Segunda prévia do IGP-M de março sugere indicador de inflação mais pressionado

A segunda prévia do IGP-M de março registrou alta de 1,06%, conforme publicação desta manhã da FGV. 

O resultado ficou ligeiramente acima do esperado pelo mercado (1,04%) e sugere que deverá haver aceleração do indicador em relação a fevereiro na última leitura do mês a ser divulgada.

O avanço em relação à primeira prévia, quando o índice variou 0,71%, refletiu principalmente a aceleração dos preços de produtos industriais (0,76%), diante das altas de minério de ferro e combustíveis – embora o núcleo (que exclui indústria extrativa, combustíveis e produtos alimentares) continue em patamar bastante confortável. No mesmo sentido, o IPA Agrícola acelerou de 2,53% para 3,39%, sendo os preços de batata, aves e cana-de-açúcar as principais influências positivas do grupo.

Essa pressão altista tem se refletido também nos preços ao consumidor, que teve seu orçamento impactado pela alta de alimentação – como ilustrado pelo aumento do IPC, que variou 0,50%, pouco abaixo do que esperamos para o IPCA de março (0,58%). Por fim, o INCC registrou variação de 0,11%.

Um comentário:

Anônimo disse...

quantos melindres "inflação mais pressionado" pra dizer q a inflação no bananal dos milicianos vai explodir hein editor ehehehe