoiando-o. Todos nas ruas!

Anônimo disse...

A tua genitora irá , babaca !!

Anônimo disse...

Policiais apontados em esquema de milícia ajudam partido de Bolsonaro:

25/08/2019 - UOL

Mesmo com o interrogatório marcado para o próximo dia 4 de setembro como réus num processo que respondem por organização criminosa, os policiais militares gêmeos Alan e Alex Rodrigues de Oliveira ainda fazem parte do esquema político do partido do presidente Jair Bolsonaro, o PSL.

Além de serem irmãos da presidente do partido no município do Rio, Valdenice Meliga, um deles, Alex, participou da campanha nacional do PSL, realizada no último dia 17, para conseguir novos filiados para a sigla. Vestindo uma camiseta amarela da campanha, com as letras do partido, Alex ajudou no ponto de Campo Grande, na zona oeste do Rio.

Fontes do partido disseram que Alex tem planos maiores no PSL. Ele pretende se candidatar a vereador pelo Rio, nas eleições municipais do ano que vem. O advogados dos irmãos, Cezar Tanner, espera que até este ano tudo esteja resolvido na esfera judicial, mas ele evita falar das pretensões políticas da dupla.

Alex e Alan foram presos preventivamente em agosto do ano passado, durante a Operação Quarto Elemento, do Ministério Público do Rio. A ação teve como objetivo prender policiais acusados de praticar extorsão contra comerciantes envolvidos em atividades criminosas no Rio.

Na ocasião, os gêmeos estavam lotados no Batalhão de Policiamento em Vias Expressas. Eles foram acusados de pagar R$ 1 mil mensais de propina a policiais civis para extrair barro ilegalmente de um loteamento na Rua Agaí, em Campo Grande, sem serem incomodados.

Alan já havia sido preso em flagrante, em janeiro daquele ano, no mesmo local, pela Polícia Federal. O órgão constatou que o terreno estava sendo preparado para a construção do empreendimento imobiliário "Gabriela Residencial", sem autorização do poder público.

Anônimo disse...

Em processo de fritura, Moro é criticado por Bolsonaro nas redes: “Não esteve comigo na campanha:

25 agosto, 2019 - DCM

Segue firme a fritura do ministro Sergio Moro por Jair Bolsonaro.

O presidente respondeu um comentário no Facebook indo direto na medalhinha de Moro em seu estilo semi analfabeto

— Cuide bem do Ministro Moro, você sabe que votamos em um governo composto por você ele e o Paulo Guedes, escreve um sujeito.

— Todo respeito a ele, mas o mesmo não esteve comigo durante a campanha, até que, como juiz, não poderia.

Humilhação pouca é bobagem.

José Corrêa disse...

PTbas e eskerdebas dillsisperados porque a mobilização é maior do que a delles!!!

E sem "mortandella" e 50 pila!!!