Depois do emendão, a situação da proposta de Eduardo Leite ficou ainda pior na Assembleia

O card ao lado mostra por que razão o governador Eduardo Leite foi obrigado a bater em retirada e praticamente dar um fim prematura à sua proposta de aumento de impostos, travestida na forma de reforma tributária.

O levantamento feito pela Federasul mostra que apenas um deputado manifestou-se claramente a favor do pacote do governo.

A imensa maioria não quer saber de aumento de impostos.

O papelão de todo o episódio acabou protagonizado por Fiergs, Fecomércio e Farsul, que ficaram com o mico.

As três entidades não quiseram acompanhar a ativa campanha promovida pela Federasul, que contou complo maioria das associações comerciais e industriais gaúchas, começando pela Associação Comercial de Porto Alegre, cujo presidente, Paulo Afonso Pereira não vacilou em momento nenhum.

O governo ainda tentará salvar o que puder, mas não terá apoio popular, político e parlamentar para aumentar impostos e terá que saber manejar suas contas de outra maneira, indo além da gestão correta do fluxo de caixa, que nem isto está sabendo fazer.

7 comentários:

Anônimo disse...

Meu medo é esses políticos começarem a brigar por causa de dinheiro, e esquecerem a gente trancado dentro de casa.

Anônimo disse...

E UM MERDA DESSES DISSE QUE SARTOTI NADA SABIA....

OS GAUCHOS MAIS UMA VEZ CAGARAM NA URNA

VOTAM EM PETISTAS E EM IGNORANTES

SEMPRE DIGO,GOVERNAR É COISA MUITO IMPORTANTE PARA SER DECIDIDO PELO VOTO DO POVO IGNORANTE

IMAGINE A GERDAU, A COCA COLA, SER ADMINISTRADA PELO VOTO DOS FUNCIONARIOS...

A PETROBRAS DIRIGIDA POR POLITICOS SE SABE NO QUE DEU, E OS QUE ROUBARAM ESTÃO SOLTOS E PASSANDO MUITO BEM AS NOSSAS CUSTAS E DANDO RISADA.



OS FUNCIONARIOOS PUBLICOS

Anônimo disse...

TIRA A BUNDA DA CADEIRA milk.

Anônimo disse...

O Dudu vai tirar a bunda da cadeira?

Marcelo R. disse...

Seria ótimo divulgar a imagem acima pelo Watzap na próxima eleição para população não votar nos que quiseram o aumento de impostos, se declararam indecisos ou não votaram.

Se declarar indeciso ou evitar posicionamento em votação tão importante é o mesmo que ficar sobre o muro decidindo para qual lado pular conforme conveniência do momento, quer dizer que votariam a favor do aumento se a opinião pública não reagisse.

Anônimo disse...

Ué! O cara falou antes de se eleger que dinheiro tinha! O gringo "que era burro", não sabia usa-lo.

Anônimo disse...

É só ajustar o caixa, Sartori! Kkkkkkkkkk!