Consultoria do petista Palocci faturou R$ 34,9 milhões em apenas quatro anos

A empresa de consultoria do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci faturou R$ 34,9 milhões entre 2007 e 2010, época em que era deputado federal.

O sucesso é inédito na área.

Os números foram vazados pelo Ministério Público Federal, que passou a investigar a origem dos contratos da consultoria, já que desconfia com razão de que tudo se deve a tráfico de influência. 

Antonio Palocci disse que, em nenhum caso houve interferência ou confusão com sua atuação parlamentar, o que é controverso.

O ex-ministro de Lula e de Dilma é investigado na Lava Jato após denúncia de que tenha pedido R$ 2 milhões ao delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, para a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) em 2010 (leia mais, abaixo). 

9 comentários:

Anônimo disse...

Não há dúvida, os dirigentes petistas são todos prodigiosos, uns ganham dezenas de milhões de reais dando individualmente, somente pelo telefone, consultorias altamente especializadas, são técnicos dignos de prêmios móveis e o chefe sem dizeres nada que preste ganha 300.000,00 limpos por palestra o que equivale a 380 salários mínimos por palestra, o cara deve ser muito bom mesmo!! Somente zumbis para acreditar nesta quadrilha.

Anônimo disse...

O Brasil tem que aproveitar todo esse Knowhow e envia los ao exterior para trazer divisas para nosso país.

Anônimo disse...

PT, A MÁQUINA DE ROUBAR...

Anônimo disse...

LULLA,PRÊMIO NOBEL?!!!!
CONEXÃO BRASIL! 'CONCLAVE DE OSLO PELA DEMOCRACIA' PODERÁ IMPEDIR QUE 'PRÊMIO NOBEL' SEJA ENVOLVIDO NUM MEGA ESCÂNDALO. NESTE HANGOUT VOCÊ SABERÁ DE TUDO!
Mais aqui: http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2015/06/conexao-brasil-conclave-de-oslo-pela.html

Anônimo disse...

Quem defende um sujeito desses e vota nesse partido, é tão culpado qto o elles.

Anônimo disse...

Artigo de Moro poderia libertar Vaccari:

"O novo pedido do Ministério Público para a prorrogação da prisão preventiva de João Vaccari Neto na carceragem de Curitiba permitirá aos brasileiros acompanhar a coerência das ideias e da postura do juiz Sérgio Fernando Moro, responsável pela Lava Jato", diz Paulo Moreira Leite, diretor do 247, em Brasília; "Minha opinião é que o Ministério Publico venha a ser atendido e Vaccari continue apodrecendo na prisão, sem que existam provas para ser incriminado, sem uma sentença judicial que justique o encarceramento por um período que já dura dois meses. O problema é que, num artigo acadêmico de 2001, disponível na internet, o próprio Moro oferece argumentos que mostram por que Vaccari e boa parte dos presos da Lava Jato devem ser soltos imediatamente"; PML se refere a um texto em que Moro condena o uso de torturas físicas ou psicológicas para se obter confissões

Por Paulo Moreira Leite

O novo pedido do Ministério Público para a prorrogação da prisão preventiva de João Vaccari Neto na carceragem de Curitiba permitirá aos brasileiros acompanhar a coerência das ideias e da postura do juiz Sérgio Fernando Moro, responsável pela Lava Jato.

É possível que, no momento em que você lê estas linhas, Moro já tenha dado sua decisão. Minha opinião é que o Ministério Publico venha a ser atendido e Vaccari continue apodrecendo na prisão, sem que existam provas para ser incriminado, sem uma sentença judicial que justique o encarceramento por um período que já dura dois meses. O problema é que, num artigo acadêmico de 2001, disponível na internet, o próprio Moro oferece argumentos que mostram por que Vaccari e boa parte dos presos da Lava Jato devem ser soltos imediatamente.

Estou falando do texto “Caso Exemplar: Considerações sobre a Corte Warren.” Num artigo de 18 páginas, Moro faz um balanço da atuação de Earl Warren, o mais influente juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos no pós-guerra. Moro dedica bons parágrafos do texto a comentar o célebre caso Miranda x Arizona, um episódio marcante na luta pelas liberdades civis e pela defesa dos direitos individuais. A conclusão de Moro é que a corte “andou bem” e você tem motivos de espanto quando recorda o que acontece na 13a. Vara Criminal de Curitiba.

O caso Ernesto Miranda é assim. Acusado de ter raptado e estuprado uma moça em Phoenix, no Arizona, Ernesto Miranda foi levado uma delegacia e, horas depois de interrogatório, assinou uma confissão de culpa não apenas por este crime, mas por dois outros que lhe eram atribuídos. Três anos depois da condenação, a Suprema Corte entrou no caso por duas razões. A primeira, explica Moro, foi para “garantir ao acusado o exercício do real direito da proteção contra a auto-incriminação.” O que se queria, em resumo, é impedir que o reu fosse levado a fazer confissões naquele ambiente de delegacia no qual os suspeitos são levados a se auto-criminar de maneira não “totalmente voluntária”, como demonstrou o advogado de Miranda. A segunda razão, nas palavras de Moro, é “coibir a extração forçada por meios físicos ou psicológicos, de confissões em casos criminais. ” Eufemismos à parte, estamos falando de tortura. A sentença da Corte, favorável a Miranda, foi assim:

“Concluímos que sem salvaguardas próprias o interrogatório sob custódia de pessoas suspeitas ou acusadas de crime contém pressões que operam para minar a vontade individual de resistir para que não seja compelido a falar quando não o faria em outra circunstância. Para combater essas pressões e permitir uma oportunidade ampla do exercício do privilégio contra a autoincriminação, o acusado deve ser adequadamente informado de seus direitos e o exercício desses direitos deve ser completamente honrado.”.....

Xiiii, alguém avisa o PML que em algum momento o Juiz Mor, digo, Moro vai aplicar essa Jurisprudencia alienígena, é só aparecer alguma coisinha contra alguém do PSDB, do fhc, Aécio, Alkmin, serra, aluisio e yeda.

Anônimo disse...

Ao anonimo das 11:10 > em 1938 hitler quase ganhou o premio nobel da paz.

A história sempre se repete.

Que caminho o Brasil esta trilhando ?

Anônimo disse...

Avisa tu mesmo, 11:50. Avisa a secretaria do Moro que tu queres falar com ele sobre as injustiça com o Vaccari, e se ele te receber
diga a ele que és o honrado Petralha xixi-cocô, que ele te recebe e resolve o teu problema de vez, te coloca no vaso sanitário, dá descarga e adeus petralha xixi-cocô.

Anônimo disse...

Tá, mas o Juiz moro escreveu ou não o artigo anônimo das 17:10? Resposta: Sim, porem não aplica nas suas decisões. Ou aplica?