Dica do editor - O filme é a comédia política alemã "Adeus, Lênin !"

Comunista ferrenha enfarta e entra em coma ao ver o filho em protesto contra o regime, a mulher acorda um ano depois. Na ocasião, o Muro de Berlim foi derrubado, mas seu filho luta para fingir que nada mudou, temendo que o choque lhe seja fatal. É uma comédia muito inteligente e demonstra de que modo o comunismo fracassou. Dá para ver no You Tube. Vá na"busca" e digite o nome do filme. Não tem legenda, mas tem áudio em português.

12 comentários:

Anônimo disse...

Comunismo é um regime BANDIDO, ASSASSINO DO PRÓPRIO POVO.

Avisem prô PT, PCdoB, PSTU, PCO, que o muro de Berlim, caiu há 30 anos.

Anônimo disse...

Este comunismo velhaco não morreu , apenas mudou de lugar.
Como já foi dito por aí : quando uma ideologia fica bem velhinha ela se muda para o Brasil.

SCHWEIZER disse...

Ja assisti 2 vezes...otimo

Anônimo disse...

Outro bom filme sobre a tragédia socialista: “Dramática Travessia” (Night Crossing), produzido pela Disney em 1981, é baseado na história verídica das famílias Streizyk e Wetzel, que fugiram do leste da Alemanha rumo ao oeste, em setembro de 1979, à bordo de um balão caseiro de ar quente. O filme mostra o contexto histórico e social da Alemanha Oriental, dando início à trama ao narrar a morte de um adolescente que tentou pular o muro e, posteriormente, o desaparecimento da família do mesmo.

Anônimo disse...

Meio atrasado..,,,

Anônimo disse...

Militância do PT é intolerante até com aliados históricos

Destaca-se na trajetória recente do discurso petista uma violenta superioridade moral que trata como inimigos os que apenas ousam discordar

Marco Antonio Araujo, do R7

08/09/2019 - 02h00

Noam Chomsky é um dos intelectuais de esquerda mais respeitados internacionalmente

Quem conhece o sociólogo e linguista norte-americano Noam Chomsky sabe que ele é um dos intelectuais mais respeitados e cultuados pela esquerda internacional. No Brasil, manteve-se sempre alinhado à agenda petista, sendo quase um talismã para a militância. Mas isso mudou desde dia 02, quando o eminente filósofo declarou que o PT “está desacreditado” e sofreu um desgaste que levou a atual oposição a uma situação de “apatia”. Não bastasse, apontou Ciro Gomes como um “líder dinâmico” capaz de liderar o campo progressista.
Com essas declarações (a rigor, nem tão polêmicas assim), Chomsky foi solenemente apresentado às intolerância e patrulha ideológicas que a esquerda teima em dizer que são prerrogativas exclusivas da direita. Sem cair no pecado da falsa simetria, pois há graves diferenças de método e intensidade, o fato é que está cada dia mais difícil defender pontos de vista – em especial os que não se encaixam nos extremos do debate político – sem levar bordoadas.
Em poucas horas, como tem sido praxe, as redes sociais se encarregaram de trucidar qualquer possibilidade de diálogo ou entendimento sobre do que, afinal, Chomsky estava falando. O notável companheiro foi tratado como traidor, pulha, vendido, reacionário, desorientado, velho, decrépito. Um massacre.
Se há algo a se destacar na trajetória recente do discurso petista é essa violenta superioridade moral. É patológico. Quem não tatuar Lula Livre nos bíceps nem considerar Haddad um estadista está marcado como inimigo do povo. Todas as boas intenções e o futuro do país pertencem apenas aos que professam essa crença na estrela vermelha.
É risível e, vamos ser francos, não funciona. Mesmo após sucessivas derrotas, insistir em se colocar como referência ética e santuário a ser preservado, o PT segue sua vocação messiânica, com suas hostes sempre prontas para o martírio e a imolação. Isso é um desserviço não só à própria agremiação, mas ao país. O Brasil só teria a ganhar se houvesse governo e oposição. Bons tempos.

https://noticias.r7.com/prisma/r7-planalto/militancia-do-pt-e-intolerante-ate-com-aliados-historicos-08092019

Anônimo disse...

Militância do PT é intolerante até com aliados históricos

Destaca-se na trajetória recente do discurso petista uma violenta superioridade moral que trata como inimigos os que apenas ousam discordar

Marco Antonio Araujo, do R7

08/09/2019 - 02h00

Noam Chomsky é um dos intelectuais de esquerda mais respeitados internacionalmente

Quem conhece o sociólogo e linguista norte-americano Noam Chomsky sabe que ele é um dos intelectuais mais respeitados e cultuados pela esquerda internacional. No Brasil, manteve-se sempre alinhado à agenda petista, sendo quase um talismã para a militância. Mas isso mudou desde dia 02, quando o eminente filósofo declarou que o PT “está desacreditado” e sofreu um desgaste que levou a atual oposição a uma situação de “apatia”. Não bastasse, apontou Ciro Gomes como um “líder dinâmico” capaz de liderar o campo progressista.
Com essas declarações (a rigor, nem tão polêmicas assim), Chomsky foi solenemente apresentado às intolerância e patrulha ideológicas que a esquerda teima em dizer que são prerrogativas exclusivas da direita. Sem cair no pecado da falsa simetria, pois há graves diferenças de método e intensidade, o fato é que está cada dia mais difícil defender pontos de vista – em especial os que não se encaixam nos extremos do debate político – sem levar bordoadas.
Em poucas horas, como tem sido praxe, as redes sociais se encarregaram de trucidar qualquer possibilidade de diálogo ou entendimento sobre do que, afinal, Chomsky estava falando. O notável companheiro foi tratado como traidor, pulha, vendido, reacionário, desorientado, velho, decrépito. Um massacre.
Se há algo a se destacar na trajetória recente do discurso petista é essa violenta superioridade moral. É patológico. Quem não tatuar Lula Livre nos bíceps nem considerar Haddad um estadista está marcado como inimigo do povo. Todas as boas intenções e o futuro do país pertencem apenas aos que professam essa crença na estrela vermelha.
É risível e, vamos ser francos, não funciona. Mesmo após sucessivas derrotas, insistir em se colocar como referência ética e santuário a ser preservado, o PT segue sua vocação messiânica, com suas hostes sempre prontas para o martírio e a imolação. Isso é um desserviço não só à própria agremiação, mas ao país. O Brasil só teria a ganhar se houvesse governo e oposição. Bons tempos.

https://noticias.r7.com/prisma/r7-planalto/militancia-do-pt-e-intolerante-ate-com-aliados-historicos-08092019

Anônimo disse...

Excelente dica de filme, Editor.
O MURO de BERLIM foi totalmente destruído em 1991, mas a esquerda retrógrada latino-americana faz de conta que o evento de maior significado politico do século passado nao ocorreu .!!!
Tia Glória.

Anônimo disse...

Em 1991 caiu o muro de Berlim. Aí, a esquerda passou a se insinuar nas mentes como "ambientalistas", "progressistas", etc. O objetivo já em estado adiantado é: destruir a família, a moral e os costumes; inventar que "outro mundo é possível", sem agronegócio que dá comida ao mundo, sem automóveis e aviões poluidores, sem consumo de carne, sem essa moral "judaico-cristã retrógrada", etc. Enfim, com a destruição total da civilização ocidental. Para completar, a destruição do último tabu: a recomendação de consumo de cadáveres humanos (blog do Aluísio Amorim).

Anônimo disse...

Diplomata Paulo Roberto de Almeida - assunto "Soberania Nacional": (áudio) 
http://programatrocandoemmiudos.com.br/sites/default/files/2019-09/02-09-ASSUNTO%20DA%20SEMANA.mp3 


https://www.youtube.com/watch?v=13ZWKhe31xg

https://www.youtube.com/watch?v=f6egIyPT0N0

Anônimo disse...

Tem dublado em 1080p lá no Teladecinema.net. Vale muito a pena ver.

Anônimo disse...



Eu estive pessoalmente na Alemanha comunista e testemunhei o atraso que foi causado àquele povo.

Se NEM NA ALEMANHA o comunismo deu certo, como é que poderia dar certo numa Cuba ou no Brasil?!

Besteira pra adolescente se inspirar nas cantadas de namoro.