ENTREVISTA - O servidor da área da segurança deve ser protegido

Giovani Feltes, deputado do PMDB

A bancada de deputados estaduais do PMDB protocolou projeto de Lei Complementar prevendo a irredutibilidade de remuneração dos servidores públicos da área de segurança em casos de acidentes de serviços. O que motivou a apresentação do projeto?
O caso mais exemplar é do brigadiano ou policial civil que vai para o enfrentamento com bandidos e é ferido. Se ele resultar afastado em função disto, perde parte do rendimento.

Perde, como?
Existem valores que o servidor recebe como adicional, justamente em função dos riscos que enfrenta, como o do confronto armado a que me referi, e eles cessam quando ele permanece inativo em função do tratamento de saúde decorrente justamente do que fez no cumprimento do dever.

Seria melhor não entrar em confronto com os bandidos.
Quem não se expõe, é premiado. Isto não tem sentido. 

5 comentários:

Anônimo disse...

O salários dos brigadianos sempre foi erredutivel.

Os brigadianos que recebem diferença salarial por substituição, horas-extras e etapas de alimentação, quando não trabalham, independente de acidente de serviço, férias ou licenças não recebem e é justo. Por isso ganham adicional de risco de vida.

Luiz Vargas disse...

Que tal o um nome para esta lei?
Sugiro lei complementar Maria do Ro$ário.

Surfista Prateado disse...

O próximo passo é incorporar nas aposentadorias e aí eu só quero ver o rombo que vai dar. Imenso, para variar. Tais riscos diminuíram muito se BANDIDO FICASSE PRESO, mas no bananão, NINGUÉM FICA PRESO. E aí sobra pro contribuinte pagar esta conta e mais a de toda segurança privada, portões, câmeras, etc. que tem que comprar.

Campao disse...

Depois, para completar a carreira política, candidatam-se e são eleitos para Governar o Estado, com uma plataforma eleitoral baseada nessas demagogias com os servidores públicos. Aí começa, então, a choradeira. A velha e surrada história de que o Estado está quebrado e inadministrável. Culpa de quem? dos servidores que recebem vantagens e mais vantagens.
Essa Lei já existe, Deputado. Não pode haver redução dos vencimentos do Servidor. O resto é tirada demagógica com os servidores e deboche com os contribuites.

Anônimo disse...

Só o que faltava!!!!!!!!! O brigadiano adoece ou se aposenta e continua ganhando hora-extra, vale-refeição, difrença salarial por substituição.

Na inciativa privada, o cara adoece e tem redução de salário e ele fica feliz de receber. Já se ele se aposentar é certo que tem redução de salário.