Livro traz “raio x” do erro médico no Brasil

Especialista em direito médico, Raul Canal analisou todos os processos judiciais que tramitaram entre 2000 e 2015 e constatou que 57% das ações são improcedentes. Isto está no livro de 700 páginas que será lançada na Bienal do Livro de SP, dia 27 de agosto. O livro chama-se "Pensamento Jurisprudencial Brasileiro no Terceiro Milênio sobre Erro Médico”.Com mais de 700 páginas, edição de luxo em capa dura e multicolorido, o livro é de autoria do advogado Raul Canal, que é presidente da Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética (Anadem), entidade sediada em Brasília que há 18 anos atua em defesa dos profissionais processados por suposta prática de erro médico.

No livro, o autor revela que existem mais de 600 mil ações tramitando sobre direito de saúde em varas de todo o país. O número de processos judiciais tramitando no STJ sobre suposto erro médico aumentou 1600% entre 2000 e 2012.

Um dos objetivos da edição é que ela possa servir como fonte de consulta por parte de profissionais e estudantes da Medicina e do Direito acerca do tema “erro médico e da judicialização da saúde” e sugerir caminhos para aprimorar o sistema de saúde no Brasil. Esta é a proposta do livro “O 

O autor defende a criação das Varas da Saúde em todos os Estados.

Ranking das especialidades demandadas no STJ, segundo o autor:

Ginecologia e obstetrícia 42,6%;
Traumato/ortopedia – 15,91%
Cirurgia plástica a cirurgia geral –7% cada;
Neurologia – 5,18%
Pediatria – 4,46%;
Otorrinolaringologia – 3,03%;
Anestesiologia e oftalmologia – 2,85%;
Hematologia – 1,42%;
Cardiologia, angiologia e a medicina intensiva – 0,71%.


3 comentários:

elias disse...

1.600 % !!!!!!qye bi o
Ouso achar que no periodo citado o ensino em geral ficou tão vagabundo - igual aos dirigentes e qualidade do ensino - que os doutores voltaram a contar nos dedos e a soletrar para ler.
Normal.

Anônimo disse...

Seria interessante uma estatística que analisasse o número de erros cometidos por juízes e registrasse as penalidades que os magistrados estariam sujeitos.

Anônimo disse...

O que o senhor diria de uma pericial judicial que comenta que o erro do meu médico foi grotesco? Levei 04 anos para voltar andar...