Europa entra oficialmente em recessão. O PIB da Eurozona caiu 1% no acumulado de seis trimestres.

- O socialista Hollande, foto ao lado, não contém a recessão na França e registra recorde de rejeição popular.



O material a seguir foi distribuído pelas agências Reuters e France Press nesta quarta-feira de manhã, tendosigo copidescado e agrupado pelo site www.veja.com.br para retratar com fidelidade o que ocorre neste momento na zona do Euro. Vale a pena ler com calma e atenção.

A zona do euro entrou oficialmente, nesta quarta-feira, em sua mais longa recessão desde o início da série histórica, em 1995. O Produto Interno Bruto (PIB) do bloco registrou contração de 0,2% no primeiro trimestre do ano - a sexta queda trimestral consecutiva. No último trimestre de 2012, a contração foi de 0,7%. A contração da economia da região ficou acima da esperada pelos analistas. Economistas consultados pelas agências Reuters e Dow Jones, por exemplo, esperavam recuo de 0,1%. Nove economias da zona do euro registraram retrocesso no primeiro trimestre. O resultado destacou o impacto devastador da crise de dívida na zona do euro, que levou a um desemprego recorde de 19 milhões de pessoas na região.

. A Alemanha, maior economia do bloco, registrou nos três primeiros meses do ano um leve crescimento de 0,1% (depois de fechar 2012 com queda de 0,7%), enquanto a França, segunda economia da zona do euro, registrou retrocesso de 0,2% e entrou oficialmente em recessão. Trata-se da segunda vez em que a França entra em recessão em quatro anos. Para o acumulado do ano passado, o Instituto Francês de Estatísticas mantém a estimativa de crescimento zero, depois da revisão para baixo do aumento do PIB no terceiro trimestre (0,1% ao invés de 0,2%). Em 2013, o governo francês acredita em um crescimento do PIB de 0,1%.

. A confirmação de que a França entrou em recessão é mais um problema para o presidente François Hollande, que completou recentemente seu primeiro ano de governo com uma impopularidade recorde e indicadores econômicos alarmantes. Pela primeira vez se superou o número dos cinco milhões de desempregados, além de manifestações contrárias tanto por parte da direita como da esquerda.

.A Espanha registrou contração de 0,5% no primeiro trimestre de 2013 e permanece em recessão, situação na qual o país se encontra desde o fim de 2011. No último trimestre de 2012, a economia espanhola registrou queda de 0,8%.

. Em ritmo anual, o PIB da eurozona caiu 1%. Já o PIB do conjunto da União Europeia (UE) caiu 0,7%.

5 comentários:

Anônimo disse...

É SÓ UM SOCIALISTA CHEGAR AO PODER QUE A CRISE E A RECESSÃO CHEGAM A CAVALO...

EM POUCO TEMPO, OS BOTOCUDOS FRANCESES ESTARÃO IMPLORANDO PELA VOLTA DE SARCOZY...

Surfista Prateado disse...

Ora, com as políticas e ideologia que ele defende, só poderia é piorar! Não deu outra!

Mario Rangel disse...

Pois é seu Políbio, aí está o resultado da receita neoliberal (que tu endeusa tanto) iniciada pela recém falecida Maregaret Thatcher no início dos anos 90 e que foi imitado pelo FHC. Ainda bem que o PSDB escafedeu-se. O capitalismo rentista que está antes das pessoas, ja afundou a Espanha, Irlanda, Grécia e outros, e vai em frente. Ainda bem que o Brasil saiu da mão dessa gente.

Anônimo disse...

Europeus estúpidos! Não aprenderam ainda que a ideologia de esquerda é sinônimo de miséria, de indigência cultural, intelectual, moral e espiritual, entre outras?

Almirante Kirk

Anônimo disse...

Os ingleses, mais inteligentes, não aderiram ao Euro! Mas sofrem as consequências dos infelizes e desgraçadas escolhas dos demais europeus!

A esquerda emburrece, estupidifica! Vejam, aqui, o que se passa com os tontos esquerdopatas bananeiros ( pleonasmo), que chegam a confundir os tucanos com direitistas, quando s'ao t'ao esquerdistas quanto os petistas-petralhas!

Almirante Kirk