Até agora, RS teve dois casos suspeitos de febre amarela. Desde 1942, Estado não registra a doença em áreas urbanas.

O Rio Grande do Sul tem dois casos suspeitos de febre amarela. Tratam-se de um morador de Portão e outro de Dois Irmãos. Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde, apresentados na manhã desta sexta-feira.

No ano passado, foram 42 casos suspeitos, todos com resultado negativo para a doença.


Desde 2009, o Estado não registra a doença em área silvestre e em áreas urbanas desde 1942

4 comentários:

Anônimo disse...

Até isso virou herança do desgoverno Sartori.
Pior governador da história do RS gringo chorão e safado.
Do PMDB de Polibio.

Anônimo disse...

Que regressão esta do Brasil, voltamos à situação do início do século XX quando febre amarela, malária e outra doenças transmitidas por insetos tomavam conta do Brasil. Um dos grande problemas é que não podemos usar inseticidas eficientes e eficazes por causa do ativismo ambientalista. É mais fácil eu ser preso por cortar uma árvore do que um cara que mata outro e se esconde por 24h para tirar o flagrante. Pessoas morrerem por doenças transmitidas por mosquito pode, tudo pelo meio ambiente!

Anônimo disse...

Casos suspeitos não são casos ...

Anônimo disse...

ainda bem pois aqui no sul o mosquito nao se cria o mosquito gosta de mata de calor e de chuva....