CPI aprova devassa no Instituto Lula. Okamoto terá que explicar dinheirama milionária arrecadada por Lula com empreiteiras.

A CPI da Petrobras aprovou nesta quinta-feira um bloco de 140 requerimentos que incluem a convocação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, acareações entre o ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto e delatores da Operação Lava Jato e a convocação do ex-ministro da CGU (Controladoria-Geral da União) Jorge Hage.

As votações haviam sido definidas pelo presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), sob protestos do relator Luiz Sérgio (PT-RJ) e dos parlamentares petistas, que acusaram o peemedebista de motivar a pauta por causa da abertura do congresso do PT nesta quinta, em Salvador.

A sessão foi tensa, com teve bate-bocas entre o presidente e parlamentares do PT, que tentaram adiar a votação. "Estão fazendo o possível para expôr o PT no dia do seu congresso", afirmou o deputado Afonso Florence (BA), vice-líder do partido na Câmara.

A CPI também aprovou a quebra dos sigilos fiscal, bancário e telefônico do ex-ministro José Dirceu, condenado no mensalão, e de sua empresa entre o período de 2005 a 2015. Os sigilos bancário e fiscal já haviam sido quebrados anteriormente pela Justiça Federal no Paraná em inquérito que investiga pagamentos de empreiteiras investigadas na Lava Jato a Dirceu.

Os dados telefônicos serão a principal novidade obtida pela CPI em relação a Dirceu. Também foi ampliado o período da quebra do sigilo bancário –neste caso, a Justiça só havia quebrado a partir de 2009.

Okamotto será chamado para explicar as doações de R$ 3 milhões feitas ao Instituto Lula pela empreiteira Camargo Corrêa, investigada no esquema de corrupção da Petrobras.

VACCARI

Em relação a Vaccari, atualmente preso em Curitiba, foram aprovadas quatro acareações envolvendo-o: dele com o ex-gerente da Petrobras e delator da Lava Jato Pedro Barusco, uma outra com o ex-diretor da estatal e também delator Paulo Roberto Costa, mais uma com o ex-diretor Renato Duque e uma quarta com Barusco e Duque ao mesmo tempo.

Também está prevista uma acareação apenas entre Barusco e Duque.

Barusco e Costa acusaram Vaccari de receber a parte do PT referente à propina de contratos da Petrobras. O ex-tesoureiro nega e diz que todas as doações recebidas foram legais. Já Duque é apontado como intermediário da propina ao PT na Petrobras, o que ele nega.

Foi aprovado ainda requerimento convocando o tesoureiro da campanha da presidente Dilma Rousseff em 2010, José de Filippi Júnior –a Lava Jato investiga se o esquema de corrupção da Petrobras abasteceu a campanha da presidente.


O bloco incluiu também a convocação de Stael Fernanda Janene, viúva do ex-deputado José Janene (PP-PR). O presidente da CPI havia levantado a hipótese de que Janene, apontado como um dos mentores do esquema de corrupção, pudesse ainda estar vivo, mas depois descartou a ideia.

17 comentários:

Anônimo disse...

Deprimente!Todos os dias, novos escândalos! Triste, constato que não avançamos no sentido de pôr um fim nisso. Será que veremos o Brasil livre deste partido e seu desgoverno?

Anônimo disse...

Enquanto não tirarmos esta quadrilha de circulação teremos todos os dias novos escândalos. Petista bom é petista preso!

Anônimo disse...

‘Okamoto deve perguntar por que o iFHC recebeu mais’:

247 – O secretário de Comunicação do PT José Américo comentou nesta quinta-feira 11 a convocação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, à CPI da Petrobras, um dia depois de os jornais terem publicado que a empreiteira Camargo Corrêa, investigada na Lava Jato, doou R$ 3 milhões à entidade.

"Minha sugestão para ele é que pergunte para o pessoal do PSDB por que o Instituto Fernando Henrique recebeu três vezes mais da empresa do que o Instituto Lula. O Paulo Okamotto tem todas as condições de mostrar que os institutos ligados a ex-presidentes recebem contribuições, o do FHC recebeu e o do Lula recebeu também", disse Américo, que está em Salvador para o 5º Congresso do PT.

A Camargo Corrêa foi uma das 12 empresas brasileiras e estrangeiras que doaram R$ 7 milhões ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para a criação do instituto que leva seu nome. O dinheiro foi arrecadado pessoalmente por FHC num jantar no Palácio da Alvorada – pago com dinheiro público – em novembro de 2002, quando ele ainda exercia o cargo de presidente da República......

Xiiiiii.......Xiiiiii.......Xiiiiiii......alguém avisa o pessoal do PeTe que fhc e o PSDB são inimputáveis perante a PF e o MPF.

Anônimo disse...

Por que não intimam logo o Lulla?

Anônimo disse...

E quando é que vão aprovar a convocacão do Lula para depor?
O Onix Lorenzoni já protocolou o pedido,há horas,e até agora nada.
Esse individuo,hoje,não está mais acima da lei e da ordem,não tem foro privilegiado,nem nada.Então,quem não deve não teve,convoquem o Lula para esclarecer,mesmo que ele não saiba de nada.

Anônimo disse...

Agora sim vão vasculhar o o ninho da serpente. Mas é prudente usarem botas de cano longo.

Anônimo disse...

A Polícia Federal, o Ministério Público, a Receita federal, chamem todo mundo, até o Batman, para ir em cima do vagabundo chefe da quadrilha, esse pilantra já deveria estar atrás das grades!

Anônimo disse...

O petralha do xixi das 17:19 hs, acha que alguém perde tempo lendo essa merdas que ele bosta por aqui? Ha,ha,ha,ha...se o babacão fosse sucinto ainda poderia pegar alguém desavisado, mas quando ele já começa falando em FHC, já se entrega como comentarista militonto...Há,há,há...

Anônimo disse...

Cada enxadada uma minhoca.Santo Deus, tenha piedade dos brasileiros.

Anônimo disse...

Por que iFHC recebeu três vezes mais da Camargo Corrêa do que o Instituto Lula?

R$ 7 milhões para o Instituto de Fernando Henrique Cardoso

O secretário nacional de comunicação do PT, José Américo, disse nesta quinta-feira, 11, não ver com preocupação a convocação do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, para depor na CPI da Petrobras na Câmara. "Minha sugestão para ele é que pergunte para o pessoal do PSDB por que o Instituto Fernando Henrique recebeu três vezes mais da empresa (Camargo Corrêa) do que o Instituto Lula. O Paulo Okamotto tem todas as condições de mostrar que os institutos ligados a ex-presidentes recebem contribuições, o do FHC recebeu e o do Lula recebeu também", disse Américo ao chegar ao 5º Congresso do PT, na capital baiana.

Dinheiro para FHC

FHC passa o chapéu

Presidente reúne empresários e levanta R$ 7 milhões para ONG que bancará palestras e viagens ao Exterior em sua aposentadoria....

Xiiiiii.......Xiiiiiii.......Xiiiiiii.......Esse sim é o FHC de guerra do PSDB, de Alkmin, serra, Aécio e Yeda.

Anônimo disse...

É isto anônimo das 18:54, tem PTRALHA que só faz xixi e outras vezes merda, QUANDO não estão com a mãos no dinheiro do PETROBRAS/bnds/BB!

Anônimo disse...

Concordo com o Anônimo de 11 de junho de 2015 18:54.É só falar no "FHC" que já vou adiante. Eles estão na métrica: Ladrão que rouba de ladrão tem 100 anos de perdão! Se quiser me chamar de "elite", pode chamar. Eu estudei muito e continuo estudando, portanto, sou elite mesmo!

Anônimo disse...

Alguém avisa o anônimo das 04:23 que estudar, não é sinônimo de rico. É só levantar os furos do PSDB e fhc que elementos como o anônimo das 22:09 fica brabinho. Tem é que exigir explicação, como exigem do PT e lula. Quanto ao editor, se alguém viu uma postagem contra o PSDB ou alguém do PSDB, ganha um pirulito.

Anônimo disse...

Nao queremos saber se outros receberam, queremos que o brasil seja passado a limpo tanto de um lado como do outro. Uma sujeira hoje não se anula com a sujeira do outro. Portanto queremos justiça.

Anônimo disse...

Concordo com você...anônimo das17:36.

Anônimo disse...

Antes de sermos elite somos povos brasileiros, portanto ladrão não pode se esconder atrás de ladrão. Vamos por esses políticos na cadeia, apesar de estarmos no Brasil.

Anônimo disse...

Doações iniciais ao iFHC equivalem a R$ 16,3 milhões:

Se fossem hoje, as doações feitas por 12 empresas, brasileiras e estrangeiras, para a criação do Instituto FHC equivaleriam a R$ 16,3 milhões; este é o valor corrigido pelo IGP-M da data das doações, que ocorreram em novembro de 2002 em um jantar no Palácio do Alvorada, quando Fernando Henrique ainda era presidente; montante é mais de quatro vezes os R$ 3 milhões, também corrigidos, doados ao Instituto Lula pela Camargo Corrêa entre 2011 e 2013; após a divulgação pela imprensa, como se fosse um escândalo, da doação da empreiteira ao Instituto Lula, vem à tona a notícia de que a mesma empresa, através da VBC Energia, foi a maior doadora do projeto de digitalização do acervo de FHC e Ruth Cardoso......