Zelotes: empresas que recorreram a conselheiros cometeram crime, diz PF

No RS, segundo a Polícia Federal, estão sob investigação empresas como Gerdau, Marcopolo, RBS, Avipal e Mundial-Eberle. Ao lado, Jorge Gerdau, dono do grupo Gerdau. Até há pouco ele foi conselheiro da Petrobrás e homem forte do Comitê de Gestão do governo Dilma - 

No relatório encaminhado à Justiça sobre a operação Zelotes, o delegado Marlon Cajado afirma que as empresas que recorreram aos membros do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) do Ministério da Fazenda para reduzir débitos com a Receita, ‘também são partícipes de conduta ilícita’, de “advocacia administrativa fazendária”.

“Cabe frisar que as empresas-clientes também são partícipes dessa conduta ilícita, haja vista que não se valem apenas das contratações de renomados patronos de grandes escritórios de advocacia, como também apelam para a atuação de conselheiro para obter facilidades dentro do Carf sob o disfarce de serviços de consultoria”, ressalta o delegado, segundo reportagem do ‘Globo’.


Em outro trecho do relatório, ele diz ainda que as companhias colaboraram para transformar o órgão em um “balcão de negócios” e lembra que, qualquer um que concorre para qualquer crime, está sujeito à pena.

CLIQUE AQUI para ler a reportagem original de O Globo. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Políbio,


T.H.E W.O.R.S.T J.U.M.P. (forever)


JulioK

Anônimo disse...

Fala Dr Jorge !
Os gaúchos estão ansiosos por suas sábias palavras !