Juiz da 5a. Vara da Fazenda Pública, também nega liminar para censurar "Jesus, Rainha dos Céus"

O juiz da 5a. Vara da Fazenda Pública, Porto Alegre, decidiu liminarmente, esta tarde, que não cabe qualquer medida de censura ao monólogo "Jesus, Rainha dos Céus", desatendendo, assim, ação própria movida pelo Partido Social Cristão.

O advogado do PSC, Bruno Dornelles, inconformado, vai opor Agravo de Instrumento junto ao TJ do RS, que esta tarde, em decisão também liminar, anulou liminar de outro juiz (leia abaixo), julgado incompetente para o caso. Isto também deve ocorrer em relação ao ato do titular da 5a. Vara.

18 comentários:

Anônimo disse...

Mandar um e-mail para o Zaffari e a Panvel que patrocinam.

Anônimo disse...

A melhor censura ė ninguém, absolutamente ninguém, ir assistir a mais esse lixo.

Nereu disse...

Editor, acompanhe o desenrolar dos acontecimentos com os participantes desta "peça artística".
Vejamos o que irá acontecer com os protagonistas... anote aí e a cada 10 dias procure pelos nomes dele no Google.

Anônimo disse...

essa comunidade LGBT destrói todo o respeito pelo nosso Senhor Jesus Cristo!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Diogo Zaddor disse...

Ei, Anônimo das 17h05: é difícil convencer uma certa camada da população à não ir, mas... NÓS PODEMOS IR EM PESO E VAIAR... encher de vaias e impedir o andamento.
Que tal?
Sabe o lande do "buuuuuuuu..."? Pois ´pe?! Isso!!

Anônimo disse...

Não é o suficente, ainda assim receberao recursos publicos, mesmo que nao tenha uma viva alma no auditorio. Acho que ate preferem isso.

Anônimo disse...

Se a cnbb não flertasse com os comunistas destruidores de valores cristãos, estaria organizando ações como ocorreram na Argentina, onde os fiéis se deram as mãos e rezaram unidos na praça em desagravo a esta blasfêmia e outras, onde quer que ocorressem.

Anônimo disse...

como os dirigentes cristãos não se manifestam, cabe novamente aos cristãos leigos empreender campanha igual à feita contra o satãder. Ver quem patrocina e enchê-los de protestos e boicote à estes.

Anônimo disse...

Imagine se o contrário tivesse ocorrido: Que um grupo religioso resolvesse criar um espetáculo teatral onde a comunidade glbt fosse escrachada e o politicamente correto fosse ignorado e essa peça teatral apresentasse diversas piadas que envolvessem a moçada que queima a rosca. Não tenho a menor dúvida que TODOS os juízes que julgassem a causa dariam ganho aos glbt. TODOS!
Sociedade hipócrita. Estado aparelhado com a agenda da esquerda e o politicamente correto.

Anônimo disse...

É certo que nunca veremos um único veado "macho" que terá a coragem de fazer uma peça teatral humilhando o islamismo, Maomé ou o alcorão. Mesmo sabendo que o islamismo é extremamente crítico e punitivo com relação à homossexualidade eles não terão essa hombridade. Eles bem sabem em qual face podem dar o tapa.
Da mesma forma essa viadagem aparelhada com a esquerda jamais apresentará uma apresentação teatral criticando os regimes comunistas que mataram milhares de homossexuais e os enviaram para campos de concentração na Sibéria. Conveniência diabólica.

Anônimo disse...

o problema é que nem mais se fala sobre a qualidade da peça, se é que tem alguma...

o troço virou apenas uma peça da militancia, que vai ao "espetaculo", possivelmente, sem sequer gostar do que vê...

hoje a vida virou isso, esse FLA X FLU eterno e deixa-se de lado a essencia da arte, se tem ou nao qualidade...

esquerdista tem o dever de gostar de um disco do Chico Jabuti, que pode ser uma porcaria, mas eles vao incensa-lo...

nem os proprios artistas, atolados na militancia, percebem o quanto isso é ruim para o seu trabalho, pois ja nao ha mais a certeza se a sua obra esta sendo julgada por senso critico ou se é so puxa-saquismo...

é como mostrar o seu trabalho para a sua mãe...

mamãe vai sempre adorar o que o filho faz independente de senso critico...

isso é a sentença de morte para o artista...

eu sou musico e jamais levei a serio opinião de amigos e familiares porque o jogo esta praticamente ganho...

não tem graça alguma...

Anônimo disse...

Essa é boa medida. O Zaffari está praticamente sozinho no mercado, mas a PANVEL não.

Anônimo disse...

Vivemos tempos piores que os de Sodoma e Gomorra. Não estranhemos portanto, quando do céu brotarem fogo e enxofre! Tristes tempos os nossos!

Tataum disse...

Crise é oportunidade:

Do ponto de vista da guerra política, atacar o inimigo sem pensar não é suficiente. É até temerário. Observem que 1) Há uma campanha metódica para "normativizar" Cristo e demonizar seus seguidores, ou seja, uma verdadeira lavagem cerebral nesse sentido vem sendo perpetrada há décadas no povo brasileiro (há séculos no povo mundial) e vem funcionando; 2) Complementarmente, a grande mídia distorce tudo o que os cristãos dizem e fazem, jogando a opinião pública e a justiça contra eles e repetindo exaustivamente as pechas de fanatismo, intolerância e atraso dos cristãos; 3) As Igrejas Cristãs, e a Católica não é exceção, foram infiltradas por apóstatas, inclusive e principalmente no clero, o que desviou os fiéis do Caminho e da Verdade; 4) O Estado é inimigo figadal da Religião, pois o Estado não admite nenhum tipo de poder fora dele; 5) É chegado o tempo da separação do joio do trigo! Logo, o contra-ataque tem que ser metódico, preciso e contínuo, enfim, estratégico. Ações na justiça são um bom começo. Divulgação na mídia alternativa, outro. Não se esqueça de estudar profundamente sua própria religião. Expor ao público em geral (nem todos são cristãos, e os que são têm uma visão por vezes enviesada de sua própria religião, ainda mais se ficam na frente da televisão ou dos sites mentirosos todo dia) uma perspectiva cultural e correta do cristianismo é fundamental. Poderia-se, por exemplo, montar uma peça de teatro sobre Jesus Cristo e Nossa Senhora, conforme a Bíblia, a teologia clássica e a patrística, fazendo-se a peça percorrer todo o Brasil. Seria um meio cultural formal para se mostrar os fundamentos, a inteligência, o amor, a beleza de Cristo ao público em geral. Expor, não impor! Divulgar o cristianismo de uma forma não catequética é uma boa medida para se atingir as almas dos espectadores, reservando-se esse meio para os que quiserem aderir e seguir o cristianismo/catolicismo. Não se esqueçam que uma peça teatral sobre Cristo não é a mesma coisa que uma Missa ou um Culto com Cristo, pois são dois pontos de vista diferentes sobre o mesmo assunto. Um é arte; outro, religião. A linguagem, a estética e a técnica são diferentes, percebem? Mas um complementa e conduz ao outro, se bem realizados. Além disso, utilizem a lei Rouanet, sim, pois é legal e é dinheiro predominantemente do povo cristão e pagador de impostos que está lá. Por que só comunistas e misoteístas podem usar esse instrumento de incentivo à cultura?! Por acaso se esqueceram das grandes obras artísticas da humanidade legados pelo cristianismo, da música à pintura? "Ocupem" o Minc, os teatros e os espaços culturais, que são seus, ora pois! E, se algum "juiz" proibir a peça sobre Cristo, alegando o uso indevido da verba pública, o estado laico ou a intolerância contra as minorias, respondam que o dinheiro da Lei Rouanet é legal e que todos os trâmites foram seguidos de forma transparente, que no estado laico nenhuma religião deve ser favorecida nem DESFAVORECIDA e que a intolerância contra a MAIORIA (cristãos) é que é totalitarismo. Enfoquem a imparcialidade e a ética da justiça. Reforcem a liberdade de expressão. Comparem e mostrem também a diferença de tratamento do poder público e da mídia entre as duas peças. Enfim, usem a fé com inteligência e a inteligência com fé!

Anônimo disse...

Pena estamos a caminho do século XII até o Rogério defende isso quer privatizar as igrejas e as rádios e as TV, internet.

Anônimo disse...

Vá assistir. Dai vai ter graça

Anônimo disse...

Não vai, não vai, não vai, simples.
Vão começar a querer proibir tudo agora. Vão virar tudo zumbi.