Tarso continua fiel à conta burra de usar recursos limitados para despesas ilimitadas. Esta é a síndrome do PT, lá e cá.

Tarso acha que o Tesouro é um saco sem fundo e por isto vai quebrando o Estado. Ele, agora, quer um empréstimo-jumbo de US$ 1 bilhão para garantir o 13o, mas a idéia de endividar ainda mais o Estado não depende só dele. 

No debate de ontem a noite na RBS TV, o governador Tarso Genro confirmou informação em primeira mão que o editor passou aqui mesmo para os leitores, que é a decisão de tomar um empréstimo-jumbo de US$ 1 bilhão (R$ 2,4 bilhões), antes de sair do governo, o que aumentará de modo selvagem o total da dívida que deixará como herança maldita para o próximo governo.

. A primeira referência ao empréstimo-jumbo foi feita há apenas dois meses.

. O editor tem reiterado neste espaço que Tarso Genro já chegou ao teto do limite de endividamento do Estado, o que significa que só poderá tomar o empréstimo-jumbo de R$ 2,4 bilhões se o Congresso aprovar o projeto de Dilma que repactua a dívida dos Estados, portanto também a dívida do RS.

. Embora o governador tenha dito que não se candidataria a novo mandato caso o projeto não fosse aprovado antes do pleito, ele voltou atrás depois que Dilma prometeu fazer isto em novembro.

. Caso aconteça a aprovação, sobrarão poucas semanas para a aprovação do empréstimo, porque ele dependerá de aprovação legislativa, o que será improvável no caso da derrota do líder petista, já que o novo governador terá força política para impedir a extravagância.

. No debate de ontem a noite, ao perguntar a Sartori se o candidato é contra o uso dos depósitos judiciais para pagar despesas com a saúde pública, o governador fez uma verdadeira lincagem com o caso do empréstimo-jumbo, embora nem Sartori e nenhum outro candidato tenha percebido:

- O governo do PT continua gastador voraz, incapaz e aventureiro, já que entende erroneamente que é correto usar dinheiro finito para para bancar gastos permanentes (13º e despesas correntes nos casos do empréstimo-jumbo e dos depósitos judiciais). Isto porque recursos finitos são limitados no tempo, enquanto que despesas correntes não ilimitadas no tempo.

. É uma conta burra. Ela não fecha.

. O resultado é a bancarrota.

. A conta irá para os eleitores-contribuintes do RS. 

6 comentários:

Anônimo disse...

Ou seja: estado quebrado para pagar alguns servidores e ferrar milhões de contribuintes !
E tem gente que vota nesse maluco !

Anônimo disse...

E ada acontece com esse sujeito? Onde andam Assembléia Legislativa e Tribunal de Contas?

Anônimo disse...

O PT é que nem gafanhoto, consome tudo que pode e o que não pode deixando um rastro de destruição.

NEWTON disse...

Anônimo das 12:40, nesta era "PT", o poder executivo anda garbosamente, mas os demais poderes RASTEJAM, como vermes, uns sobre os outros, atônitos, sem direção, embolados, omitindo-se, apenas, com sofregidão, RASTEJAM.

Anônimo disse...

Não só o Atraso Genro mas todo esquerdista, acham que os recursos brotam em árvores, e querem acabar com o capitalismo mas dependem dele para existirem e manterem as suas improdutivas mas confortáveis vidas de parasitas!

Anônimo disse...

Desta vez sou obrigado a concordar com os petistas que infestam esse blog. O Políbio gosta de se enganar. Essa autorização passa por quase unanimidade na AL. Qual deputado vai querer ficar marcado pela paternidade do não pagamento do 13o dos barnabés? O futuro será resolvido por outros. Importa o presente.