Procurador federal de Porto Alegre diz que comitê da ONU equivoca-se sobre Lula

O procurdor federal Maurício Gotardo Gerum, Porto Alegre, criticou o documento do comitê da ONU que, insistem os petistas, “mandou soltar” Lula e deixá-lo concorrer à Presidência, conta o UOL de hoje.

Para Gerum –que se manifestou num recurso da defesa de Lula ao TRF-4 para que ele possa ser entrevistado na cadeia–, os especialistas da ONU partiram da “premissa equivocada” de que o petista não disputará a eleição por estar preso.

O procurador explica: 

- Lula está inelegível porque foi condenado em segunda instância pelo TRF-4, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. E isso o enquadra na Lei da Ficha Limpa, que o próprio petista sancionou em 2010.

9 comentários:

p exterminador de esquerdopatas disse...



Mas o analfabeto funcional esqueceu que assinou a lei. Para os petistas esta lei só serve para os outros, pois o LADRÃO é o homem mais honesto desse país, quiça do universo. Este pseudo comitê não fez o contraponto, coisa que esquerdopatas gostam muito de falar, mas não para eles. Prisão para sempre para o LULA LADRÃO.

Anônimo disse...

BARROSO JÁ DEFENDEU QUE DECISÃO DA ONU ESTÁ ACIMA DA LEI BRASILEIRA

Responsável pela análise dos pedidos de impugnação da candidatura Lula no TSE, o ministro do STF Luís Roberto Barroso defendeu, por meio de artigo publicado em 2010 que há "um manancial de documentos internacionais" que são "indiscutivelmente vinculantes do ponto de vista jurídico"; ou seja: com a adesão do Brasil a tratados internacionais de direitos humanos, eles são superiores à lei brasileira; é o caso agora, em que o Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, emitiu decisão que obriga o Estado brasileiro a oferecer garantias integrais à candidatura Lula

20 DE AGOSTO DE 2018 ÀS 09:46 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

Queria entender a "coerência" do procurador do Ministério Público Federal Mauricio Gotardo Gerum ao afirmar: "premissa equivocada", a solicitação do comitê de Direitos Humanos da ONU se torna inexequível", disse, em parecer publicado nesta segunda-feira (20). Pense bem: se o parecer do Comitê, na opinião do procurador, foi "equivicada", ele queria que o Comitê esparasse o quê? Que o Comitê se pronunciasse somente após as eleições ou após a perda dos direitos políticos de Lula? Quem se precipitou foi o procurador, ao se pronunciar antes que houvesse tempo do órgãos superiores se pronunciarem!

Anônimo disse...

não adianta espernear, O MUNDO ESTÁ DE OLHO NO BRASIL!!! acabaram-se as palestras no exterior!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Lembremo-nos: a notificação do Comitê da ONU quando interfere em algo tão importante, não o faria por precipitação que seria um irresponsabilidade, mas por urgência de interromper um processo ainda em fase recursal, nos termos da legislação vigente.

Lembremos que ao pedir um processo justo (fair) contra o LULA já sentenciado o Comitê indica que a condenação foi ilegal é ilegítima. Senão na faria menção a novo julgamento.

Por que as “autoridades” não vão lá em Genebra tentar mostrar o contrário? Não vão por que sabem que não conseguiriam e de lá sairiam humilhados....

Anônimo disse...

Alguém lembre se o nome Procurador se pronunciar quando a ONU negou a defesa do presidente Lula uma liminar para sua liberdade?

Anônimo disse...

Como dizem os juristas, o procurador está "tergiversando". A ONU sabe muito bem que o Lula está preso e, mesmo assim, determinou que ele participe das eleições, ainda que preso. Não tem nada de "premissa equivocada" coisa nenhuma.

Anônimo disse...

Em verdade em verdade eu vos digo, toda a autoridade desse justiceiro dos pobres repousa amparada em suas nobres reluzentes abotoaduras.

Anônimo disse...


Desenha