Banrisul tira outra nota (mais completa) para explicar venda de ações

Em nota assinada pelo seu diretor de Planejamento, Atendimento e Relações com o Mercado, Júlio Brunet (ao lado), o Banrisul tirou extensa nota, ontem a tardinha, para explicar de que modo ocorreram as últimas duas vendas de ações preferenciais do banco, atualmente objeto de intensa polêmica, tudo a partir de denúncias feitas pela comentarista da RBS e dona da Zenith Asset Management, Débora Morsch, que enxergou problemas nas operações conduzidas pela BTG. CLIQUE AQUI para ler a duríssima denúncia da comentarista da RBS.

Leia a nota, que está disponibilizada no site do governo do RS, controlador do banco, que foi quem vendeu suas ações:

- Tendo em vista as recentes notícias veiculadas na imprensa acerca da realização dos leilões de ações representativas do capital social do Banrisul, realizados pelo Estado do Rio Grande Sul (Acionista Controlador), na B3 S.A. - Brasil, Bolsa, Balcão ("B3"), e o cancelamento da oferta pública de ações do Banrisul, inicialmente divulgada ao mercado em 4 de outubro de 2017 e cancelada em 6 de abril de 2018 conforme divulgado em fato relevante, vem informar aos seus acionistas e ao mercado em geral o que segue.

CLIQUE AQUI para ler tudo.