Entrevista - Ex-ministra do STF da Venezuela falará dia 19 em Porto Alegre

Décio Gianelli Martins, presidente do Instituto de Pesquisas Gianelli Martins, Porto Alegre

Dia 19, 9h da manhã, a ex-ministra da Suprema Corte da Venezuela, Dra. Branca Rosa Mármol de Leon, falará em Porto Alegre sobre o que acontece neste momento no País de Nicolás Maduro.
Nós convidamos. Será no auditório do Tribunal de Contas do Estado. A dra. Branca foi convidada a se aposentar, depois que libertou das masmorras alguns dos líderes políticos mais importantes da oposição, mandados para a cadeia pelo presidente Hugo Chavez, como foram os casos de Henrique Capriles e Leopoldo López.

Foi um expurgo?
Ela foi muito ameaçada, inclusive seus familiares, e até hoje circula com seguranças.

O que será discutido?
Liberdade de imprensa, autonomia do Judiciário, liberdades públicas, reflexos da crise econômica, conjuntura atual e perspectivas de mudanças. É pauta bem extensa. As informações chavistas são dominantes e por isto queremos notícias de corpo presente, de outra fonte.

Como participar?
A entrada é grátis.

Informes e inscrições grátis:
secretaria@ipgm.org.br

Site www.ipgm.org.br

5 comentários:

Anônimo disse...

Aproveitando o ensejo, FHC e os demais tucanos são co-responsáveis pela barafunda padecida pela Venezuela e outras regiões onde padecem com as metástases esquerdistas! Foi graças
ao PSDB e seus emasculados candidatos que o PT chegou ao poder e se perpetua no mesmo!

Reproduzo um texto, presente em outro post deste blog, acerca do comunista FHC:

A propósito, cadê o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na imagem que percorre o mundo? Afinal, FHC, sociólogo e marxista, foi um dos pais da criança, responsável por ajudar Hugo Chávez, então aspirante a tiranete da Venezuela, a levar o país vizinho, e de resto a "América Latrina", ao abismo chamado Comunismo!
Reproduzo um excelente, porque esclarecedor, texto de um amigo deste blog:

A situação em que se encontra aquela porção da população brasileira que o jornalista Augusto Nunes houve por bem denominar de "o Brasil que presta", explica olhar-se FHC com esperança, como se houvesse chegado a oposição que falta. Na verdade, FHC anda, ele próprio, com aquilo que de pior vagueia pelo mundo: Jimmy Carter, que entregou a AL para os comunistas e o Irã aos aiatolás, George Soros, seu mentor no esforço pela produção de mortos-vivos através da liberação do consumo de drogas -upgrade terrificante do profético Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. Naquele, o Estado distribuía o SOMA, uma espécie de antidepressivo,no Estado de FHC, o tratamento dos viciados -, só para citar alguns. Convém lembrar, sempre, que o empolado orador foi nosso Kerensky, abrindo caminho para nossos bolcheviques. Farofeiros, é certo, mas sempre bolcheviques, a saber, rapinantes e sanguinários. Não esqueçamos, nunca, que foi por obra exclusivamente sua que o petismo não foi defenestrado do poder quando da descoberta do Mensalão.
Sua perplexidade, para quem acompanha a cena, mesmo superficialmente, não passa de jogo de cena: homem vivido, estudado, de formação marxista, sabe que a amoralidade e a criminalidade política são imanentes às ideologias socialistas, mormente àquelas de cepa marxista: o barbudo furunculoso, na senda de Darwin, teria descoberto as leis que governam o curso da História. Como corolário, resultam os bons, aqueles que seguem a corrente, e os reacionários, irrecuperáveis a quem não deve sequer oferecer a Lei, fadados a desaparecer - no que os partisans, para apressar a tal marcha da História, ficam felizes em dar uma mãozinha... Os lamentos desse senhor não têm eco em seu íntimo. Não passam do velho truque da esquerda de dividir-se por cissiparidade, como as amebas. Diferentemente daqueles protozoários, contudo, uma das partes resultantes leva embora consigo todo o lixo, todo o sangue, todas as ruínas. A outra sai limpinha e nova em folha, pronta para produzir nova safra de lixo, sangue e ruínas. Com nada de ingênuo, mas com a Utopia a embalar sua verve de Wille Zur Mächt nietszcheana (vontade de potência), e sabendo que os dias de Nicolás Maduro estão contados, trata de preservar a maldita ideologia de si própria, isolando o pobre motorista caraquenho de ônibus, jogando-o no inferno socialista em que fritam aqueles "que deturparam os princípios em que se baseia a 'humanitária doutrina'". Lá terá diversificada companhia: Stálin, Bukharin, o casal Ceausescu, Trotsky e tantos outros.
Peço notar que, em momento algum o idoso mostra algum juízo e amor à humanidade, condenando o socialismo, causa direta da condenação do povo venezuelano às eternas miséria e desesperança, de resto a experiência dos cubanos há quase 60 anos. De forma sinuosa e debilmente, reclama das consequências de sua aplicação, reclamando de outrem a compaixão que não possui.

Almirante Kirk

Anônimo disse...

Mas que convite sapeca não lembram o que aconteceu com a Yoanni, a blogueira cubana?

Anônimo disse...

Então dia 19 teremos duas personalidades importantes em Porto Alegre, dando os seus depoimentos sobre o que é a vigarice comunista na América Latrina, a Dra. Branca Rosa e o Tuminha.

Anônimo disse...

Muito bem lembrado, Almirante Kirk!

Biriva do Cerro do Tigre disse...

Segundo os petralhas mais um traidora da causa bolivariana.

Como definir esse comunismo "criolo" de bolivariano. Essa é a maior excrescência desse socialismo atrasado e autoritário.
Mas aqui como tem uma geração que tomou leite com formol, ureia e soda, possivelmente afetou a formação neurológica dessas criaturas. Assim isso é compreensível estes transtornos mentais.
Como me criei no campo somente tomei leite direto da vaca para o caneco (xícara é coisa de cidade).

Em tempo: criolo quer dizer original da terra!!