Bloco de Lutas abre jornadas pacíficas para defender o transporte gratuito em Porto Alegre

Desta vez foi pacífica a manifestação pública realizada pelo Bloco de Lutas, ontem a noite, no largo Glênio Peres, Porto Alegre. Com melhor marketing e menos violência, os organizadores do evento reuniram boa quantidade de pessoas para protestar contra o aumento das passagens de ônibus e também para exigir a estatização do transporte de passageiros (transporte gratuito). 

. Na assembleia, ficou marcado um novo ato: será na quinta-feira, às 18h, em frente à prefeitura. Também ficou acertada uma vigília permanente para barrar o aumento da tarifa, composta por panfletagens e marchas, por exemplo.


. A última manifestação do Bloco de Luta ocorreu na quarta-feira passada e degenerou em violência.

6 comentários:

Anônimo disse...

Essa vagabundagem quer comida de graça nos RUs, ônibus de graça... Quando é que vão fazer protesto pedindo cerveja e maconha de graça?
É só o q falta!

Anônimo disse...

concordo que o aumento ta alto(diminui 5 centavos que ta bom).

estatização do transporte épiada.

ainda mais vindo de gente qe não usa transporte público ou se usa não é aquele tipo de gente que tem passagem contadinha e tem faculdade de graça.

tem que rir..

como todos sabem, na UFRGS só tem playboy, pobres estudam em privada com prouni.

Luiz disse...

Não adianta o Polibio estimular este Bloco de Lutas, tentando dizer que agora as manifestações serão pacíficas imaginando que a violiencia possa prejudicar o PT (Dilma) nas eleições.
Estes são baderneiros, saqueadores, mal-educados, depredadores de agências bancareas e prédios públicos que não merecem nossa credibilidade.

Anônimo disse...

maconheiros....

Anônimo disse...

Estes pessoal do bloco de luta só tem uma pauta: passagem de ônibus.

Gostam de usar tênis de mil reais, celulares que custam quase 2 mil reais, e roupas de grife.

Mas se queixam das passagens de ônibus "que deveria ser estatizada".

Primeiro: não existe almoço grátis (e nem passagem). Alguém sempre vai pagar a conta.

Segundo: a única empresa de transporte público estatizada , em Porto Alegre (A Carris) dá prejuizos imensos a Prefeitura (e por consequência, para toda a população).

Terceiro: quem é que paga passagem de ônibus hoje em dia? Poucas pessoas, na realidade. O empregado tem as passagens custeadas pelos patrões (na minha casa temos três funcionárias e nós é que pagamos as passagens, inclusive de forma antecipada; as passagens para uso no mês de abril já foram totalmente pagas no final de março).

Estudante pagam meia passagem. E o estudante carente tem isenção.

Estes estudantes deveriam se preocupar é com as mensalidades escolares, mensalidades das universidades, o preço sempre galopante dos dos alimentos. Mas isto não faz parte da bandeira deles, pois isto é obrigação dos pais.

Por favor, troquem o disco, e se preocupem com coisas mais sérias, como a corrupção que tomou conta do Estado brasileiro; com os gastos excessivos e as roubalheiras da Copa da Fifa. A falta de segurança para quem sai de casa e não sabe se vai voltar.

Estas são verdadeiras bandeiras.

Anônimo disse...

Estes pessoal do bloco de luta só tem uma pauta: passagem de ônibus.

Gostam de usar tênis de mil reais, celulares que custam quase 2 mil reais, e roupas de grife.

Mas se queixam das passagens de ônibus "que deveria ser estatizada".

Primeiro: não existe almoço grátis (e nem passagem). Alguém sempre vai pagar a conta.

Segundo: a única empresa de transporte público estatizada , em Porto Alegre (A Carris) dá prejuizos imensos a Prefeitura (e por consequência, para toda a população).

Terceiro: quem é que paga passagem de ônibus hoje em dia? Poucas pessoas, na realidade. O empregado tem as passagens custeadas pelos patrões (na minha casa temos três funcionárias e nós é que pagamos as passagens, inclusive de forma antecipada; as passagens para uso no mês de abril já foram totalmente pagas no final de março).

Estudante pagam meia passagem. E o estudante carente tem isenção.

Estes estudantes deveriam se preocupar é com as mensalidades escolares, mensalidades das universidades, o preço sempre galopante dos dos alimentos. Mas isto não faz parte da bandeira deles, pois isto é obrigação dos pais.

Por favor, troquem o disco, e se preocupem com coisas mais sérias, como a corrupção que tomou conta do Estado brasileiro; com os gastos excessivos e as roubalheiras da Copa da Fifa. A falta de segurança para quem sai de casa e não sabe se vai voltar.

Estas são verdadeiras bandeiras.