Astor Wartchow - A Grande Contradição

Uma das contradições mais profundas no comportamento do eleitor e cidadão brasileiro diz respeito a sua preferência pela ação e presença do Estado combinada com o desprezo que tem pelos políticos.

Infantil e estupidamente, é como se ignorasse que os gestores do Estado (o Poder Executivo, especialmente) serão aqueles eleitos por ele.

Responsabilizamos o Estado por tudo. Diante de qualquer frustração pessoal e coletiva, corre-se diretamente ao Estado, aos seus gerentes e interlocutores, os políticos.  Mas não são eles os objetos e alvos diários de nossa crítica e ojeriza? Qual é a novidade?

Só na cabeça de um cidadão ingênuo ou de um romântico ideólogo partidário poderia o Estado nos proporcionar algo útil sem que houvesse uma particular contrapartida fraudulenta. Afinal, o tamanho da corrupção corresponde ao tamanho do Estado.

Se mesmo em nações com elevado nível de consciência política e educação básica e superior, e que têm uma compreensão sobre a importância do serviço público e da ação do Estado, ocorrem atos de desvios e abusos, que diria em nossa pobre, miserável e inculta comunidade?

Evidentemente, as coisas não começaram ontem. Trata-se de uma má formação histórica. A contradição tem raízes coloniais e patrimonialistas. Em vários momentos da história os interesses e a onipresença da burocracia estatal e dos aparelhos político-partidários se confundem e confundiram com questões nacionais, perturbando nossa formação social.

Nos últimos anos, porém, a situação agravou-se haja vista a ascensão (ao poder) de uma visão intervencionista e estatizante absoluta.

Ou seja, nada é tão ruim que não possa piorar!

3 comentários:

Anônimo disse...

E realmente vai piorar e muito. Para desvio de atenção já devem começar as tais de retrospectivas do ano. Sobre corrupção se falará mui pouco. Mais será sobre celebridades, futebol, e já comentarão sobre carnaval.



Anônimo disse...

Para entender a realidade econômica e social brasileira. Recomendo a leitura dos três livros do jornalista e historiador LAURENTINO GOMES em seus três livros...: 1808, 1822 e 1889. Para complementar a leitura, leia tb...os três livros do jornalista e escritor LIRA NETO -GETÚLIO(1882-1930), (1930-1945) e (1945-1954). Na Amazon.com Getúlio custa em torno de 30 pilas cada um, isso para o Kindle.

Anônimo disse...

Sr. ASTOR WARTCHOW, sejas objetivo, aponte a ferida, paciente está doente já sabemos.

Porque não digas que o mal está nas Capitanias Hereditárias e na falta de Poder Moderados?