Tatsch trata Sartori como "estadista". Saiba o que é um estadista. Sartori é um estadista ?

O secretário gaúcho do Planejamento, Cristiano Tatsch, pegou pesado quando defendeu a proposta de orçamento para deputados estaduais.

Eis o que ele disse a respeito do pagamento em dia dos salários dos servidores estaduais, ao avisar que Sartori não poderia garantir isto:

- Nenhum estadista gosta de situação como essa, mas não há dinheiro no cofre. 

O problema não está na informação, mas no uso do substantivo masculino.

Leia o que Maquiavel escreveu sobre a condição é veja se Sartori encaixa-se no modelo:

Existem definições muito diferentes sobre o sentido da palavra "estadista", mas nenhum deles encaixa-se no perfil de um governador brasileiro. Maquiavel considera que a condução do Estado é uma arte, e o estadista, um autêntico artista. Para Maquiavel, assim como para Skinner e Merleau-Ponty, o estadista é adaptável às circunstâncias, harmonizando o próprio comportamento à exigência dos tempos. Sua virtù é a flexibilidade moral, a disposição de fazer o que for necessário para alcançar e perenizar a glória cívica e a grandeza - quer haja boas ou más ações envolvidas - contagiando os cidadãos com essa mesma disposição. O estadista é visto como simulador e manipulador da opinião pública ("a ação acusa mas o resultado escusa"), em uma sociedade acrítica e influenciável pelas aparências, constituída de indivíduos interessados exclusivamente em seu próprio bem estar. Mas a corrupção é vista como perda da virtù pelo conjunto dos cidadãos.

16 comentários:

Anônimo disse...

A diferença entre um politico e um ESTADISTA é que: o politico enxerga a próxima eleição e o ESTADISTA a próxima geração.

Unknown disse...

Sartori é um estadista. O estadista da "troca solidária". Certamente está pensando nas próximas gerações de catadores.
Sem coragem de enfrentar a tática do "politicamente correto" da "vanguarda do atraso", como a grande maioria dos nossos "estadistas" brasileiros e gaúchos, pereniza a atividade dos "novos coletores" (de lixo) como se fosse uma panacéia.
Que ouçam mil vez por dia o hino do nosso RS e inspirem-se na reflexão: Povo que não tem virtude acaba por ser escravo.
Somos nós, brasileiros, escravos da "Lei de Gérson". Revoguêmo-la para possibilitar o início de um debate sério sobre o futuro da nação brasileira.

Anônimo disse...

Longe disso, e quilômetros da Yeda. Mas o gringo está fazendo coisas importantes porque não podem mais ser postergadas. A hora é agora.

Zeca disse...

A piada da semana!

Anônimo disse...

Tem certeza que pegou o trecho certo d'O Príncipe? Essa definição parece mais adequada ao espertalhão do que ao estadista.

Anônimo disse...

Esse ai eh o mallandrinho das privatizacoes do britoca....eh de olho no osso q esses safados sempre estao

Capitão Caverna disse...

O colega Cristiano Tatsch, enquanto esteve na PMPA, no comando da fazenda no governo Fogaça, deixou a casa em ordem, e com dinheiro para investir, após sua saída, por discordar com o Fortunati, que voltou a fazer o que fazia o governo do PT, e só ver a cacaca que esta a nossa Prefeitura, este é galo no que faz, deveria ser o Secretario da Fazenda, o Sartori, logo estaria rindo de felicidade, e colocando a casa em ordem mais rapidamente.

Carlos Edison Domingues disse...

POLIBIO. O desempenho de Sartóri é o contraste de quem ocupa o Planalto. Esta venceu pela mentira e seu único desejo é sobreviver por mais três anos. Sartóri aceitou um desafio de reconstruir em terra arrasada. Com a dignidade que apresenta, somada a sua coragem, merece o apoio dos gauchos para que tenhamos, neste 20 de setembro, um modelo de estadista. Carlos Edison Domingues

Anônimo disse...

Sartori deveria ser um "desestatista", vender tudo que é empresa do estado aí sim seria um estadista. Chega de carregar nas costas do estado, que somos nós um monte de "empresas" falidas e cabideiros de apaniguados. Mas contar com os calhordas dos deputados vai ser dificil.
Joel

Anônimo disse...

Gauchada de todas as querências! Apoiem o Gov. Sartori, pois a arrumação do RS vai levar muito tempo, paciência, determinação e cooperação de todos gaúchos decentes. Depois que as legiões infernais passaram pelo Rio Grande Amado, deixando pedra sobre pedra, todos têm o compromisso de ajudar esse gringo a enfrentar o problema deixado pelos incomPeTentes. É isso ou o RS será o novo Nordeste com tudo o que tem de mais atrasado na economia, na cultura, na sociedade,...

Anônimo disse...


O RS não precisava ouvir isso!

Anônimo disse...

TÁCALE PAU, MEU UINSTON CHURCHOU DOS PAMPAS!

Anônimo disse...

huahuahauhauhau! Só piadistas!!! Quero mais é que o gringo vá pro inferno!

Anônimo disse...

Puxa saco babaca

Anônimo disse...

Antes, Lulla era o estadista; agora, um outro estadista, o Sartori. Ora, ora, num país atrasado e subdesenvolvido como o nosso nada é de se estranhar, nem mesmo os habituais bajuladores de plantão, sempre prontos ao puxa-saquismo.A popósito, nos arquivos da internet existe uma charge genial do Leandro Franco a respeito dessa gente, ou seja desses puxa-sacos de políticos brasileiros, pena que não disponha de um dispositivo neste espaço para anexá-la.

Anônimo disse...

Senhores eu votei no Sartori, mas..vocês têm ouvido ele falar..e principalmente o que ele diz? Não diz coisa com coisa, pensamento confuso e sem qualificação ou fundamentação.
Realmente ele é bem intencionado e deve ser mesmo boa pessoa, mas age como um dos governadores mais despreparados que o RS já teve.