Crise pelo ministério da Cultura foi só espuma

O governo Michel Temer não considera que o recuo em relação ao ministério da Cultura demonstre sinal de fraqueza.

Ele acha que o caso faz muita espuma e não demonstra o real tamanho da reação do PT.

E é esta que o governo vai medir a partir de hoje.

CLIQUE AQUI para ler, também, "Hora da verdade", Ferreira Gullar, Folha de S. Paulo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Este pessoal não tem a inteligência como predicado. Dizem não reconhecer o governo Temer, mas pedem que seja criado um ministério. Pedem a quem, ao Papa? Não! Pedem ao governo, que dizem não reconhecer. Inteligentes, não?

Anônimo disse...

E ainda há quem acredite que o Temer não está alinhado com FORO DE SÃO PAULO...

Rosenara disse...

Polibio, adoro teu Blog, mas infelizmente não sou assinante da Folha de São paulo, e sempre que tento ler a matéria completa é impossivel, te peço que faça um resumo mais completo, pois fico curiosa!! Forte abraço!!

Anônimo disse...

Trocamos apenas a gangue no poder.
Só após a limpeza geral da Lava Jato poderemos pensar em um país um pouco mais limpo.
Até lá, saiu uma gangue e entrou outra.

Anônimo disse...

Pente fino no Minc. Queremos saber quem estamos bancando e quanto custou o tamanho do estrago feito por esses artistas e intelequetuais fajutos.
Só produzem mediocridades que tentam chamar de produção artística.
Bando de cuspidores!

Anônimo disse...

O país e o governo deve se preocupar é com a Educação. Quanto mais educação tiver o seu povo, menos cadeia será necessário construir. A Cultura é uma consequência da Educação. Focamos em primeiro lugar na Educação e a Cultura virá como consequência. Devemos lutar para que o povo receba Educação. Aí sim o país sairá dessa vergonha a qual se encontra.