Gramado decreta estado de calamidade pública. Cidade já sofre com racionamento de gás, água e óleo.

O prefeito Fedoca Berolucci esclarece que o decreto atinge apenas serviços da prefeitura.

Apesar da advertência do prefeito, o desabastecimento já é visível na cidade. A Imobiliária Gramadense, a maior da cidade, acaba de avisar os síndicos dos edifícios cujos condomínios administra, sobre a iminente falta de gás, óleo e água. Já há racionamento.

O prefeito João Alfredo de Castilhos Bertolucci, PDT, acaba de decretar estado de calamidade pública em Gramado, o principal destino turístico do RS.

O editor conferiu a informação, que é real.

A notícia circulou antes, como boato, nas redes de WhatsApp.

As aulas da rede municipal e o transporte escolar foram suspensas, sendo que todas as obras públicas resultaram totalmente paralisadas.

O prefeito manteve apenas o funcionamento dos equipamentos de saúde pública e o recolhimento de lixo.