Caiu o diretor de Operações do Trensurb. PT emplaca outro diretor.

Caiu nesta segunda-feira o diretor de Operações do Trensurb, o trem metropolitano de Porto Alegre. Paulo Renato da Rosa Amaral, quota do PSB, retorna à função de técnico de manutenção.

. Para a diretoria vaga foi Carlos Augusto Belolli de Almeida, ex-assessor executivo do presidente, Humberto Kasper, ambos do PT. A dupla é odiada pelos metroviários, segundo se pode ver pelas manifestações ocorridas durante a greve da semana passada. O diretor de Administração e Finanças, Leonardo Hoff, PP, continua no cargo.

. A substituição foi bancada por Humberto Kasper e pelo PT. 

17 comentários:

Anônimo disse...

O que o PSB ainda tinha CC no governo? E o PP ainda não largou a teta? Mas o editor queria que colocasse algum elemento do PSDB, DEMOs, PPS?

Anônimo disse...

É outro com extenso currículo profissional. Qual é mesma a experiência do companheiro Belolli? Não vale em greves, mas em gestão empresarial.

Anônimo disse...

Como a maioria dos empregados que entraram em greve são da Diretoria de Operações, presume-se que haverá revanchismo, não há outra razão para esta alteração na direção.
Esta atitude faz parte do modus operandi do PT. O Amaral está fuzilado. Num mato sem cachorro...

Anônimo disse...

Aí que se enganam: o Gerente de Operações, Rubenildo de Azevedo Ignácio, é tucano, e participou ativamente dos Governos Yeda e Fogaça; além de ser amigo pessoal do Kasper - Tem carta branca, exonerando inclusive militantes do PT (Tão forte quanto o Belolli). Ambos tem um projeto ativo em prestar consultoria sobre o Aéromóvel (Papo-quente)
Políbio, nesse caso o amigo se equivocou . Abraço !

Anônimo disse...

Presume-se que agora a Diretoria de Operações vai bombar. O novo diretor, bem como, o presidente e diversos assessores especiais, com cargos incorporados, oriundos da area operacional, todos alinhados, poderão finalmente valorizar os funcionarios das estações, segurança e operadores de trens, que tanto defenderam, quando sindicalistas.

Anônimo disse...

O ´´colega`` Belolli é extremamente punitivo e inflexível. Vai virar uma guerra na operação. Não tem papo com ele..De se admirar, gestor do PT e punitivo com o trabalhador..Preparem-se SEOPE, SETRA e SECOT - será terrível ! Eu só não coloco meu nome aqui pois preciso do emprego e ele vai me demitir, mesmo com estabilidade..essa é a política aplicada do Carlos Augusto - o pode tudo que não sabe perder !

Anônimo disse...

Vejam o link http://noticias.uol.com.br/ajb/2002/05/28/ult740u4961.jhtm
Essa era a postura do na época dirigente sindical belolli ... hoje, o que ele tanto disse ir contra é fator pregado por ele..quando era pedra era bom, agora que é vidraça não dá. Um ex dirigente sindical que não se preocupa em nada com o trabalhador (nem com sua saúde) deve ser levado a sério ??

Anônimo disse...

Os sofas da trensurb vão lotar.
Quando a viatura da PF vai visitar a Ernesto Neuguebauer?

Anônimo disse...

Quando o Belolli era sindicalista defendia o trabalhador. Hoje como diretor quer mais que o trabalhador morra...
"Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".

Anônimo disse...

Quando o PT assumiu a direção da Trensurb criou o cargo de Consultor Especial (3 vagas) para que, caso o presidente ou os diretores perdessem o cargo por alguma injunção política, estes não perderiam a mordomias destes cargos. Foi o que aconteceu com ex-presidente, Marco Arildo(PT) que saiu da presidência, foi trabalhar na Imvepar, retornou e passou a ser consultor. Também aconteceu com ex-diretor de Administração e Finanças (Thimóteo - PT) quando perdeu o cargo passou a ser consultor.
Com certeza o ex- Diretor de Operações, Amaral (PSB), espera que o mesmo aconteça com ele, mas terá que aguardar sentado porque isso não ocorrerá.
No PT existe uma prática recorrente: “Tudo para os meus e nada para os outros”.

Anônimo disse...

Cabe lembrar Ruy Barbosa:
“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra; de tanto ver crescer a injustiça; de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.

Anônimo disse...

Não mudaram nada o Paulo Renato tinha que sair, quero ver se ele volta ser bilheteiro.
Troncaram um merda por uma baita bosta.
Uma bicha vingativa, bem tipico dos petralha!

So quero ver o dia que a Biba cair e ter que levar cadeirante no mercado

Anônimo disse...

Só para conhecimento, o Paulo Renato Amaral é Técnico de Manutenção e não bilheteiro. Bilheteiros são o Kasper, Ernani e outros gestores da empresa. Aliás eles fazem o possível para esquecer as suas origens. É uma lastima, mas eu entendo, com um salário de 20 mil reais a amnésia toma conta do cérebro desta turminha petista.

Anônimo disse...

Interessante: Parte da cúpula diretiva da Trensurb é composta de empregados oriundos das áreas de segurança, estações e operadores de trens, contando o Presidente da empresa, num total de 15. Como eles conseguiram esquecer de seus colegas com tanta facilidade? e todos eram sindicalistas.
Me sinto um idiota ter servido de escada para estes $%@#...

Anônimo disse...

Mas eu vou adorarver, um dia, o Belolli levando os ceguinhos para a plataforma.
Claro ele nao e macho para isso, deve se esconder embaixo das saias da amante do CCE

Anônimo disse...

A exoneração do Amaral se deu muito mais por um erro estratégico do que um problema dele ser do PSB. O problema é que o Kasper e o Leonardo tiraram férias no mesmo período obrigando, por regra estatutária, passar a presidência para o Amaral.
Para eles, petistas, isso seria um desastre. O Amaral como Diretor era muito conveniente ao PT, porque ele não tinha força alguma, assim como o Leonardo (PP) não tem. Quem manda e desmanda é o Kasper, mais ninguém.

Anônimo disse...

A sujeira que se vê na Petrobras é a mesma na Trensurb, essa direção do PT enriqueceu enormemente nesses doze anos.
Sufocam, ameaçam, perseguem os funcionários antigos que conhecem o passado deles, enquanto as coleguinhas novinhas e "boazinhas" tem ascensão meteórica dentro da empresa. A manutenção, operação e segurança estão sucateadas enquanto a corte cada vez mais abastada.