Terrorista que matou na London Bridge é Usman Khan. Ele estava em liberdade condicional.

O nome do terrorista que esfaqueou passantes em Londres, provocando duas mortes é Usman Khan.

O terrorista estava em liberdade condicional, depois de ter sido condenado em 2012 por terrorismo, membro do grupo jihadista al-Muhajiroun, do fanático Anjem Choudary.

Um dos leitores deste blog estava na London Bridge, local do atentado, momentos antes do ataque e descreveu para o editor o estado de perplexidade e terror que dominou Londres nesta sexta-feira.

9 comentários:

Anônimo disse...

Terrorista ISLÂMICO !!!

Anônimo disse...

Os países da Europa chegaram a um nível aceitável de criminalidade, baixaram a guarda e criaram leis beneficiando seus cidadãos que cometem crimes, com a baixa criminalidade muitos paises estão desativando presídios. Com a crescente imigração, os crimes na Europa estão retornando aos níveis do século XIX.Acredito que os europeu darão uma resposta a criminalidade muito mais rápido que no Brasil que trata bandido como cidadãos honestos que cometem crimes primários.

Anônimo disse...

Quem está envolvido no processo (e tem vantagens) normalmente não enxerga o processo e o problema.
Churchill em 1939 enxergou o perigo nazista e fez a Inglaterra se opor frontalmente a Hitler. E como estava certo!
Novamente temos a ilha britanica se opondo a 'algo' que não está nem um pouco claro, nem pra eles, nem pra quem observa de fora. O Brexit é a resposta que parte da população deu.
Do outro lado vemos a UE dominada por matriarcas e globalistas preocupada em salvar o planeta, entupindo seu territorio como imigrantes com resultados que poderão ser catastroficos.
Algo está muito errado e terá consequencias mundiais!

Anônimo disse...

A IMIGRAÇÃO DESENFREADA É UMA DESGRAÇA MUNDIAL.

Anônimo disse...

Bem, esse atentado não é novidade, é só mais um. Já faz um bom tempo os britânicos, especialmente os londrinos, estão colhendo os frutos do que plantaram ao longo dos anos, eleição após eleição... Só espero que não deem para trás no Brexit, pois a UE tem algo a haver com esse problema.

Anônimo disse...

O criminoso estava em condicional... Isto também ocorre no Reino Unido !!
Tia Glória.

Anônimo disse...

É a tal política esquerdalha do desencarceramento, o "direito dos manos"... fazem isso até para favorecer terroristas assassinos sanguinários, fanáticos islâmicos e outros tipos iguais. Esse aí voltou para o inferno.

Ultra 8 disse...

  Plano Kalergi

“O homem do futuro será um mestiço”

O Plano Kalergi é um plano genocida elaborado em 1923 pelo político mestiço Richard Nikolaus Coudenhove-Kalergi junto com seus sócios maçons, precursores da União Européia, para destruir a Europa e exterminar à raça branca, mediante a promoção do multiculturalismo e a imigração em massa de negros, asiáticos, mestiços latino-americanos, ameríndios e muçulmanos com a finalidade de mesclar-los racialmente, produzindo assim, segundo suas próprias expectativas, uma raça mestiça passiva, amansada, previsível e manipulável, de carácter e inteligência inferior sobre a qual pode-se governar eternamente a elite aristocrática judia, pois tal população resultaria incapaz e impedida de organizar-se para rebelar-se, e inclusive dar-se conta de que estão dominados.

Este plano, exposto em 28 teses, está inspirado no domínio humano sobre os animais de granja, os quais, devido a sua inferior inteligencia não podem rebelar-se.

O plano em ação

A invasão imigrante, de acordo aos novos padrões econômicos e a globalização, já se tem produzido e não existe intenção por parte dos governos de abandoná-la por muita crise que aconteça. E ao mesmo tempo se promove a mestiçagem para alcançar o exterminio da raça branca, em todos os países brancos do mundo. Não nos asiáticos, nem africanos, em aonde não há invasão imigrante, senão somente em países brancos.

A invasão se disfarça de progresso, caridade, humanismo, fraternidade, justiça social, igualdade, etc. Mas trata-se de um plano criminoso e impiedoso para destruir os europeus.

A essência do Plano

Em seus primeiros manifestos escritos entre 1923 e 1925, o Plano Kalergi exigia que os judeus tomassem o poder, primeiro na Europa e depois em todo o mundo. O plano se baseia em um racismo judeu utópico e se refere a uma «raça superior» (Herrenrasse) judia. A expressão Herrenrasse, utilizada por Adolf Hitler para descrever a raça ariana, foi usada também por Coudenhove-Kalergi para dar suporte à reivindicação da soberania judia na Europa e no mundo. Também o termo «raça nobre judia» é utilizado constantemente. Com a motivação de criar um império judeu, o plano Kalergi proclama a abolição do direito de autodeterminação dos povos e, posteriormente, a eliminação das nações por meio de migrações alógenas em massa, ou seja, seu despedaçamento interno através de movimentos separatistas “étnicos” como o separatismo catalão ou basco. Para que Europa seja dominável pelos judeus, pretende transformar os povos racialmente homogêneos em conjuntos mesclados de brancos, negros e asiáticos. A estes mestiços lhes atribui crueldade, infidelidade e outras características que, segundo ele devem ser criadas conscientemente porque são indispensáveis para conseguir a superioridadee dos judeus.

Anônimo disse...

Terrorista em liberdade por ERRO JUDICIÁRIO....lembra algum país distante, tipo Lulopolis ou Dirceulandia?