MP dos Portos: PMDB reclama de Dilma e exige coabitação no governo

Depois de ter sido atropelado pelo Palácio do Planalto, dois dos líderes mais importantes do PMDB, o Partido que preside Câmara e Senado, mandaram recado curto e grosso para a presidente Dilma Roussef:

Eduardo Cunha, líder do PMDB
O PMDB quer ser respeitado, e não ser um mero carimbador de emendas.
Renan Calheiros, presidente do Senado
Esta é a última vez que o Senado abre mão de seus prazos: "A partir de agora o Senado não aceitará mais prato feito. É constrangedor.

. Ambos referiam-se à MP dos Portos, aprovada a toque de caixa na Câmara e no Senado.

. O PMDB demonstrou durante o processo de votação que pode paralisar qualquer iniciativa do governo no Congresso, bastando para isto que esteja disposto a fazê-lo.

. O recado é para que a presidente Dilma Roussef “compartilhe” melhor o seu governo.

. O PMDB quer algo parecido com uma coabitação.

4 comentários:

Anônimo disse...

O que se viu foi uma violência institucional, o executivo estuprando o legislativo.

Se bem que esse congresso tornou-se mesmo um putrefato balcão de negócios, e talvez por isso, tenham deixado para a última hora, fazendo o governo "sangrar" os cofres na liberação de mais de i bilhão de reais em emendas parlamentares.

Somos ou não um bando de macunaímas, que se acham cidadãos nesta republiqueta bananeira sindicalista ?

Anônimo disse...

A promessa do PMDB é mais velha que o Boi Barroso, o que conta mesmo são as emendas e os cargos, o resto é para jogar para a torcida.

Anônimo disse...

Dilma passou o rodo...

Anônimo disse...

Deu a lógica. A base aliada tinha maioria e foi aprovada a MP, assim, como ocorria em outros governos, no caso de FHC ainda foi mais flagrante, ou seja, ele alterou a CF/88 para se eleger e tudo foi alegreia.