Vendas de papelão ondulado cresceram pelo segundo mês consecutivo e prenunciam retomada da produção industrial

Logo no início do moderno jornalismo econômico brasileiro, fim da década de 60, quando o editor
trabalho na editoria especializada do jornal Correio da Manhã (Rio) e Veja (São Paulo), medir a demanda por papelão ondulado permitia antecipar os humores futuros da indústria, porque ela precisa fazer encomendas bem antes da fabricação dos seus produtos. 


É por isto que ganha importância a informação desta manhã, segundo as quais as vendas de papelão ondulado somaram 272.039 toneladas em abril, de acordo com os dados divulgados ontem pela Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO). 

O resultado é equivalente a um crescimento de 2,0% na margem, descontados os efeitos sazonais, sendo esta a segunda expansão consecutiva do ano. Já na comparação interanual, houve avanço de 0,8%. 

Apesar da melhora do indicador na margem, por ora ainda prevemos ligeira queda da produção industrial no período, que será conhecida apenas no começo de junho.

Um comentário:

M@theus disse...

O motivo da retomada da produção industrial é bem simples, como o governo esta mais interessado em sobrevier, não fica procurando onde pode atrapalhar o setor produtivo, onde pode cobrar mais imposto, onde pode inibir ainda mais o desenvolvimento do pais.