Artigo, Fernão Lara Mesquita - O filho da criatura

Raymundo Costa, que escreve no Valor e tem fontes seguras dentro do PT, dá em sua coluna de hoje – “O entulho do impeachment” – informações precisas que confirmam o que venho dizendo aos leitores do Vespeiro e do Estadão: a ninguém interessava mais que ao próprio PT o impeachment de Dilma porque jogar no colo da “oposição” o abacaxi que ele plantou é o unico modo do partido garantir a própria sobrevivência.

Ele apurou que a ala majoritária do PT, comandada por Lula e que já queria te-la tirado do caminho desde antes da reeleição de 2014, não participou da conspiração que acabou levando os patriotas Renan Calheiros e Ricardo Lewandowski a dar uma sobrevida a Dilma para livrar a cara, de uma só tacada, de todos os estupradores do povo brasileiro juntos.


A armação correu exclusivamente por conta da facção Mensagem ao Partido, “a maior de todas as alas minoritárias do PT”. São próceres desse grupo José Eduardo Cardoso, Tarso Genro, e os deputados Paulo Teixeira (SP) e Henrique Fontana (RS), responsáveis por terem “feito a cabeça de Dilma” em 2013 para não ceder a candidatura presidencial a Lula, convencendo-a de que o sucesso.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

2 comentários:

Anônimo disse...

O problema é que ela não podia permanecer no cargo. Detonaria o país e faria o que Maduro faz com a Venezuela: poria a culpa no FH C e no Obama. Bandidagem pura.

Rocco disse...

Uma utilidade teve a Dilma, impediu em 2013 que o maior bandido do Brasil se lança-se candidato... Imagina que hoje estaríamos quase idênticos a Venezuela, e emprestando dinheiro a toda a comunidade socialista internacional...