Tribunal de Contas não examina contas polêmicas nas fundações de seguridade estatais estaduais. A mais visada é a Eletrocee.

- Durante o mês de setembro, a nota que alcançou maior número de visualizações é a que se relaciona com a intervenção e possível desmonte do Sindicato dos Eletricitários do RS. A nota também foi a que maior número de denúncias recebeu na seção "Opinião do Leitor". O que ocorre é que o editor não tem conseguido fontes confiáveis para abrir mais as informações. Com a garantia de respeito ao anonimato, denúncias podem ser enviadas para polibio.braga@uol.com.br

Embora tenha resolvido fazer carga pesada em cima dos fundos de previdência municipais do RS, o Tribunal de Contas do Estado nenhuma auditoria faz em cima das contas dos fundos de previdência de empresas estatais estaduais.

. Alguns deles movimentam milhões de reais em operações polêmicas.


. Um dos mais poderosos é a Eletrocee, Fundação CEEE de Seguridade Social, fundo que administra recursos de empresas da área de energia elétrica do RS, com ênfase para a CEEE. Existem denúncias de que os administradores eternizam-se na Eletrocee, onde promoveriam gestão temerária, sobretudo depois que o ministério do Trabalho resolveu intervir no Sindicato dos Eletrecitários, que pode ser dissolvido. O Sinergisul foi flagrado com um passivo a descoberto de R$ 24 milhões.

3 comentários:

Anônimo disse...

Tribunal de contas ou de faz de contas? OAB dos advogados ou das esquerdas? STF do Brasil ou do PT? Petrobrás ou PTbrás? Universidades ou universidadis para honoris calças? Segurança pública ou insegurança pública e notória? Estradas ou caminhos da morte? Hospitais ou necrotérios? Médicos ou curandeiros cubanos? Políticos ou canalhas? Rio Grande dos farrapos ou ideologizado por farrapos morais? Trabalho ou compadrio de CC's? Juízes ou marionetes ideológicos? Ministério público ou Ministério súdito? Todas estas e mais N questões ainda precisam ser definidas por eleições livres, com votos conferíveis por pessoas normais e não por um partido gramsciano ditatorial.

Anônimo disse...

O SINPRO (sindicato dos professores particulares) fez um convênio de previdência com a fundação CEEE. Conhecedor que sou da situação desta empresa, não aderi a tal fundo de pensão.

Anônimo disse...

O nome disso é PREVARICAÇÃO !!!