Exército assume o controle da segurança pública no Rio Grande do Norte

O governo do Rio Grande do Norte passou o controle da área da segurança pública do Estado para o Exército, que estará no comando pelo menos até o dia 12.

A PM e a Polícia Civil estão em greve.

O ministro da Defesa, Raul Jungman, está em Natal para coordenar a transição.

2 mil homens do Exército estarão no RN até amanhã, domingo, mas 720 já patrulham pontos críticos das principais cidades.

8 comentários:

Anônimo disse...

Fiquei sabendo que o comandante do exercito está numa cadeira de rodas e não quer largar o osso de jeito nenhum…então fiquemos assim : o unico exercito do mundo que o general está numa cadeira de rodas….rsrsrsrsrs…. exercito é sinal de força fisica…mesmo os generais, muitos mais velhos que a tropa, tem que estar fisicamente aptos…Ainda bem que não temos inimigos externos.. a ultima vez que uma tropa estrangeira invadiu por aqui o Brasil ainda nem existia.. foi em 1711 com um pirata frances que dominou o Rio de Janeiro por varias semanas…com fazem hoje os traficantes… O verdadeiro inimigo de nosso pais está nos tres poderes da republica em Brasilia.. que nomearam este General que já devia estar no pijama…

Anônimo disse...


Coisas engraçadas neste Brasil. Faz mais de 70 anos que acabou a 2ª Guerra Mundial onde as Forças Armadas brasileiras estiveram com galhardia. Nesses 70 anos no mínimo de 2 a 3 gerações de militares já se aposentaram sem entrar em combate.
Enquanto isso na Polícia Militar do Rio de Janeiro somente este ano já morreram em combate 132 militares. Isso somente num Estado da Federação. No entanto os mesmos não tem salário, 13º salário, condições precárias de equipamento, etc e tal.
- Me diga quantos quantos militares morreram em combate nos últimos 70 anos??? - E quantos Policiais Militares morreram no Brasil somente no último ano???

- Por que o salário de quem está botando a sua vida em pról da sociedade pode atrasar, e quem está a 70 anos aquartelado recebe em dia???

Mordaz disse...

Devia ter havido intervenção federal e enquadramento dos policiais militares grevistas.

Anônimo disse...

Caro Políbio
Pergunto: pra que governadores se não dão conta de por ordem no seu próprio estado? Que serventia têm? Veja o Pezão, Robson Faria, etc, sempre pedindo socorro a União.
Esther

Anônimo disse...

Só Bolsonaro, família, ordem e progresso. Cuba já dominou nossas forças armadas. O nosso exército está doente igual seu comandante.

Anônimo disse...

Quer que os caras trabalhem sem receber?

Anônimo disse...

Aos órgãos jurídicoa competentes: há, no RN uma intervenção federal na prática com atuação das tropas do exército no comando da Segurança Pública. Pois bem, sob intervenção federal, conforme determina a Constituição, é vedado o trâmite e aprovação de Emendas à Constituição Federal. Logo, permanecendo esta intervenção (que embora não decreta oficialmente, na prática está ocorrendo), torna-se inviável a aprovação da Reforma da Previdência. Cabe medida judicial para impedir o processo legislativo e, caso aprovada com Estado sob intervenção, a emenda pode ser declarada inconstitucional por vício forma em seu processo legislativo.

Anônimo disse...

É o PT que administrou e está administrando o Rio gRande do Norte?