Análise - Criação de mais vagas formais em abril reforça retomada moderada da economia

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na sexta-feira pelo Ministério do Trabalho, registraram abertura líquida de 115,9 mil vagas formais de trabalho em abril. Descontados os efeitos sazonais, segundo nossas estimativas, foram criados 9,2 mil postos no mês, desacelerando em relação aos 21,3 mil gerados em março.

A análise é dos economistas do Bradesco e foi enviada esta manhã ao editor. Leia mais:

O número de admitidos recuou 3,6% na margem, enquanto o volume de desligados caiu 2,7%. Assim, a média trimestral de geração de vagas manteve-se em torno de 13 mil postos de trabalho, ainda na série livre de efeito sazonais. Ao mesmo tempo, o salário médio dos admitidos devolveu parte da queda observada em março e acelerou no mês passado, porém ainda se mantém em patamar baixo. Dessa forma, o resultado de abril continua indicando uma retomada gradual do mercado de trabalho, sem pressões salariais significativas, o que constitui vetor benigno para a inflação, cujo balanço de riscos prospectivo ficou pior recentemente por conta do cenário externo, conforme explicitado no comunicado da última reunião do Copom.