Ministério Público diz que deputado Jardel trabalhava sob regime de senhor feudal no seu gabinete da Assembléia

CLIQUE AQUI para examinar originais de parte das investigações feitas pelo Ministério Público Estadual. O material é do Correio do Povo. 

É devastador o material que o Ministério Público Estadual do RS vazou ontem para boa parte da imprensa gaúcha sobre as investigações feitas em cima dos malfeitos do deputado Mário Jardel.

"Ali havia regime de servidão", acusa o MPE. Salários foram extorquidos, diárias resultaram falsificadas, viagens foram forjadas, funcionários fantasmas recebiam sem trabalhar e cocaína rolava solta no gabinete e na casa do deputado. 

Ele mostra que o MPE trabalhou no caso desde 22 de setembro do ano passado.

Foi tudo apurado de modo competente.

As 112 páginas que nstruíram o pedido de afastamento judicial do deputado demonstram que uma verdadeira quadrilha foi instalada no gabinete do deputado. O Ministério Público apuçrou que "raticamente toda a estrutura de gabinete e assessoria do referido Deputado Estadual foi montada com a finalidade única de atender aos seus interesses pessoais, familiares e, em especial, econômicos." 

O deputado e seus comparsas serão punidos pela Assembléia e enfrentarão dias de cão nos bancos dos réus, dificlmente escapando da prisão e da reparação dos danos causados ao erário. 

8 comentários:

Anônimo disse...

Tem que cassar também alguns deputados estaduais que se elegeram com o mesmo esquema desse catarinense aqui que se elegeu deputado federal por Sergipe, tudo graças às verbas federais desviadas através de cooperativas agrícolas, ongs e MST.

http://folhanobre.com.br/2015/11/30/deputado-federal-joao-daniel-e-cassado-pelo-tre-do-sergipe/11050

Anônimo disse...

mais uma prova de que não podemos dar poder para pé de chinelo...

Anônimo disse...

Será? Ou ele finge muito bem ser estúpido ou estão apontando o chefe errado, como já aconceceu no mensalão, por exemplo, mas, neste caso, por covardia, medo de meter com O Chefe.

Anônimo disse...

"Ele mostra que o MPE trabalhou no caso desde 22 de setembro do ano passado"??????

Leandro Arona disse...

Coronelismo no melhor estilo nordestino, hem?

Anônimo disse...

Com quem o infeliz e incompetente Jardel terá aprendido tão rapidamente todas estas falcatruas? A ASSEMBLÉIA gaúcha não tem nenhuma razão para protestar contra a eventual intromissão do Judiciário, porque há muitos anos sabe de todas estas roubalheiras e não toma nenhuma providência. Um protege o outro e tudo é abafado, até o momento em que ocorre um vazamento ou uma bomba como esta ou como a do grande salafrário Basegio. Abaixo a roubalheira. Não foi para isto que o povo votou nestes senhores e senhoras.

Anônimo disse...

se quer saber tambem sobre a morte de um jovem... negro em condomínio da zona sul de porto alegre ....o mpe poderia investigar neh???? ja que a policia encontrou um bode expiatorio pro crime

Anônimo disse...

Para eliminar parte desta corrupção, basta não permitir CC's na assembléia. Todos servidores devem ser concursados e permanecer no cargo, independente de governo.